PRESA COM O TRAFICANTE (MORRO) Episódio 12

sprite

ALEMÃO NARRANDO

Assim que eu cheguei na cozinha, eu fui comer um pouco, afinal eu estava varado de fome, mas quando eu acabei eu subi para o meu quarto, precisava descansar, eu teria que me acordar muito cedo no dia seguinte para poder resolver minhas paradas e ir ao baile a noite, então quando eu acabei de comer eu subi para meu quarto, tomei um banho, fiz minha higiene e me joguei na cama, eu estava ficando tão na neurose que eu fiquei irritado só de lembrar que eu tenho uma ladra dentro da minha casa, uma caloteira que quer me da o golpe do malote, mas ela vai se foder, se eu fizer o máximo que eu conseguir para destruir ela eu vou fazer, além de escrava ela será minha e eu farei isso com mais investida, primeiro ela me deu a buceta e agora se faz de santa? Isso comigo não cola e eu não vou permitir isso. Então assim que eu me acordei, eu me levantei e fui direto para o banheiro, eu precisava de um banho para poder ficar espero, e o melhor de tudo é saber que tudo o que estou fazendo é para me manter bem atento a tudo, então tomei o meu banho na melhor paz do mundo, quando eu acabei de tomar banho desliguei o chuveiro e sair do box, ao sair eu ligo caminhei até a pia e comecei a fazer a minha higiene pessoal, ao acabar eu me retirei do banheiro e fui em direção a cômoda, assim que me aproximei da mesma peguei uma cueca e vestir, em seguida fui ao closet, peguei uma roupa e me vesti, ao acabar de me vestir eu coloquei um pouco de perfume e sair dali, eu fui direto para o andar de baixo e assim que cheguei lá eu fui a cozinha, e minha mãe estava lá, eu fui até ela peguei um pedaço de bolo, e lhe dei um beijo.

Mãe: Bom dia, filho. - ela fala assim que lhe dou o beijo.

Alemão: Bom dia minha rainha. - digo sorrindo, e como o pedaço de bolo.

Mãe: Dormiu bem? - ela pergunta e eu apenas confirmo.

Alemão: Dormi sim mãezinha, agora tenho que ir porque tenho muita coisa a resolver hoje. - digo e saiu dali comendo um pedaço de bolo. Vou caminhando até a minha moto e ao me aproximar a puta da Mirielle ia passando ali, ela ao me ver se aproximou e passou as mãos no meu abdômen.

Mirielle: Bom dia gostoso. - ela diz sorridente.

Alemão: O que é que tu quer agora cedo? - pergunto bolado.

Mirielle: Nada, eu só queria curtir um pouco contigo. - diz sorrindo.

Alemão: Qual é o dia mesmo que tu não quer sentar pra mim? - pergunto sorrindo.

Mirielle: Impossível não querer sentar pra você, você tem um pauzão do caralho. - ela diz toda se insinuando.

Alemão: Hoje tem baile, apareça lá no camarote, vou te dar o que você quer porra. - digo e ela morde os lábios.

Mirielle: Estarei lá. - diz e eu ligo a moto, acelero a moto e saiu dali, eu estava bem frenético, hoje é dia de curtir pra caralho. O que não demorou muito que eu chegasse na boca, e assim que risquei lá, a mãe da Flora estava em frente a minha espera, a mesma estava com os olhos vermelho, o que suponho que ela havia chorado.

Alemão, por favor, me der um minuto. - ela diz em um tom de súplica.

bem, fale comigo. - digo sério e ela se aproxima assim que eu desço da moto.

Fátima: Tenha piedade de mim, e me deixe ver a minha menina, a Florência não tem culpa das atrocidades da irmã. - ela diz e eu acabo rindo.

Alemão: Oh tia, você tá me querendo tirar por otário? - pergunto sério e ela nega com a cabeça. - Você tá achando que eu não sei que aquela lá é a Flora? Porque se realmente ela é essa ai que tanto falam porque caralho a outra não está no morro, mas existe provas que são gêmeas como você fala? - pergunto sério.

Aquela lá é a Florência, e eu não sei como te provar, pois eu não tenho fotos, eu não tenho essas coisas, eu as criei no convento, a gente morou lá desde que elas nasceram, então não tenho como te provar da existência da outra, a não ser que você queira ir comigo no convento, as irmãs são incapazes de mentir, e além do mais, não tem porque está mentindo. - ela fala com lágrimas nos olhos.

Olha, já perdi tempo demais com a senhora me amolando, agora tenho coisas mais importantes. E eu não perco tempo em indo nesses lugares, se é que a senhora me entende. - digo sorrindo, e a deixo ali plantada, eu estou de saco cheio de todos acharem que podem me manipular nesse caralho, eu estou surtando

ali pensando e entro na boca, eu vou até a minha sala e começo a organizar o que falta para o baile, o MG apareceu ali todo sorridente porque hoje é dia de bailão, e comer várias putas, o que é o melhor da semana, e só assim eu vou esquecer aquela garota ridícula que todos gostam de defender. O que me deixa com mais raiva é que esses filhos da puta invés de ir fazer o que mando, esperam eu ir atrás de fazer as coisas, então me levantei e fui fazer as distribuições das mercadorias, afinal hoje é dia de lucrar muito, então no meio do caminho de volta pra minha goma, depois da distribuição, eu coloquei um pouco de pó na palma da minha mão e cheirei um pouco, como já estava na garagem de casa, eu desci da moto e entrei em casa, eu estava doidão, tão doido que eu subi para o quarto dela, e ao chegar lá ela estava só de toalha, e eu não sei o porque mais eu queria o corpo dela, eu queria a buceta dela, então quando eu me aproximei eu tentei de todas as formas mas ela segurava a toalha com tanta força, que de repente a minha prima apareceu ali e eu acabei saindo do quarto dela e voltei para o meu, então eu me joguei na cama e acabei dormindo, eu estava malucão e dando risada a toa, que acabei dormindo. Quando eu me acordei já estava na hora de ir para o baile, então eu fui até o banheiro, tomei um banho rápido e me retirei do banheiro ao acabar de tomar meu banho, fui ao closet, peguei uma beca do caralho, me montei todo e sair dali, cheguei no andar de baixo e minha prima estava

na sua caminhada. - diz e eu

você cuidado, na sua caminhada, se não eu posso te matar. - digo sorrindo e saiu dali deixando ela lá. Caminho até a minha moto, monto na mesma e dou partida para a quadra, acelero a moto e logo no meio do morro o movimento estava insano, o morro estava frenético, e eu estava gostando daquilo, então assim que cheguei na quadra eu estacionei a moto e fui andando ao ir entrando na quadra, a Vanessa estava ali e a Mirielle também o que me fez da risada, eu fui passando e as duas me acompanharem, eu subi no camarote e fiz toque com os caras, e elas

E aí irmão. - ele fala fazendo toque

Essas putas não saem do seu cós porra. - diz e dou risada, fazemos toque e ele me da um copo com