O amor proibido de um CEO Inútil

sprite

As avós sorriem de braços dados para a cena linda e terna que derrama mel por toda parte.

Mas ambos os guardiões como James, Maggie, até mesmo Bruce com Elizabeth têm uma calma tensa.

Todo mundo sabe o quão miserável Edward era antes com a pobre inocente Emily.

Quem mostra uma cara de total desaprovação é Duke Jens, que, pegando a irmã pela mão, deixa o partido derrotado.

Ambos juram fazer algo para vingar seu amor frustrado.

Edward, preso naquele momento sublime de amor, sente-se no paraíso beijando Emily disfarçada de Lorelay.

Ou talvez apenas Lorelay agora.

Os lábios da garota ainda estão tão macios quanto eu me lembrava deles.

Edward bebe o hálito doce de Lorelay como se sua vida dependesse disso enquanto suas mãos envolvem o corpo tonificado e definido da linda garota em seus braços.

Suas mãos adormecidas parecem acordar de sua letargia e calmamente percorrem seu pescoço delicado para pegar a cabeça da garota que a segura pelo pescoço e aprofundar o beijo que os transporta para uma época em que Lorelay amava Edward demais.

Esquecendo onde eles estão e que tem muita gente os observando, o corpo de Edward reage lembrando perfeitamente de cada canto do corpo da garota...

Cada pequena reviravolta da garota...

Cada centímetro suave da pele branca e sedutora da garota.

Lorelay sente perfeitamente como o corpo de Edward fica tenso,

como sua temperatura sobe e ela ouve perfeitamente seus leves gemidos e suspiros em sua boca, que está sendo saqueada sem hesitação.

Nenhum deles pode negar a química intensa e forte que os queima como um fogo descontrolado que percorre todas as terminações nervosas de ambos, animando cada fibra e célula de seus corpos que agora parecem se fundir em um.

No entanto, apenas Lorelay pode sentir, ver, tocar e até cheirar a união única entre suas almas.

Só ela é capaz de ver o turbilhão de energia que se cria e gira ferozmente em torno deles apertando cada vez mais o nó que os uniu por tantas vidas no passado.

Como se a festa inteira estivesse prendendo a respiração com a cena de beijo romântico e fumegante que se desenrola diante deles, todos ficam em silêncio.

Até os músicos.

Parece que estão assistindo a um filme romântico onde o herói do mesmo, depois de ter superado milhares de obstáculos e derrotado milhares de inimigos, pode finalmente dar um longo beijo na linda donzela.

A primeira a terminar o beijo, ciente de que todos estão observando suas ações, é Lorelay, que com uma atitude fria, característica de Edward, afasta as mãos do homem que a seguram com força.

Com as mãos ele acaricia o rosto dela por um segundo.

Mas depois de apenas alguns segundos olhando nos olhos extasiados de Edward, Lorelay lhe dá um tapa tão forte que o rosto de Edward vira e ele pode sentir uma dor intensa que o domina.

Todos os amigos de Lorelay riem e os meninos se cumprimentam felizes com o que acabaram de testemunhar.

As avós voltam a sorrir balançando a cabeça, pois já esperavam aquela reação da neta, então batendo palmas pedem novamente a música para que a festa continue.

"Eu mereço..."

"Isso e muito mais, mas não importa."

"Qualquer coisa que você fizer comigo eu vou aceitar."

"Devo retribuir-lhe muito sofrimento."

Edward massageia sua bochecha dolorida enquanto tenta segurar a mão de Lorelay.

Ela o empurra de lado em um movimento e corre em direção ao castelo para ficar longe dele.

O riso fica mais alto na cena, mas só Paul não ri da desgraça do amigo, embora Carolina fique encantada com a reação do amigo.

E é que todos e especialmente ela não esperavam menos de Lorelay.

Aquele bastardo merece sofrer muito, muito, por suas coisas estúpidas que custaram a Emily tantas lágrimas.

"Lorelai!"

"Lorelai, espere!"

"Emily!"

Ofuscado porque a garota não parou seu passo ao entrar no castelo, Edward tenta chamá-la, mas vendo que ela não presta atenção nele, ele a chama pelo antigo nome.

O que faz a garota parar e dar a ele um olhar diabólico.

"Agora me escute bem Edward Situ, nunca mais me chame por esse nome novamente!"

"Esse não é o meu nome verdadeiro."

"Esse nome me foi dado por meu pai adotivo quando eu era uma criança ignorante do meu passado."

"Durante esses anos em que desapareci e me mantive escondido de sua busca exaustiva, treinei muito fisicamente e mentalmente para ser uma mulher completamente diferente da garota tola e ingênua que você tanto machucou no passado."

Os garçons e as pessoas na cozinha ficam parados observando a cena que se desenrola no meio da sala do castelo.

