EM BUSCA DO AMOR PERDIDO CAPÍTULO VINTE E OITO - BÔNUS

sprite

James DeLucca Miller

Se fiz errado em me declarar pra Giulia?

Não sei ainda, vamos ver no que vai dar, mas eu me sinto aliviado, leve e feliz por ter feito isso, parece que ela também está feliz, e isso é maravilhoso!

Era tudo o que eu queria ver, o brilho intenso nos olhos dela e sorrindo por qualquer coisa.

Agora ela parece a menina que vi nas fotos do nosso casamento, e é a imagem perfeita da mulher que o James de antes descreve em seu diário.

Não me sinto nenhum pouco estranho por ter dito a ela que a amo.

Sei que é cedo, muito cedo pra quem perdeu a memória, mas eu acredito que ela estava no meu coração o tempo todo. O meu cérebro pode ter bugado, mas ainda estou bem com o resto do corpo, e meu coração está muito bem, e ele só bate acelerado por ela.

Não sou um cara muito romântico, mas por ela eu sou capaz de virar um, apenas para ver ela sorrir.

Antes dela entrar no quarto novamente, eu não sabia o que fazer, estava ali parado esperando coragem para tomar a iniciativa de pedir perdão.

E eu estava escolhendo as palavras certas, porque eu não queria magoar ela ainda mais.

Sei que pareci um babaca falando aquelas coisas para o paciente dela, não é certo deixar ele imaginando coisas.

Mas o meu ciúme era tanto, que na hora não pensei em nada, eu só quis que ele sentisse um pouco de inveja de mim, de eu poder estar com ela e ele não, lá no fundo eu queria mesmo que ele pensasse que nós dois iríamos fazer amor de novo.

Ele não tinha que estar nem pensando na minha esposa, até porque ela tinha um marido. Não precisava de mais ninguém.

Mas então ao falar o que quer, ouve o que não quer né?

E foi o que aconteceu, eu não queria que a Giulia ficasse chateada comigo, mas foi o que aconteceu, porque ela não tem sangue de barata, mas gostei de ela não querer falar isso lá junto com o paciente dela, ela me respeitou e deixou as nossas conversas só pra nós dois, nem quando chegamos em casa, ela não disse lá na sala, e sim aqui no nosso quarto onde ninguém mais escutaria a gente. Temos os funcionários aqui e ela sabe separar a nossa vida íntima das demais coisas.

Isso pra mim é primordial, eu não sabia que era tão reservado até conhecer ela.

Quero tudo com ela no privado, não quero que nosso relacionamento seja alvo de fofocas ou especulações, então quanto mais em off ficarmos, melhor pra nós dois.

Quando ela entrou no quarto, eu voltei ao estado normal, nervoso, mas estava normal, eu queria pedir desculpas e falar tudo o que eu precisava, mas ela nem me olhou, apenas seguiu para o closet e foi para o banho, eu a segui com os olhos, e percebi que não havia chaveado a porta, não sei se foi pra me dizer alguma coisa, como por exemplo, um convite pra me juntar a ela, mas se não foi esse o motivo, eu entendi dessa forma, e entrei no closet tirei a minha roupa, e entrei devagarinho no banheiro, ela não me viu porque estava de costas lavando o cabelo, mas eu só de ver a bunda dela, fiquei muito excitado e com vontade de estar dentro dela.

E foi o que eu fiz, mas eu entrei no box com medo de rejeição, pensando que ela iria brigar e recusar estar comigo, mas foi totalmente ao contrário, ela não resistiu, nem tentou sair do meu abraço.

Ela realmente me ama, porque mesmo estando chateada comigo, ela não me recusou.

Então começamos a fazer um amor maravilhoso, primeiro foi intenso, forte e duro, mas depois eu queria fazer amor devagarinho com a minha esposa.

Foi tão romântico e gostoso, e quando eu disse que amava ela, foi do fundo do meu coração, foi muito libertador dizer pra ela o que eu sinto.

