O amor proibido de um CEO Reivindicando você como meu

sprite

Uma mulher descalça corria pela rua escura, mal iluminada por lâmpadas noturnas.

Ela estava constantemente se virando para ter certeza se aqueles malditos homens ainda a seguiam de perto.

Ofegante e com medo, Flora se escondeu atrás de um carro.

Ela cobriu a boca com a mão para não fazer barulho.

Ryan estava andando ao lado de Sarah, sua secretária, para o carro dela quando notou a irmã de Emily, Flora, escondida atrás de seu carro.

Ele caminhou lentamente em direção a ela e acenou para Flora com a mão para que ela não fizesse nenhum som.

Ele virou o controle remoto para que o carro destrasse, permitindo que Sarah e Flora entrassem.

Sem perder tempo, Ryan ligou o carro e acelerou.

Os homens viram um carro se afastando do local.

Mas os quatro homens não acreditaram que tivesse algo a ver com aquela mulher que havia escapado deles.

Então eles continuaram procurando por ela na rua e em todos os lugares.

-Flora, você está bem?

Ryan perguntou olhando para ela no espelho retrovisor.

"Agora sim, Ryan, muito obrigado."

Flora respondeu com a voz trêmula antes de explodir em lágrimas.

Sarah a observou silenciosamente no espelho retrovisor enquanto ela entregava seus lenços para limpar o rosto.

Sarah tinha pouco a ver com ser a nova secretária e assistente de Ryan.

O jovem herdeiro Niam levou muito tempo para encontrar um assistente ao seu gosto.

E o gosto dela era específico, então Sarah se parecia muito com Emily.

Ela tinha cabelos compridos, da mesma idade e compleição de Emily.

Ela também usava óculos, embora fossem de uma armação diferente da de Emily.

Sarah era muito competente, educada, polida e tinha aquele ar tímido, assim como Emily.

Então, quando Ryan a contratou, ele claramente encontrou uma substituta Emily.

Depois de deixar Sarah em sua casa, Ryan foi para o apartamento de Flora e sua mãe, Lily.

"Flora, por que eles estavam perseguindo você?"

Ryan questionou enquanto desligava o carro na frente do apartamento.

Os dois não tinham um bom relacionamento, porque Ryan estava bem ciente dos maus-tratos que ela e sua mãe, Lily, sempre tiveram contra Emily.

Mas Ryan se importava até com eles, pois eram a única família que Emily tinha.

"Ryan... desculpe..."

"É pessoal."

Flora respondeu muito triste.

Ela também estava ciente de que os dois não eram próximos o suficiente para contar a ela sobre seus problemas.

E menos de natureza financeira.

"Você pode confiar em mim Flora."

"Você é irmã de Emily, então eu me importo com você também."

Ryan comentou com um belo tom de voz.

"Diga-me Flora, posso ajudá-la com alguma coisa?"

A meia-irmã de Emily deu um soluço trêmulo e cobriu a boca com as mãos.

Ela levou um minuto ou dois para se recompor para responder a Ryan.

"Ryan, eu devo dinheiro a esses caras..."

Ela sufocou outro soluço Flora em sua garganta.

"Eles... eles queriam me estuprar para cobrar a dívida."

"Quando saí do trabalho, eles me encurralaram contra um lugar fechado..."

Só de lembrar da cena, os olhos de Flora se encheram novamente de lágrimas de dor e angústia.

"Mas eu consegui escapar e é por isso que eu corri para escapar deles."

Lágrimas interromperam Flora e Ryan se sentiu muito mal por ela.

"Flora, eu posso te dar um emprego na minha empresa..."

"Só se você quiser."

Ryan comentou hesitante.

Ryan se cansou de Emily recusando-o cada vez que ela lhe oferecia um emprego em sua empresa.

"Ryan você realmente diz isso?"

Feliz choro Flora.

"Oh Ryan, obrigado, muito obrigado!"

Sentindo-se aliviada por não ter que voltar para aquele lixão decadente, Flora deu um abraço enorme e efusivo em Ryan.

O jovem ficou ainda mais surpreso quando ela lhe deu um beijo na bochecha enquanto Ryan permanecia imóvel no banco do motorista.