Edward pega a mão de sua amante pelas escadas para que ele possa falar com ela em particular.

Ninguém se importa mais do que eles fazem o que têm a dizer.

"Não me sinto calmo, algo não me deixa ficar calmo."

"Johana está de volta agora, eu tenho que ter certeza que Lorelay está bem."

"Eu não posso simplesmente sentar aqui sem fazer nada."

Dániel tenta se levantar da cadeira onde está sentado com todos os outros amigos, até Paul está na mesa saboreando um canapé de caviar mais descontraído que eles deixaram em uma linda e elaborada bandeja de prata.

"Oh não, você não vai fazer nada disso Daniel."

"Eu sei que somos seus protetores, mas esta não é uma guerra que ela não possa vencer."

"Na verdade, ela se preparou por tanto tempo para enfrentá-lo, então agora ela tem que fazer isso sozinha."

Joana pára seu amante.

"Entenda meu amor."

"Também sinto aquele aperto no peito sabendo que ela pode precisar de mim, mas o que eles têm que consertar é só entre os dois..."

"E nada mais."

Johana coloca a mão na perna dele para fazê-lo sentar na cadeira.

Dániel faz isso com relutância.

Bruce também está chateado com a cena de sua irmã beijando aquele Situ e o desaparecimento de ambos no castelo, mas ele sabe que é um conflito de casal e se envolver nunca é uma boa ideia.

"Lorelay não precisa da nossa ajuda, porque já vimos que ela pode colocar aquele idiota no lugar dele."

"Agora eu peço que você se divirta."

"Este é o meu casamento!"

"Beba, coma, ria e dance!"

"Se algo acontecer, a vovó Situ seria a primeira a saber, então anime-se!"

Bruce levanta sua esposa da cadeira e a leva para a pista de dança para dançar uma música alegre e festiva.

Aos poucos o burburinho da festa retoma seu curso.

Todo mundo fala sobre os eventos que aconteceram naquele dia.

Todos comentam que este casamento será lembrado por muitos anos e gerações.

As avós caminham e conversam com os convidados, pedindo discrição e lembrando que serão os primeiros a saber se uma foto ou depoimento vazar para alguma mídia sensacionalista sobre tudo o que aconteceu na festa.

Os convidados garantem a ambos que manterão o segredo intacto com eles.

O mesmo não pode ser dito dos Laersens, que já se aposentaram, mas as avós sabem lidar com essas crianças por meio dos pais.

"Você fica de olho nas crianças, Aline?"

Vovó Freda pergunta à amiga quando finalmente se sentam à mesa para fazer uma pausa de toda a confusão e melodrama do casamento.

"Sim, eles estão no quarto de Edward neste castelo."

"Você pode sentir a energia enorme e majestosa que os cercava?"

Vovó Situ questiona sua amiga.

"Até a energia de Leila ao meu lado não parecia tão forte quanto a deles."

"Os dois são realmente muito poderosos."

"Mas seu neto ainda não entende essas forças."

Indica Vovó Freda.

"Vou ter que treiná-lo o mais rápido e forte possível para que ele possa alcançar minha neta o mais rápido possível."

Vovó Freda aceita o vinho que um dos garçons lhe oferece e bebe com elegantes goles.

"Está bem."

"Eu sei que ele ainda não está pronto ou digno do amor de Lorelay."

"Ela não vai facilitar sua vida."

"Olhe agora, eles estão resolvendo suas diferenças."

Vovó Situ mostra a ela um pequeno tablet que mostra apenas aquela sala onde você pode ver que Edward e Lorelay estão tendo uma discussão

"Você sabe que eu fiz isso porque estou cansado de você sempre perseguindo o fantasma de

"Você só fala sobre ela!"

"Parece que você só vive para ela!"

Lorelay grita com raiva.

"Mas eu sei a verdade Edward!"

"A verdade é que você quer acalmar seu terrível remorso e culpa por tudo que você fez comigo!"

"Eu conheci um Edward que era mais duro, mais feroz, mais assustador, mais inteligente e mais focado quando estava comigo!"

"Embora eu tenha que admitir que você sempre foi fácil de enganar em questões de amor, porque Lucy foi capaz de enganá-lo completamente e você caiu tão fundo na armadilha dela."

"E tudo por quê?"

porque ela estava usando este pingente no pescoço quando você

"Oh Edward, parece que você só descontou na estúpida Emily, porque mesmo com Shirley você foi mais benevolente!"

Lorelay grita suas reivindicações.

Aproximando-se de Edward com um ar de superioridade, Lorelay olha para ele com olhos raivosos para continuar contando tudo o que ela guardou em seu coração e mente por tantos anos.

Edward permanece em silêncio diante das palavras dela porque não tem como contradizê-la.

Em vez disso, ele se maravilha com o quão diferente ele

Em que mulher bonita e intrigante ela se tornou.

dizer-lhe, aquela pobre garota que você tentou tanto denegrir..."

