Meu possessivo

Sem gracinhas!

Ponto de vista do Damian

- Não tem mais! – A Sara estava com os olhos fixos na Patrícia, a arma que antes estava apontada para minha menina agora estava voltada para a Patrícia.

- Que porra é essa Sara? – O homem que estava na minha mira estava ainda mais nervoso que a Patrícia.

- Então você está do lado dela? – O olhar frio da Patrícia me causava arrepios.

- Eu estou do lado do amor dele! Quero ele feliz mesmo que não seja comigo. – A Sara também estava calma, eu nunca imaginei que ambas seriam tão frias assim. Olhei para minha menina, ela tinha parado de chorar e agora me encarava com o olhar confuso e apavorado. – Eu fiz mal demais a eles dois apenas por escutar você! Não posso negar que eu me apaixonei por ele, mas, ele não me ama! E também não ama você porra!! – Ela estava começando a levantar o tom de voz. – Entrar nessa farsa toda era o mínimo que eu podia fazer para compensar a merda toda que NÓS duas fizemos com eles. – Os olhos da patrícia não se desviavam nem por um instante da minha menina e isso estava me deixando cada vez mais nervoso.

-Bom você escolheu o seu lado.

- Eu falei!!! Eu falei que não podias confiar nela! – O homem esbravejou. Ele era de longe a pessoa mais instável do lugar. A patrícia engatilhou a bala e isso fez meu coração gelar.

- Damian, cuida da Luna e, e, e ... eu te amo! Me perdoa por ter fugido, eu devia ter ficado e esclarecido tudo. – As lagrimas escoriam pelo rosto dela sem parar. – Eu devia, eu devia... devia ter ficado do seu lado... me - Ela gaguejava entre soluços. – Me perdoa?

- Não precisa pedir perdão. Vamos ficar juntos – Eu estava tentando tranquilizar a ela e a mim mesmo. – Vamos ficar juntos e isso é tudo que importa.

- Bom a gora que se despediram podemos acabar com todo esse circo. – A patrícia falou com um sorriso sarcástico no rosto.

- Se você matar ela eu mato você também porra! Abaixa logo a porra dessa arma! Vamos parar com toda essa palhaçada! – A Sara estava cada vez mais alterada e isso estava me preocupando.

atenção dela para mim. – Vamos conversar ok? Vale mesmo a pena morrer para se vingar de mim? Pensa direito ok? Vale mesmo a pena? – Ela me encarava com uma expressão curiosa. – E se fizéssemos um acordo? – Minha menina parou de

te ouvindo querido. – As ideias estavam girando na minha cabeça, e eu sei que os meus próximos passos seriam perigosos, mas, eu precisava confiar, precisava

Vamos embora! Só nos dois. Só

– A Sara e minha menina falaram em uníssono. A patrícia olhou para Sara pelo canto do

- Continua.

dois, para longe... para onde

vou cair nessa? Não sou idiota

Olha! – Abaixei a arma devagar colocando ela no chão. – Vou para onde você quiser. – Levantei as duas mãos para o alto. – Vou com você para qualquer lugar.

essa Damian? - A Sara não desviava os

vez em um sussurro. Ela me olhou com um sorriso brincando nos lábios. A cena era estranha, todos nós estávamos tensos. Eu estava preso em um mata leão pelo ex da minha menina, a Sara apontava uma arma pra Patrícia, e a patrícia apontando para

Luan! – Ela disse depois de um

– Ele gritou em resposta. – Está

fim. Respirei fundo mandando ar para os meus pulmões, o homem

Está surtada ou oque? Vai mesmo cair nessa? Vai mesmo acre... Ele não teve tempo de terminar a frase. Um estrondo alto e ensurdecedor preencheu todo o ambiente me deixando sem reação, logo depois outro som, outro e outro, o homem que estava na minha frente deu alguns passos para trás, ele cambaleou e depois de segundo caiu no chão de joelhos, mesmo ele estando de costas para mim eu pude ver ele

Então. – Ela levantou os olhos em minha direção, a arma na mão dela como se

Pra, pra... pra... para onde você quiser. – Falei

não me surpreendo? Vamos? Diga a sua condição. Apesar de que não acho que você esteja em condições de exigir nada. Mas estou de

As minhas mãos ainda estavam levantadas para o alto. –

O romance será atualizado diariamente. Voltem e continuem lendo amanhã, pessoal!

Bình Luận ()

0/255