O contrato Capítulo 77

sprite

Uma hora depois chego em Milão, e minha amiga Carolina veio me buscar, não quero ir para casa, então ela me leva ao caixa.

— Como foi em Londres e Paris? - pergunta meu amigo, muito curioso - bem, se continuarmos assim, logo poderemos chegar a Nova York.

" Sério, isso é ótimo, bem, eu já sabia disso " , ela sorriu, porque eu sei que ela também está feliz com o sucesso que tivemos.

— Sim, isso mesmo, acho que em quatro ou cinco meses podemos ir para Nova York, e com minha mãe está tudo bem, conversamos sobre muitas coisas.

— Imagino que coisas — responde meu amigo, e sorri ainda mais.

— Sim, você imagina bem e todos concordam com você.

" Sério, eu já sabia " , ela me diz com um sorriso enorme, que ela apaga quando vê que o meu muda.

- O que há de errado Alex? ela pergunta .

— Nada, é que não falei com Maximiliano, talvez não seja nada parecido com o que você e eu pensamos — ela sorri.

— não seja boba, talvez ele não tenha se comunicado com você, porque tem um emprego e porque sabe que você estava trabalhando.

— Ele veio me procurar? Eu pergunto a ela, e ela sorri ainda mais.

— O bom é que você não está interessado em nada com ele, e sim, ele foi te procurar, eu disse a ele que você tinha ido para Londres e ele não me perguntou mais, suponho que ele também deve estar ocupado ele também sabe que você estava chegando hoje.

— talvez você tenha razão, vamos ver o que acontece — vejo as ruas pela janela do carro, mas meu amigo quer saber mais — e me diga, o que você achou?

— sobre o quê? Eu pergunto a ele, fazendo de bobo.

Ela revira os olhos para Maximiliano .

" O tempo dirá " , digo a ela, sorrindo, mas ela sabe o que isso significa.

Conversar com minha mãe e Thomas sobre como eu me sentia me ajudou muito, eles e Carolina estão certos, eu deveria dar outra chance ao amor, só espero que desta vez eu não esteja errado.

Chegamos em casa, Carolina Noe queria nos levar para a oficina, ela foi para a cozinha preparar o jantar, e eu fui para o meu quarto tomar um banho relaxante, coloquei meu pijama, saí por quatro dias, o que me ajudou muito. , pensar e esclarecer minhas ideias, e saber o que quero na minha vida, e se, se quero ser feliz, quero amar e me sentir amada.

Meu amigo e eu jantamos bem e depois do jantar fomos descansar.

•••

No dia seguinte, levantei-me como de costume, e fui para minha oficina, já era meu hábito chegar antes dos outros trabalhadores, e até antes de Carolina e por isso a deixei em casa, mas nunca imaginei encontrar Maximiliano esperando para mim de novo.

Assim que me vê chegar, desce do carro e me cumprimenta me dando um beijo na bochecha, ato que retribuo, mas ao mesmo tempo me faz corar.

Vamos para a oficina e preparo duas xícaras de café, pois lembro que não tomei café da manhã e meu amigo virá me repreender. Sento-me à minha mesa para saborear meu delicioso café, que espero que ele goste.

— Como foi sua viagem? — ele pergunta — muito bem, está tudo perfeito, em breve poderemos expandir mais, mas Carolina pode explicar isso para você com mais detalhes.

— Não tenho dúvidas disso — dou-lhe um sorriso, é impressionante como ele confia em nós, e nem eu nem Carolina faríamos nada para decepcioná-lo, ele foi o único que nos apoiou e sou muito grato.

Ele fica sério e me olha nos olhos — Alexandra, senti falta da sua companhia esses dias que você esteve longe de Milão.

Toda vez que ele me surpreende, como ele é direto ao me contar as coisas e eu gosto disso, o que ele faria se soubesse que eu também sinto sua falta, já me acostumei com sua companhia e há momentos em que gostaria de poder vê-lo todo dia. Mas ele apenas sorriu, eu sei que estou errado em não ser direto como ele é comigo, mas eu quero ir devagar, e ver o que acontece com o tempo.

- Bem Alex, eu só queria te ver, se cuide até mais tarde - ele sai do meu escritório

Carolina esbarra nele, mas ela está tão brava comigo que ela apenas acena para ele e começa a me repreender.

" Você pode dizer, por que diabos você sai de casa sem nada na barriga ?" Sorri, mas noto que Maximiliano para no meio do corredor.

- Carolina, não acontece nada, agora vou comprar alguma coisa - Carolina está tão chateada e pior ainda Maximiliano não se mudou de onde ficou e está ouvindo tudo.

— Você sempre diz isso, sai de casa sem tomar café, tenho medo que aconteça com você o que aconteceu da outra vez e agora se a gente te perder — Eu sei o que Carolina está passando, ela me ama muito.

— Eu... eu conheço Carolina, não vou fazer isso de novo. Digo e vejo como Maximiliano nos aborda.

— você sempre fala isso, acha que eu não percebo, quando você sai de casa sem comer, e depois come aqui depois do expediente — ela está chorando e eu a abraço.

Me desculpe, eu prometo que não vou fazer isso de novo.

Maximiliano já está conosco — o que você não comeu no café da manhã, vamos, convido você para o café da manhã — minha amiga balança a cabeça e ainda soluça.

— Não senhor D'lucca, é ela que precisa de café da manhã, eu já fiz isso — ele sorri.

— bem, então vou roubá-lo de você por um tempo — minha amiga acena com a cabeça e nos deixa — tudo bem, vamos — ela pega minha mão, não tenho nem tempo de recusar, e saímos da oficina.