"Aquela pobre garota que você estuprou naquele quarto de hotel com tanta força quando ela era virgem!"

"Porque você roubou minha virgindade e minha dignidade naquela noite terrível!"

"Aquela pobre garota que você poderia ameaçar e extorquir com dinheiro e seu pai moribundo no hospital..."

O ar naquela sala fica rarefeito e pesado, escurecendo a enorme sala onde os dois estão.

pobre garota que estava apaixonada por você!"

aguentou até o último momento que você a tratou apenas como um brinquedo sexual sem sentimentos quando você desconfiou de mim por causa do vídeo que Carl te enviou!"

"Aquela garota já morreu!"

"E você nunca vai recuperá-lo!"

informo que Emily Mu está

"Você ouviu aquele maldito bastardo?"

"EMILY MU ESTÁ MORTA!"

"VOCÊ A MATOU!"

você fez quando decidiu virar as costas para mim e ficar com sua

"Mas você não sabe o quanto eu gostei de matá-la em sua cela."

"Você não sabe como foi bom enterrar meu punhal profundamente em suas entranhas imundas e ver a luz de sua vida desaparecer lentamente em minhas mãos."

"Você não sabe como foi bom poder arrancar os olhos daquele seu priminho, o filho da puta inteiro que não só assassinou sua secretária..."

"Mas ele também tirou a vida do meu querido amigo e advogado Ram!"

"Você ainda é meu inimigo, Edward."

"Você é o homem que mais me machucou no passado."

"O único que me viu no pior da minha vida..."

"Denegrido,

humilhado,

manipulado,

usado para seus fins sexuais

e apesar disso..."

Lorelay para por um momento porque sua voz falha.

tão estupidamente apaixonado

"Mas como eu fui estúpido!"

que avisá-lo que o beijo que demos um ao outro mais cedo não muda

ainda te odeio, eu ainda não suporto você, eu ainda quero me vingar de você por ser tudo que você fez

eu quero fazer você pagar por perseguir fantasmas de coração fraco de

ainda quero tirar todos os seus negócios de você e quero vê-lo tão miserável quanto eu era uma vez em suas mãos

está proibido de comprar qualquer obra de arte dos meus pintores e só para

Etéreos", a pintura que você tanto ama foi pintada

isso que é tão especial

acredito que você não é capaz de apreciar plenamente minha arte, é por isso que nunca permitirei que você tenha nem mesmo uma de minhas obras em sua posse, nunca, está

você esteja se perguntando, sim, posso mudar minha voz e uso

tudo isso no começo para passar despercebido e tornar sua vida impossível, assim como você fez

me sinto muito mais confortável com esse visual e minha voz

se aproxima de Edward, que fica chocado com todas as duras

que mais a chocou foi o que ela mesma matou Carl e

ser uma pessoa pacífica, mas ela não é mais

"Ainda estamos em guerra Edward Situ."

igual a você ou posso me aventurar a dizer que sou mais poderoso que

não tenha notado, eu sou a herdeira da nobre e rica família Baek e junto com meu irmão também sou a herdeira do submundo onde eles me conhecem como Máscara

mais fortuna do que você e se quiser posso ficar com tudo o que é seu, porque tenho a aprovação de sua avó

acho que ela me ama mais do

sua alma vazia de tudo o que ela queria dizer a Edward, mas ela ainda tem algumas coisas para gritar na cara dele antes de voltar para o casamento de seu

engane, eu não estou mais apaixonado por

sinto aquele amor que

me amar do jeito que eu mereço, pois sou mulher

"mmmhhh..."

- Solte-me seu bastardo!

"mmmhhh..."

aproveitou Lorelay baixando a guarda por um momento para se aproximar dela e beijá-la com força, porque seu corpo e mente gritavam para ela

se importa com o nome que

Poderia ser chamado de Aurora,

Brenda,

Mariana,

Jennifer,

ela sempre seria a mulher que ele

seria a mulher que ele idealizou e que sob aquele traje impressionante escondido em algum canto escondido está a essência de

doce essência da jovem que ele transformou

de quem ele mal tirou a virgindade, mas agora ele valorizava aquele momento e todos os outros que passou com ela

lentamente ou fazendo-a gemer e tremer pelo prazer que ambos

afasta de Edward e tenta esbofeteá-lo

a mão dela com força e então beija sua mão até chegar em sua linda clavícula branca e delicada, onde ele faz uma pausa por alguns segundos inalando o cheiro suave de sua

nos lábios, ele a vira para que suas costas fiquem contra seu peito forte enquanto ele entrelaça suas mãos com as de Lorelay para envolvê-la em seu

certo em estar furioso comigo, eu tenho sido um filho da puta desde que te

fala baixinho no ouvido da garota que luta e tenta sair do abraço apertado de