Flora sabia que acabara de fazer uma tolice completa.

"Com licença Ryan!"

"Sério, por favor, me desculpe!"

Flora implorou, juntando as mãos.

"Nos últimos meses, muitas pessoas foram más comigo..."

Flora reclamou.

"Meus antigos 'amigos' se recusam a me ver ou me ajudar."

"Mamãe está piorando..."

"Papai é muito delicado e Emily, ela, me traiu."

Flora declarou esta última frase com algum ressentimento.

"Emily não te traiu, Flora."

Ryan defendeu sua amada Emily.

"Aquele bastardo do Edward Situ a drogou e a estuprou naquela sala privada do clube."

Ryan descobriu o que realmente aconteceu.

"Então não confunda Flora."

"Você, como sua mãe, sabe que estou trabalhando para recuperar o que aquele bastardo do Situ tirou deles."

"Pelo menos a aldeia onde eles moravam."

Ryan afirmou decisivamente e um pouco irritado.

Flora imediatamente se sentiu mal com seu comentário.

Ela sabia que sem a ajuda de Ryan, as coisas teriam sido muito piores com seu pai.

Ryan silenciosamente observou Flora e sendo a meia-irmã de Emily não pôde deixar de perguntar a ela.

"Flora, você sabe por que Emily tem me evitado todo esse tempo?"

Ryan perguntou ansiosamente.

Eu realmente PRECISAVA saber disso.

"Não Ryan, com licença."

"Como ela não mora conosco, não falei com ela."

Flora declarou.

"Eu estava tão bravo que gritei com ele naquela vez no hospital...

"Eu até bati nela..."

Flora lamenta seu mau comportamento contra Emily no passado.

"Mas agora que quase fui estuprada..."

Flora torceu as mãos nervosamente.

"Sinto muito por todos os danos que fiz a ela."

"Eu... eu estava apaixonada por Edward."

"Eu não sabia como o mundo funcionava na época."

"Eu realmente não sabia de nada."

Flora afirmou isso com absoluta certeza.

Ter enfrentado a fome, a penúria, os maus momentos, a perda de oportunidades de um bom emprego...

Ter que trabalhar em bares decadentes e temer constantemente por sua vida fez Flora olhar o mundo com outros olhos.

Alguns mais realistas e menos frívolos.

"Apresente-se amanhã à minha empresa Flora."

Ryan respondeu estendendo seu cartão.

"Preciso de uma nova recepcionista na entrada."

Ryan verificou a hora em seu relógio de pulso.

Já era madrugada!

"Entre em seu apartamento agora para que eu possa sair."

A garota agradeceu novamente, por tudo, antes de abrir a porta para sair do carro.

"Flora, espere!"

Ryan parou Flora antes que ela saísse do carro.

"Reflita sobre seus erros e faça as pazes com Emily."

"Ela foi uma das mais afetadas pelo que aconteceu."

Ryan implorou sinceramente a Flora.

"Ok Ryan."

"O farei."

E ligando o carro novamente, Ryan foi para seu apartamento.

Eu precisava ter algumas horas de sono reparador.

Embora quando ele fechou os olhos, Ryan só pudesse pensar em Emily...

De manhã, no departamento de design, o celular de Emily tocou, então ela atendeu curiosa.

Emilly respondeu.

"Não desligue Emily, por favor, é Flora."

perguntou sua meia-irmã.

"Irmã, o que está acontecendo?"

Emily perguntou com preocupação.

"Emily, eu só quero te oferecer um sincero pedido de desculpas por ter sido tão má com você mais cedo."

"Desde que éramos garotinhas..."

"Até agora..."

Emily não podia acreditar em seus ouvidos...

"Além disso, eu quero me desculpar por culpar você pelo que aconteceu com Edward naquela noite..."

"Eu sei que não foi sua culpa Emily."

"Foi tudo minha culpa."

"Sinto muito Emilly."

Lágrimas escorriam pelo rosto de Emily incontrolavelmente, então ela teve que se sentar em uma cadeira para enterrar o rosto na mão.

A sala estava girando...

Emily realmente pensou que iria desmaiar com o que estava ouvindo!

