Erro que Inicia romance Capítulo 408

Jensen se assustou. "Todos eles foram pegos?" ele perguntou, alívio evidente em sua voz.

"Sim", respondeu o interlocutor.

"Ótimo. Fique de olho neles e interrogue-os amanhã de manhã. Lembre-se de detê-los separadamente. Então acho que não temos que trabalhar horas extras hoje."

"Mesmo?" exclamou o interlocutor surpreso. "De jeito nenhum! Não está fazendo hora extra?"

"Sim. Agora vá embora," Jensen desligou o telefone com isso.

Alice o ouviu dizendo que não teria que fazer hora extra.

Ela o encarou com os olhos arregalados.

Jensen colocou o telefone de volta no bolso e caminhou em direção a Alice, segurando a mão dela. "Chega de trabalho. Vamos para casa."

Alice ficou intrigada. Ver a grande mão de Jensen envolvendo a dela com força derreteu seu coração.

Ela respirou fundo e perguntou: "Por que isso? É tão repentino."

"Bem, nós prendemos os criminosos. Não há pressa."

"Então, você não precisa voltar para a estação agora?"

"Sim. Eu quero voltar com você agora", declarou Jensen. Ele inclinou a cabeça para olhar para Alice e a conduziu até o carro.

Alice respirou fundo para acalmar seu coração acelerado.

Logo, eles voltaram para o distrito de Hart Villa.

Assim que Alice entrou em casa, ela foi direto para o quarto, querendo tomar um banho.

Jensen rapidamente a agarrou por trás e a puxou para seus braços, abraçando-a com força.

"Alice, por que você está com tanta pressa?"

Com seu corpo colado ao dele, Alice podia sentir as mudanças óbvias em seu corpo. "Eu vou tomar meu banho."

Jensen ficou tenso. Era evidente que ele estava sendo impulsivo.

Alice não ousou se mexer.

Ela ficou ainda mais frustrada naquele momento. Se ela não conseguiu desta vez, o que mais ela poderia fazer?

No entanto, ela teve que entrar no banheiro e tomar o remédio.

Ela só podia fazer o seu melhor e deixar o resto com Deus.

No entanto, Jensen ainda a abraçava com força, dizendo baixinho: "Alice, não preciso que você faça isso. Vou superar isso e deixar você entender meus sentimentos por você. Ainda temos um longo caminho a percorrer. Então, não Não se preocupe comigo. Você só vai me conhecer melhor depois que tivermos passado bastante tempo juntos."

Suas palavras derreteram seu coração.

Alice sabia que Jensen era na verdade uma pessoa de bom coração.

Ela assentiu. "Deixe-me tomar meu banho primeiro, ok?"

"Tudo bem." Ele finalmente a soltou.

Alice pegou uma garrafa de água e foi para o banheiro.

Segurando uma caixa na mão, Jensen observou-a entrar no banheiro com um olhar gentil.

Ele olhou para a caixa. Percebendo que era realmente um sedativo, seu coração doeu.

"Que garota boba ela é", pensou Jensen.

Ele não esperava que ela tivesse um plano B. Além do da sex shop, ela comprou até sedativos.

Se ele não a tivesse abraçado no momento anterior, não teria sentido algo em seu bolso da frente. Pensando que poderia ser remédio, Jensen o retirou discretamente. Sua suspeita foi confirmada depois de olhar para a caixa de comprimidos.

Ele começou a lavar as mãos, voltou e sentou-se no sofá esperando por Alice.

Trazendo a garrafinha de água com ela, deve estar querendo tomar o remédio no banheiro.

Com certeza, a porta do quarto se abriu menos de um minuto depois que Jensen se sentou.

Alice saiu da sala com a garrafa aberta de água na mão.

Ela olhou ao redor ansiosamente, seus olhos escaneando desde a entrada principal até o quarto.

Mas ela não conseguiu encontrá-lo.

"Onde está o remédio?" ela imaginou.

Quando ela começou a se sentir ansiosa, seu olhar caiu sobre Jensen que estava sentado no sofá, olhando para ela. O olhar em seus olhos era tão complicado.

O coração de Alice apertou e ela estava uma pilha de nervos. Ela disse instintivamente: "Você..."

Então, ela parou abruptamente.

Ela não sabia o que dizer.

Jensen deu um tapinha no assento ao lado dele e disse: "Venha aqui."