Ela não acreditou é claro! Eu não acreditaria assim também, precisaria de mais provas. E eu dei, quer dizer, eu disse coisas lindas pra ela, e vou mostrar a ela que o que eu sinto é verdadeiro.

Depois de amar a minha mulher, em todas as posições possíveis no banheiro, eu e ela almoçamos juntos e nos divertimos assistindo televisão.

Depois ela teve a ideia de ir na cabine dos meus pais para deixar o Lucca lá com eles e irmos malhar juntos, mas a minha mãe foi persuasiva e não deixou nós escapar das coisas gostosas que ela preparou, e hoje não haverá malhação, além das que já fizemos mais cedo...

Chegando de mãos dadas na cabine deles, a primeira coisa que meu pai viu, foi isso, ele sorriu, nos cumprimentou e ficou sério, mas ele estava analisando a Giulia, provavelmente ele conhece ela muito bem, porque eu percebi quando ele relaxou os ombros e pareceu feliz.

Acredito eu, que ele viu nos olhos dela a felicidade!!

Como eu já disse antes, a Giulia é um livro aberto, ela não faz esforço nenhum para tentar mascarar os seus sentimentos, não sei se ela não consegue, ou nunca tentou, porque ela não sabe nem disfarçar, e quem conhece ela mesmo que só um pouquinho, já sabe desse jeito dela, se ela não gosta, faz até caretas demonstrando seu desagrado, mas se gosta muito ou está feliz, seu rosto ilumina, seu sorriso é verdadeiro, e ela brilha, é sério! Ela é muito sentimental, isso é uma qualidade muito boa, mas também deve ser ruim pra ela, pois ela não consegue nem disfarçar quando está sofrendo.

Até já me perguntei, como ela viveu aqui no navio, um ano e meio me procurando e se frustando toda a vez que não me encontrava, será que ela conseguia mascarar as emoções? Ou todos nem faziam ideia do propósito dela por trás dessa viagem?

Bem eu não sei as respostas, mas vou perguntar a ela quando tiver uma oportunidade, porque isso faz parte da minha curiosidade sobre ela.

Depois que a minha mãe e a Giulia foram para a cozinha terminar de preparar o café da tarde, eu e meu pai fomos para a sala com o Lucca, ele sentou e colocou o meu filho sentadinho no tapete de alfabeto que tinha no chão, pegou alguns brinquedos e deixou ali para ele se entreter.

Enquanto isso ele sentou ao meu lado e disse:

__ Não fez o que nós conversamos né? - ele pergunta sobre o dia que falamos que era o certo eu me descobrir primeiro antes de continuar o meu relacionamento com a Giulia, e então eu respondi:

__ Eu tentei pai, mas a Giulia é persistente, ela não quer um tempo, não quer que eu me descubra sozinho, ela quer mostrar como éramos juntos, como éramos felizes, e eu gosto disso, quero conhecer a minha esposa, a mãe do meu filho, quero fazer dar certo! - digo a verdade porque se não fosse por ela, eu estaria perdido, sem saber por onde me encontar, na verdade se ela não for a minha bússola, quem vai ser? Sendo que eu não sei quem eu era.

__ Mas ela parece mais feliz e leve, o que vocês dois conversaram que deixou ela assim?

__ Eu admiti que amo ela! - disse e vejo surpresa nos olhos dele e ele diz:

__ Mas porquê mentiu pra ela? Não é justo dizer a uma mulher que te ama incondicionalmente o que você não sabe se é real... - ele pareceu nervoso e logo eu disse:

__ Mas porque o senhor acha que não é verdadeiro o meu sentimento?

Eu não sei James, me diga você!