Entramos no carro dele e vamos para uma cafeteria, que fica a uns quinze minutos da oficina, sempre compro café aqui, então vocês já me conhecem.

" Bom dia, senhorita Alex, bom dia, senhor " , a garota no balcão nos cumprimenta com um sorriso.

— seu café de sempre? Ele me pergunta , e eu aceno com a cabeça e percebo que Maximiliano está olhando para mim.

— Você poderia me dar a carta — ele pede à garota e ela a entrega a ele.

Aqui está senhor — ela entrega a ele, e assim que tem o cardápio na mão me leva até uma mesa, vejo que ela está olhando e o garçom traz meu café — aqui está senhorita Alex, aproveite .

" Eu dou um sorriso para o garoto.

- Bem, o que você vai pedir? Eu pergunto a ele, e ele me olha com aqueles lindos olhos castanhos.

- na verdade eu nada, a carta é para você.

- Não, estou bem.

, por favor. —

— ok.

Pedi um sanduíche e um coquetel de frutas, enquanto esperávamos, ele começou a me fazer perguntas.

Posso perguntar a que Carolina se referia, para ela não querer perder você.

e meu maldito nervosismo — eu... É... Mm... Algo que aconteceu comigo no passado e não quero me lembrar.

era tão sério ir a tais extremos.

bem naquela época eu não pensava muito bem nas coisas, tudo que eu queria era esquecer tudo e focar no trabalho e nos meus estudos, eu me pressionava tanto, que isso me trouxe consequências e eu estava prestes a morrer .

Eu vejo como ele tensiona as mãos.

- isso significa que, se isso tivesse acontecido, eu não teria conhecido você e não estaríamos aqui conversando.

pode ser, mas eu entendi, que a vida dá muitas voltas, às vezes você faz planos e acha que vai passar o resto da vida com uma pessoa e a vida te dá um tapa, dizendo que não é

Então eu penso o que eu disse, oh! Por Deus, eu disse ou pensei. O garçom chega com meu sanduíche, mas agora até meu apetite se foi.

– com o qual ele foi um homem.

Eu e essa gagueira que sempre aparece quando estou nervosa — eu... Não...

Calma, se você não quer conversar não tem problema, mas quero que saiba que nem todos os homens são iguais.

Eu coro com o seu comentário, eu sei disso muito bem, mas como dizer a ele o que sinto, ainda sou um pouco tímida, acho que meu nervosismo e timidez é a única coisa que não mudei, embora Carolina sempre diga o que eu deveria ser mais ousado.

ser claro com você — diz ele e olho em seus olhos e com mil borboletas no

fui direto com você, mesmo assim quero dizer que gosto muito de você — ele pega uma de minhas mãos — não sei, o que aconteceu com você, mas o passado já passou, Alex dê me a oportunidade de te mostrar que sou diferente — eu... - Droga ele gagueja nesse momento, ele aproxima sua cadeira, para ficar bem na

Não diga nada, apenas me escute " , eu aceno e continuo olhando em

ter algo legal com você, quero ser o motivo dos seus sorrisos, quero estar com você, sei que parece loucura, mas desde o dia em que te conheci você cometeu um erro, e esses dias que você estavam longe, me fizeram perceber que não posso mais ficar sem você Alex, você me daria a oportunidade de tocar seu coração? Seria minha

bate mil vezes por hora, uau, esse homem se atreveu a me dizer tudo isso na frente de muitas pessoas, que começam a me encorajar a dizer sim, eu gosto muito dele, quero estar com ele, então vou t perder esta

olho para todas as pessoas ao redor do café e todos, homens e mais mulheres, claro, me incitam a dizer que sim, de alguma forma algumas lágrimas escapam dos meus olhos, ele me disse todas essas coisas e fez meu coração ainda mais alto, Eu aceno com a cabeça e ele se levanta e me levanta, me dá um abraço e uma vez que estamos nos abraçando, ele sussurra no meu ouvido – você verá que eu nunca vou te

em seus braços quentes me faz esquecer tudo, ele se afasta de mim e beija minha testa — Alex, você me faz o homem mais feliz do mundo — apenas sorri, não posso dizer uma palavra, estou Nós só viemos para o café da manhã, e agora eu vou sair com um namorado que eu amo, eu só pensei nisso,

café e ele me leva de volta para a garagem, quando chegamos ele sai do carro comigo e antes de entrar pega minha mão e me puxa para ele e me

À tarde, eu te pego, ok - beija minha testa novamente - ok - eu respondo, vejo que ele sorri, mas não sei

o vejo entrar no carro e ele não sai até eu entrar na garagem, meu coração ainda está batendo forte, eu tento ir para o meu escritório, mas minha amiga me para e me leva para o escritório

— Você ficou tão fofo, Alexandra.

que você está falando ?" Digo um

você e Maximiliano — isso explica o sorriso de Maximiliano, ele percebeu que Carolina estava olhando

é o que eu... Bem — no final eu termino de contar tudo para minha amiga e ela grita

Nossa, ele disse tudo isso na frente de tanta gente, ele realmente quer tudo com você, e é bom que você finalmente decidiu, eu sei que você vai ficar muito feliz, fico feliz

pouco — mas você sabe que sou novata nessas coisas, nunca tive namorado, nem namorei um cara, e quando eu me casar você já sabe muito bem

— O quê! quero dizer com...

Sim, acabamos de nos casar e pronto — suspiro, isso é novo para mim, e a verdade é que não sei

- Você não me disse isso.

não é o caso, o negócio é que eu não sei o que

— você se deixa levar, as coisas vão acontecendo aos poucos, você vai