Humilhada pelo meu chefe Duelo no elevador.

sprite

Assim que chegamos em frente ao prédio, fui até a recepção para ver em qual andar ele estava enquanto Dominic estacionava o carro.

_ Oi, bom dia.

_ Bom dia.

Em que posso ajuda- la, senhorita?

_ Meu nome é Grace Scotty Butler, e sou assistente pessoal do senhor Thomas Mueller Price.

Gostaria de saber em qual andar está tendo a reunião?

Ele está me esperando.

_ Ah, sim, senhorita Grace.

Mas antes você poderia me passar um documento seu com foto?

_ Ah, sim, claro.

Eu tirei o documento da bolsa e a entreguei.

_ Aqui, prontinho.

Ela me entregou o documento de volta e um crachá.

_ O senhor Thomas, está no vigésimo terceiro andar, sala 3.

_ Assim, obrigada.

Antes de me virar me assustei com a voz de Dominic atrás de mim.

_ Ah, que coincidência.

É no mesmo lugar onde eu vou.

_ Sério?

_ Sim.

Se você puder esperar eu me registrar, podemos subimos juntos, o que você acha?

_ Eu acho otimo, obrigada.

Ele deu aquele sorriso encantador novamente.

No elevador meu coração começou a acelerar e senti algo estranho, como se algo ruim fosse acontecer.

Eu olhei para o Dominic com um olhar meio amedrontado.

_ Você está bem, Grace?

_ Não sei, acho que só estou um pouco nervosa.

Ele segurou em minha mão e me olhou carinhosamente.

_ Não fique, estou aqui com você, ok?

Eu só assinei com a cabeça que sim e sorri para ele.

Ao se aproximar da porta, foi ele quem bateu e entrou primeiro.

Assim que eu entrei atrás e olhei para o senhor Thomas, vi ele apertando a mandíbula e fechando a mão em punho para conter a raiva.

Em seguida ele me olhou com fúria nos olhos.

_ Agora sei o motivo da sua demora, senhorita Grace.

Eu estava em choque então eu não consegui dizer nada.

_ Venha, sente-se ao meu lado para que possamos começar a reunião.

Eu rodiei a mesa e sentei ao lado dele enquanto o Dominic cumprimentou a todos.

Mas quando chegou a vez de cumprimentar o senhor Thomas, ele o cumprimentou num tom meio seco.

_ Bom dia, senhor Thomas.

_ Bom dia, senhor Dominic.

O olhar dele em Dominic era cheio de ira.

Não sabia que estava querendo roubar minha assistente.

_ Não, não estou, se bem que..

Já o tom de voz do Dominic para meu chefe era um tom sarcástico.

Ele me olhou antes de continuar e eu e abaixei a cabeça meia sem graça.

_ Apenas estou a tratando como ela merece, afinal ela é uma mulher linda e maravilhosa.

O senhor Thomas, colocou uma mão em minha coxa e a apertou antes de retrucar.

_ É, sei muito bem, como ela é linda e maravilhosa.

Não é, senhorita Grace?

Eu engoli em seco antes de tirar a mão dele de cima de minha coxa e pigarriar.

_ Hum, hum.. Se o senhor está dizendo.

Quem sou eu para discordar, não é?

Ele me olhou e sorriu maliciosamente.

_ Com certeza.

que o Dominic queria voar em cima dele, mas só não o fez por causa das outras pessoas que estavam na sala.

_ Acho que o senhor deveria respeitá- la um pouco mais, o senhor não acha?

Senhor Thomas.

Vi fúria nos olhos dos dois.

_ Bom, eu só concordei com você em dizer que ela é uma mulher linda e maravilhosa.

onde é que eu a desrespeitei, senhor Dominic.

que as coisas estavam começando a esquentar demais.

melhor eu me intervir antes que algo

_ Acho que é melhor continuarmos a reunião, não acham senhores?

Todos concordaram comigo.

Durante a reunião toda eles ficaram se cutucando, mas não passou disso, pelo menos.

Agora após a reunião estávamos os três no elevador.

.. Meu Deus, e agora?

Eu no meio do fogo cruzado?

Ninguém merece.

_ Então, é por isso, senhorita Grace, que você anda

Eu o olhei meio confusa e sem entender o que ele estava querendo dizer com isso.

_ Do que que o senhor

Ele me olhou com um olhar meio agressivo.

_ Você sabe bem do que eu estou falando, senhorita Grace.

Essa indireta me deixou cheia de raiva.

_ Não senhor, eu não sei e espero mesmo que você me conte.

Eu olhei atentamente.

_ Ok, eu digo.

encarei com muita raiva porque eu já sabia o que ele ia me dizer.

A senhorita está me evitando porque está dormindo

minha mão e punho para me segurar para não dar na

Eu não estou dormindo com ninguém,

que o senhor me respeite do mesmo jeito que eu sempre

até ser uma simples assistente, mas mereço respeito como qualquer outra

olhou com olhares zombeteiros e começou

_ Será mesmo?

de vagabunda a senhorita

sangue ferveu na hora e antes deu dizer algumas verdades que já estavam entaladas na minha garganta, eu não me contive e dei um tapa na cara

me olhou espantado e

_ Vagabunda, sério?

senhor só está fazendo isso porque está se sentindo despeitado porque eu não quis mais me deitar com

me olhou com um olhar

_ A senhorita tem certeza disso?

a senhorita sabendo que eu tenho em minha cama a mulher que eu quiser, afinal tenho muito dinheiro para isso,

Eu comecei a rir sarcasticamente.

_ Aham.. Com certeza tem.

ainda me procura ao invés de procurar por

_ Porque?

Você quer mesmo saber?

Eu o olhei desafiando.

eu gastaria o meu dinheiro se posso ter você na minha cama de graça na hora que eu

tempo deu responder a provocação

eu vi ele já estava no chão com um soco no nariz que veio do

e vi fúria e ódio nos olhos dele de uma tal maneira que eu nunca tinha visto nos olhos

até pensei em ajudar o senhor Thomas, mas eu congelei