__ Pai, desde o dia que a vi eu sinto uns negócios no meu coração, ele fica acelerado, minhas mãos suam, meus pêlos arrepiam, e sinto como se estivesse cheio de borboletas voando no meu estômago, Ah e quando nos tocamos, é como se tivesse um fio desencapado na gente, e o senhor não sabe, mas ela foi a primeira mulher que fez eu sentir qualquer tipo de interesse, ou desejo, então acredito que meu cérebro pode ter esquecido ela, mas não o meu coração e meu corpo. Entende? - ele sorri e diz:

__ Sim, meu filho eu entendo, e não sabe o quanto eu fico feliz por ouvir isso, e saiba que esse são os sintomas do verdadeiro amor, me sinto assim ainda com a sua mãe, só ela faz eu me apaixonar todos os dias por ela. Ahh que maravilha, ver o meu filho e a minha nora que mais considero como minha filhinha, felizes! É tudo o que eu queria meu filho, de verdade, só Deus sabe o quanto eu orei por isso, e estou torcendo muito por vocês dois.

Nada no mundo deixaria seu pai mais feliz do que ver isso, obrigado por me dizer. - ele me abraça apertado e pergunta quando me solta:

__ Mas me diz, como foi que você soube que era amor?

__ Quando eu vi um paciente se declarando pra ela, eu fiquei com tanto ciúme pai, meu coração doeu com a possibilidade dela me deixar, e parecia que meu ar iria acabar sabe? Então eu tive que reagir e ser o que ela precisa de mim pai, eu não posso dar mole pra outro desavisado, ela é minha!! - digo e ele sorrindo

__ Paciente? do que você está falando? Como assim se declarando?

Expliquei tudo a ele, e sorrindo ele falou:

__ Bem, que bom que você tomou o seu lugar de direito então, ela é muito linda, meiga, sincera e merece ser feliz, acredito que muitos homens percebem o quão preciosa ela é, fico realmente feliz por ter percebido que

eu tenho certeza disso. - falo a verdade.

__ Que bom, mas e qual os seus planos agora?

Não sei pai, eu não fiz nenhum ainda, vou viver um dia de cada vez, a Giulia me pediu calma, porque ela queria ver a gravidade dos problemas no meu cérebro, e ela disse que se não tiver nada errado aí posso resolver o que fazer, mas antes disso é melhor estudar bem o meu caso, sabe que não entendo nada agora, mas eu gostaria de voltar a estudar o cérebro.

era muito bom nisso, tenho certeza que tiraria de letra, assim como a Giulia está em seu coração, ser neurocirurgião está na suas veias, você amava muito isso, fazia pesquisas dia e noite, era dedicado ao extremo antes da Giulia chegar, não sei como ficou depois dela, mas era apaixonado pelo o que fazia. Vocês dois juntos faziam milagres numa sala de cirurgia.

__ Sério? - pergunto surpreso.

Muito sério, eram a melhor equipe do hospital, todos os pacientes queriam vocês dois de médicos, a agenda de vocês eu me lembro que era

Nossa, mas existem tantas pessoas com problemas assim no cérebro?

mas vocês eram um ícone global, vinha gente do Japão para ter uma consulta com os

Uau!! A Giulia não me contou isso... -

que é porque ela não gosta de se vangloriar, a humildade dela James é só mais uma das qualidades que ela

senhor gosta muito dela né?

Sim, ela é a minha filha do coração, e por causa dela que achamos você, então serei eternamente grato a ela.

bom, eu gosto que ela é amada pelos meus pais, isso torna tudo mais simples né?

Sim, é verdade! Mas vamos ir tomar café? Acho que as nossas meninas já fizeram o que tinham

__ Vamos!!

pegou o Lucca do tapete e fomos até a sala de jantar e as duas estavam cochichando e rindo, mas quando nos viram, pararam imediatamente, e eu curioso

falando mal de

Nunca é mal, meu amor, só temos coisas boas a falar ao seu respeito! - minha mãe diz e vejo quando ela pisca um olho pra Giulia. O quê as duas estão