NO MORRO DA ROCINHA 7

sprite

Malu narrando

Eu desço as escadas arrumada, Rd me encara de cima a baixo, eu tinha colocado um vestido canelado e um casaco envolta da cintura, o vestido marcava muito bem o meu corpo, nada mais me assustava do que ter que enfrentar Perigo.

- Rd, por favor – eu tento implorar pela última vez.

- Se você abrir a porra da boca mais uma vez, eu te levo arrastada – ele fala – você quer isso? – eu nego com a cabeça – então vamos.

Ele me entrega o capacete e eu subo na sua garupa, arrumo o meu vestido para que ele não subisse e entrelaço as minhas mãos na cintura dele.

Eu começo a rezar para todos os santos que poderia existir no mundo, pedindo e implorando que Rd desistisse de me levar até lá, ele para a moto atrás da penitenciaria.

- Desce – ele fala e um homem vestido de agente sai para fora e eu desço da moto me tremendo por inteiro.

- Rd, me tira daqui – eu falo para ele.

- A sua marra toda é só longe dele não é princesa? – ele fala me encarando – se acostuma, essa é a vida de fiel quando o bandido vai preso.

- Vamos – o cara fala segurando em meu braço.

- Eu não quero ir – eu falo nervosa.

- Busco ela em 2h – ele fala para o cara.

- Não, me solta – eu falo tentando me soltar do cara que tampa a minha boca.

- Cala boca sua vadia – ele fala – anda, entra e fica calada.

Eu engulo seco e sigo aquele homem por um corredor, ele abre a porta e me joga dentro e eu vejo o meu pior pesadelo sentado em uma cama, olho para aquele quarto pequeno, com uma cama e uma banheira no canto, ele está bolando um baseado, quando ele me encara.

- Maluzinha – ele fala levantando e eu não me movo de lugar, eu o encaro – Achei que você entraria mais animada aqui dentro.

- Miguel – eu falo seu nome. – Por que você mandou me trazer aqui?

- Adoro seu tom de voz quando você está com medo – ele fala passando a sua mão pelo meu rosto.

- Alguém pode nos ver aqui e pode ser pior para você – eu falo para ele. – pode complicar o seu caso.

- É tão bonito ver como você se preocupa comigo meu amor – ele fala passando a sua mão pelo meu pescoço e vira seu rosto me encarando – como você me quer bem, como você me espera ansiosa para que eu volte para você – ele começa apertar o meu pescoço.

- Miguel – eu falo tentando tirar a sua mão, mas ele era forte – você está me machucando – ele começa a apertar mais – me solta – eu começo a ficar sufocada, ele me faz andar enquanto apertava o meu pescoço e me joga na cama com tudo.

- O que você achou que iria fazer Malu? Fugir de mim – ele fala abrindo o seu calção e tirando a sua camiseta – anda, pega isso.

- Eu não quero fumar – eu falo.

Eu fiz especialmente para você – eu tento me escolher na cama mas ele me puxa pelas pernas me levando para ponta da cama.

Ele me faz sentar e agarra pela minha nuca me fazendo o encarar.

- Eu não quero usar maconha – eu falo.

- Dar uma tragada agora – ele fala me olhando e eu pego da sua mão o baseado colocando na minha boca e ele abre

estava com saudade do seu cheiro – ele fala passando sua boca pelo meu pescoço. – Do seu corpo , eu não vejo a hora de sair daqui e está com você o tempo todo.

Para me bater? Me trair ? me humilhar? – eu questiono a ele.

- Se você fosse obediente, nada disso aconteceria – ele fala me largando e eu solto o baseado e começo a tossir – é só você aceitar tudo que eu te dou, eu te dou tudo, não falta nada a você. – eu olho para ele – e mesmo assim você fugiu de mim.

- Eu fiquei com medo apenas isso – eu falo.

- Não é o que me passaram – ele fala – a invasão da policia foi uma

- Não fui eu que denunciei – eu falo – eu estava com você, eu poderia ter sido

você soubesse que eles iriam chegar, não – ele fala – ou se tivesse feito um

escapar das suas mãos e vou para trás da cama me encolhendo contra

Eu não denunciei, eu tenho amor pela minha vida – eu respondo – foi por isso que eu fugi, com medo, apenas medo. Eu sabia que você iria me encontrar quando saísse da cadeia – eu falo para

estava calmo e estava conversando comigo, isso porque ele não deveria ter usado

Você sabe o que eu faço com x9 né? – ele pergunta vindo para cima de mim e segurando meu queixo – você

sei – eu falo – eu sei

você abre a porra do teu olho que se você pensar em me trair e me passar para trás, eu juro que te dou uma morte lenta e dolorida – ele fala e eu seguro as

está me machucando – eu falo para

Eu nem comecei – ele fala me encarando e eu nego com a cabeça. – se você soubesse a puta da raiva que eu estou

só me faz te odiar mais ainda – eu falo tentando empurrar ele e ele abre um sorriso irônico em seu rosto – eu odeio você Miguel, odeio você com toda a minha força. – eu cuspo

bate a minha cabeça forte na parede que me faz ficar