Ou foi um sonho?

Isso era!

Estava tocando!

Não foi?

"Flora, vamos sair dessa juntos."

"Eu não culpo você pelo que aconteceu com aquele homem mau."

Emily baixou a voz, tentando parecer calma e controlada.

Mas a verdade é que sua voz poderia revelar que ela estava chorando demais.

"O Sr. Situ foi o verdadeiro culpado de todos os nossos infortúnios."

"Ele é um bastardo soberano."

Emily respondeu suspirando de dor.

"Eu sei..."

"Você sabia que Ele nunca me amou?"

"Ele nunca quis me tocar."

Flora também suspirou no celular porque não tinha mais palavras para dizer.

"Emily, você sabe que isso é muito difícil para mim..."

"Espero que possamos tomar um café ou chá, um dia..."

"Para que possamos conversar..."

"Para que você possa me perdoar..."

"Por favor."

capaz de responder que sim e depois de desligar Emily correu para o banheiro das empregadas.

Ele fechou um cubículo e sentou-se no vaso sanitário para chorar por um longo tempo.

Quando ele saiu, seus olhos estavam tão inchados e vermelhos que ele teve que esconder seu olhar de todos.

Quando terminou seu dia de trabalho, Emily foi a primeira a sair correndo do prédio.

Ela queria deitar na cama e pensar no que sua irmã Flora lhe dissera.

Agarrando o estranho relógio em suas mãos, Emily ponderou

De repente, ele olhou atentamente para o relógio em suas mãos.

Aquele objeto era sua única pista para sua família biológica.

Maggie encontrou Emily dormindo quando ela chegou em casa do

Emily estava enrolada na cama sem ter trocado de roupa.

Fazia seu coração doer vê-la assim.

Emily sentiu a presença de sua amiga, abrindo os olhos rapidamente, ela

"Maggie, quando você voltou?"

Sua amiga respondeu que ela só tinha alguns minutos no apartamento.

com o relógio na mão fez a pergunta que ela tanto queria fazer.

poderia me ajudar a encontrar minha família de origem?"

sentou-se na cama ao lado de Emily.

"Eu já disse que sim Emily."

"Amanhã eu agendo a consulta com o investigador particular."

"Não se preocupe, vamos encontrar sua família."

"Obrigado Magali."

antes de voltar a dormir.

Ryan tocou a foto da garota sorridente que estava vestindo roupas esportivas de uma determinada escola.

Ryan havia tirado secretamente aquela foto de Emily, pela qual a guardava com ciúmes em sua mesa particular.

Sendo dois anos mais velho que ela, Ryan conheceu Emily. Ele estava em seu último ano de escola meia hora.

Quando Ryan viu a bela Emily, ele se apaixonou loucamente por ela.

Tan saiu do seu caminho para conhecê-la e falar com ela.

por causa disso, Ryan negligenciou suas notas, que começaram a cair.

Além de seus colegas espalharem boatos de que os dois já haviam

Este último foi habilmente orquestrado por todas as garotas da classe de

Eles estavam com muita inveja daquela garota que parecia um rato de biblioteca, sem brincadeira e sem graça tinha toda a atenção do lindo Ryan.

Ryan era o sonho dourado, o príncipe encantado, o cavalheiro ideal de muitos deles.

Além disso, Ryan era o capitão de

Então ele era o galã da escola.

não conseguiu parar os rumores sobre os dois.

Então Emily foi humilhada no pátio da escola, onde os alunos levaram o vestido que ela estava

Emily foi deixada sozinha de calcinha na frente de todo o corpo estudantil.

foi um escândalo e tanto Emily quanto os instigadores foram suspensos.

Por essa razão Ryan cortou todo relacionamento com Emily desde aquele dia fatídico.

Mudou-se do país para terminar seus estudos no exterior, o que fez com muito

Ryan jurou a si mesmo que voltaria e reivindicaria Emily como sua.

Além disso, ele faria qualquer coisa para compensar o que fizeram com ele.

E pelo que Ele devia a ela.

"Chefe, os investidores estão esperando por você."

Sarah comentou quando Ryan saiu do carro para entrar em sua empresa.

