Nosso Passado Capítulo Um - 6

sprite

Parte 6...

Ela passou o resto dia pensando no que Hugo lhe dissera. Era claro que ele não aprovava suas ações, mas poderia tentar ver que a questão maior era ter o controle dos negócios.

A pequena companhia Free Carnes já estava quase nas mãos dela, só faltava o alvo maior que era a empresa dele.

Estava guardando as roupas simples que havia comprado nas malas usadas que Ludimila lhe dera para levar. Ela não entendera nada quando quis comprar suas malas velhas e ela fez um breve resumo do que queria.

Não contou detalhes pois isso não importava, mas a informou de que seria um tipo de espiã.

Ludimila riu, mesmo não entendendo nada do que ela dissera. O importante era ajudá-la.

— Pode ficar com elas, são velhas.

— Eu vou pagar por elas, assim poderá comprar outras.

— Tudo bem, então - sorriu e saiu do quarto.

— Mami... Onde “cê” vai? - Beatriz subiu na cama carregando seu velho urso de pelúcia azul.

— Mamãe vai fazer uma viagem de trabalho.

— E vai demorar?

Ela olhou o rostinho lindo de sua pequena. Beatriz estava gorducha, o que a deixava ainda mais linda. Ela era muito parecida com o pai. Tinha os mesmos cabelos loiros de Haroldo e os olhos castanhos esverdeados. Era muito inteligente e ativa.

Antes dela responder, Alan entrou no quarto.

— Vai viajar de novo mamãe?

— Só por um tempo, meu amor - beijou sua cabeça — Eu preciso ir por causa dos negócios, você sabe.

— Ah, mãe - fez um bico contrariado.

Ela respirou fundo.

Apesar de amar loucamente os filhos, ela não poderia deixar de seguir seus planos por causa deles. Os dois estavam bem e ficariam seguros sob os cuidados de Felipe e Ludimila.

Alan era teimoso e determinado, mas muito carinhoso. Fisicamente ele era a cópia do pai. O cabelo preto muito escuro, olhos castanhos, nariz bem feito e a boca grande vermelha. Com certeza ele seria tão alto quanto Mathias.

Seus dois filhos eram parecidos com os pais fisicamente, mas tinham muito dela emocionalmente, especialmente no gênio.

Ela amou Haroldo ao seu modo, mas Mathias conquistou seu coração e seu corpo antes. Tinha sido seu primeiro amor. Eram dois homens diferentes no físico e no caráter.

O que Mathias tinha feito com ela não era perdoável. Por mais que os anos passassem, ela não conseguiria esquecer tudo o que sentiu quando ele usou seu corpo e se aproveitou de sua inocência.

Ela realmente acreditava no que ele dizia e caiu como uma tonta nos braços dele.

A vergonha tinha sido tão grande quanto o medo de pagar por algo que nunca tinha feito. Tinha sido tão humilhante ouvir tudo o que a irmã dele dizia sobre ela. Falsas acusações. A mãe também tinha pisado nela e era a mais interessada em afastar os dois.

Porém, ele tinha dado o golpe final em seu

que poderia ter sido uma linda história de amor, acabou sendo um pesadelo em sua vida. Ela não merecia

mentiu a idade porque sabia que ele não namorava garotas menores de idade e quando ele a notou, ela não quis perder a chance. Já o admirava há algum tempo em segredo e o achava o homem mais lindo que ela já vira.

tonta de dezesseis anos contra um homem de vinte e oito. A diferença de mentalidade entre eles era maior do que a idade que era só um

o caso deles começou, ela acreditou que ele a amava. Ele dizia que ela era a única que o fazia perder o

mãe e a irmã dele a odiavam. Para as duas, ela não era ninguém. Não tinha nome importante e com certeza não tinha uma fortuna assim como eles. Ela era só a neta órfã de uma velha empregada da fábrica de sapatos

ela trabalhava na escola municipal fazendo faxina por meio salário, em um programa de ajuda a jovens adolescentes

Luíza e Márcia Mazzaro, era uma vergonha que seu filho e irmão amado se misturasse com uma qualquer. Uma garota do povo, como a chamaram uma

os olhos recordando as palavras

Você é uma coitada sem classe - riu — Esse cabelo horroroso cor de ferrugem velha, magrela e esquisita - ela gargalhou com maldade — Espero que tenha aproveitado para comer enquanto estava com meu irmão. Parece um palito