Ceo Vadia nas alturas Capítulo 8

sprite

Chegou o grande dia de conhecer o Sr. & Sra. Dawson. Para eles tudo tinha que sair mais do que perfeito. Matthew não queria dizer, mas eu sei que ele está nervoso com isso. Ele não está só mentindo para o mundo e sim para sua família também. Matthew sempre demonstra confiança e agora não seria diferente, ele não me mostraria seus medos. Sei que vou aprender muita coisa com ele.

– Boa escolha de roupa. – Matthew disse abrindo a porta do carro para mim.

Olho a grande mansão em minha frente.

– Não foi intenção puxar saco. – Eu ajeito o vestido no meu corpo. – Só queria me sentir bem.

A escolha dessa vez foi um vestido tubinho e justo, manga curta e na cor preta. Cabelo solto, liso e um salto baixo. Olícia Dawson é muito conhecida pelos seus vestidos espetaculares. Vestido é uma peça que ela ama fazer.

– Vai dar certo. – Ele falou mais para ele mesmo do que para mim.

- Já deu certo. - Eu sorri para ele e ele retribuiu.

Temos poucos tempos juntos, mas venho tentando decifrar o Matthew no pouco tempo que passamos juntos. Ele não é muito de falar sobre ele, a menos que seja para favorecer ele a alguma coisa. Principalmente se for trabalho. Seguimos para a mansão. A porta foi aberta por um dos empregados e na sala encontramos seus pais.

– Oh, meu amor! – Olícia falou assim que viu seu filho. Matthew soltou minha mão para abraçar a mãe. – Estou com tanta saudades. Nem parece que moramos na mesma cidade, Matthew Dawson.

– Mãe, não exagere. – Matthew acenou com a cabeça para o pai e deu um passo para o lado. – Essa é Aria Barnes, minha namorada.

– Espero que futura esposa também. – Olícia disse e veio até mim. – Você é muito linda.

Sorri para ela sem graça e dou um abraço. Seus olhos e cabelo me lembra muito ao Matthew, mas o resto do rosto e postura é tudo do pai.

– Obrigada, senhora Dawson…

– Não, por favor. Vamos nos chamar pelo primeiro nome. – Olícia sorria a cada palavra e seu sorriso era muito acolhedor.

– Me deixe falar com a menina também, Olícia. – Senhor Dawson se aproximou. – Vamos ter a noite toda para conhecê-la.

Vincent Dawson começou sua carreira como ator, mas logo se tornou um dos homens mais ricos do mundo ao tornar-se sócio de empresas de tecnologia. Dez anos atrás ele começou a TecDaw e cinco anos depois passou a empresa para Matthew, alegando que seu filho estava mais do que pronto para assumir os negócios e que seu filho era bem melhor do que ele nisso. Matthew superou as expectativas de todos e tornou-se uma empresa conhecida no mundo todo. Mesmo com um jeito sério, Vincent me deu um abraço rápido e sorriu.

– Bem-vinda a família. – Ele falou.

Eu não imaginei que seria tão bem recebida assim. Espero que eles não tenham feito isso com todas.

– Obrigada.

Um dos empregados apareceu e avisou que a janta estava pronta. Fomos todos para a mesa e meu nervosismo, que até então estava em um nível baixo, começou a mostrar presença. Matthew segurou minha mão. Estamos alguns passos atrás de seus pais.

– Fica calma. Estamos indo muito bem até agora. – Ele sussurrou.

fundo e concordo com a cabeça. Queria demonstrar confiança o tempo todo como ele faz. Vincent sentou na ponta, Olícia no seu lado direito, Matthew no lado esquerdo e eu ao seu lado. A comida foi servida.

Gostaríamos de saber mais de você, Aria. – Vincent falou.

que Matthew iria falar algo, eu coloquei a mão na sua coxa apertando de leve. Não acho que seria legal ele falar por mim. Não quero me esconder atrás do Matthew. Quero mostrar que tenho voz e espero que consiga conquistar meus sogros.

Salamanca. Onde todo mundo se conhece. – Me adianto em dizer e Olícia sorriu. – Não gosto muito de falar da minha cidade, não por não ter orgulho, mas pelos momentos que passei. Sem histórias tristes aqui, podem ficar tranquilos. – Eu disse fazendo eles sorrirem. – Mas foco no presente e futuro. Como minha vó me ensinou. Passado não tem como mudar.

– Sua vó está certa. – Olícia falou. – Vou adorar conhecê-la.

minha mão que até então estava na sua coxa. Ele sabe?

Infelizmente, ela faleceu alguns anos atrás.

desculpe, querida. – Olícia colocou a mão contra a boca. – Eu

Tudo bem. Eu morava com meus pais, mas passava a maior parte do tempo com ela. – Decido mudar o rumo dessa conversa. – E uma coisa que ela amava era costurar. Vocês têm algo em comum.

olhos da Olícia chegaram a

– Você sabe costurar?

tão bem como você e minha avó, mas essa será uma das carreira que vou seguir.

das ? – Vincent perguntou

ele e abaixo um pouco o rosto mordendo o lábio inferior. Fico com vergonha em falar isso em voz