"Obrigado, estou indo Sarah."

Ryan entrou decidido na sala de conferências.

Sarah deu a seu chefe um sorriso

se parecia um pouco com Emily.

E isso o confortou.

"Emily, eu não ouço sua voz há meses..."

Ryan pensou olhando para Sarah.

"Eu não sou bom o suficiente para

"Você nunca me amou?"

Ryan fechou a porta da sala de reuniões com esses pensamentos negativos em sua

Ele suspirou para deixá-los para mais tarde para que ele pudesse se concentrar em seu trabalho.

Os meses passaram rapidamente.

Emily, fiel às suas novas tarefas, limpou o apartamento de Edward

Ela tinha feito chá de manhã e

E agora, ela estava feliz ouvindo música em seus fones de ouvido enquanto terminava de regar as plantas na varanda.

no início, mas acabou aceitando as pequenas mudanças que Emily havia feito.

Edward gostava de sentir o perfume de Emily em seu

Ele gostava do jeito que ela cozinhava.

Ele adorava o chá que ela fazia para ele e isso tirava

Mas então ele se lembrou de Lucy...

O coração de Edward virou pedra novamente.

"Lucy... por que você me deixou?"

"Nós estávamos nos casando."

salvou de várias maneiras, mas depois me

sempre ponderava sobre isso antes de abrir a porta de

imagem que o recebeu foi de uma Emily sorridente dançando pela sala ouvindo música com fones de ouvido e os

Ela parecia tão feliz, tão fofa...

moveu seu corpo como se

a porta e começou a desfazer

lentamente se virou e gritou ao ver

sua vez se aproximou dela, rapidamente removeu os fones de ouvido de seus

o celular das mãos dela e a

ficava muito nervosa quando estava sozinha

da pobre garota batia

não queria chegar tão perto de Emily, mas não conseguia se

cheiro da garota o atraiu com intensidade, então, mais uma vez, ele se

desabotoou sua blusa revelando seu peito

boca de Edward devorou a boca pequena

Ele gostava de seus beijos.

um sabor doce e

a puxou para sua cama e subiu em

mordendo o lábio para não gemer pelo que estava sentindo, mas Edward era muito bom

a nova posição em que ele a empurrou a deixou mais do que maravilhada com as

"Não mais... por favor..."

"Não... não... aaaah..."

Emily implorou gemendo.

"Não finja Emily."

"Eu sei que você gosta... hmmm..."

"Eu também gosto..."

"Hum..."

empurrou novamente observando a garota se contorcer de prazer embaixo

meu nome e eu termino

Edward ordenou

"Aahhh...Edward...aaahh!"

Edward não conseguia o suficiente dela.

a penetrou em diferentes posições ao longo da noite, deixando-a exausta

avó está procurando o melhor especialista para

com uma voz profunda ao lado

deitados na cama, exaustos

semanas ele chegará ao hospital onde seu pai está internado

"Obrigada."

Emily respondeu baixinho.

encarregarei de pagar a

Eduardo comentou.

"Sim?"

Emilly questionou.

você concordar em ser

quero que você esteja aqui para mim todas as

quero fazer você minha sem impedimentos, esse é o

Edward comentou alegremente.

que você sempre me

não tive nada a ver

conseguiu terminar suas palavras porque Edward

"NÃO DIGA O NOME DELE!"

NÃO MERECE PRONUNCIAR O NOME

"Desculpe... eu... eu não quis dizer..."

Emilly se desculpou.

"Vá embora."

Edward exigiu.

"Pense no que eu disse Emily."

não concordar, vou matar seu pai no hospital e ninguém poderá me

de seu pai está em suas

daqui, eu não quero mais

Emily para fora de seu quarto e fechou a

caiu de joelhos no tapete e começou

queria sair e confortá-la, mas a dor não permitia que ele

que sofrer como ele

"Emily!"

"Boa notícia!"

comentou de manhã quando Emily conseguiu voltar

diz para pegar o seu caso, mas ele me pediu para lhe dar o relógio

mais alguma coisa que eu deveria dizer

perguntou Maggie.

"Sim Magali."

e eu trocamos pertences na casa do