Alice balançou a cabeça, dizendo: "Não, eu não tomei meu banho."

"Então, o que você está procurando?" Jensen perguntou.

O coração de Alice se contraiu. De repente, ela percebeu que Jensen estava insinuando algo.

Ela olhou em volta e viu a caixa de remédios na mesa de chá imediatamente. Instantaneamente, tudo se encaixou. Ele sabia disso.

Jensen olhou para a caixa e disse: "Isso é seu?"

Alice só podia morder a bala e se aproximou. Ela acenou com a cabeça, "Sim, eu comprei."

"Alice!" Havia um traço de pesar na voz de Jensen, mas mais de dor. "Se eu soubesse disso, não teria contado a você."

"Eu faço isso por minha própria vontade", explicou Alice. "Eu queria comprá-lo. Não quero que as coisas continuem assim, Jensen. Quero tentar o meu melhor para mudar a situação."

Então, ela abaixou a cabeça, sentindo que sempre esteve abaixo dos outros.

Jensen sabia o que ela estava pensando.

Ele puxou Alice e a deixou sentar em seu colo. Abraçando-a gentilmente, ele disse: "Alice, não há necessidade de se preocupar muito com esse assunto. Mais pressa, menos velocidade."

Jensen não queria forçar. Por todos esses anos, ele foi inundado pela culpa. Agora que havia encontrado Alice, ele podia esperar.

Afinal, ele não era um homem que se preocupava apenas com isso.

Jensen teve que admitir que tinha vontade mesmo quando estava simplesmente abraçando Alice.

No entanto, ele acreditava que, se eles não tivessem colocado suas almas no relacionamento e se amassem genuinamente, seriam apenas momentos fugazes de felicidade. Seria sem sentido.

Além disso, ele acreditava que, se trabalhasse bastante e fizesse todos os esforços, Alice abriria seu coração para ele.

Instantaneamente, o coração de Alice suavizou.

Seus olhos começaram a embaçar um pouco.

Ela lutou contra as lágrimas.

Ela fungou e descansou o queixo no ombro de Jensen, dizendo baixinho: "Obrigado, Jensen Charm."

Quando Jensen a ouviu se dirigir a ele assim, ele deu um sorriso irônico.

Ele estendeu a mão para segurar a mão dela, apenas para sentir suas palmas suadas.

Ela deve estar se sentindo tão tensa.

Vendo como ela começou a suar frio, Jensen percebeu que ela estava se esforçando para superar sua barreira mental.

Ele mudou o corpo de Alice e a encarou diretamente. Seu olhar profundo e gentil fixou-se em seus grandes olhos lacrimejantes.

"Você está com medo?" ele perguntou.

Ligeiramente atordoada, Alice balançou a cabeça.

"Suas palmas estão tão suadas." Jensen segurou a mão dela e mostrou a ela. "Eu pensei que você estava com medo de mim."

Ela imediatamente balançou a cabeça. "Claro que não. Só estou um pouco nervoso e animado."

Ela estava tão ansiosa para ter sucesso que inconscientemente ficou ansiosa. Ela não esperava que sua palma estivesse coberta de suor. Foi realmente embaraçoso que Jensen tivesse visto isso.

O coração de Jensen se contraiu de dor. Ele soltou um suspiro e disse: "Você é realmente uma garota boba."

"Garota boba?" Alice fez beicinho, seus lábios vermelhos parecendo fofos. "Eu não sou tão bobo, ok?"

Jensen olhou para ela com um sorriso e sussurrou em seu ouvido: "Aos meus olhos, você é uma garota pura, adorável e boba."

"Mas, e se eu ainda não conseguir?" Alice ainda estava cheia de culpa.

"Venha. Deixe-me mostrar-lhe uma coisa", disse Jensen enquanto a levantava.

"Mas eu quero tomar meu banho," Alice murmurou.

"Você não tomou banho esta tarde? Agora de novo?"

"Sim", ela respondeu.

"Não seja uma maníaca por higiene," Jensen sorriu e a levou para o escritório.

Jensen ligou seu laptop e clicou em um arquivo de vídeo.

Alice perguntou surpresa: "O que estamos assistindo?"

"Um filme de ação a dois", disse ele.

Comentários

Os comentários dos leitores sobre o romance: Erro que Inicia