Gravidez inesperada capítulo 48

sprite

-Só falta aquela ali. Isa fala e vou pegar, a última mala, a mãe dela está triste porém animada também, ela já desejou toda a felicidade do mundo para nós dois, só está triste por que não irá ver o Lucas como antes, mesmo nos falando que ela pode ver ele quando ela quiser.

-Não será a mesma coisa. Ela fala pegando o pequeno no colo

-Mamãe, sabe que será sempre bem vinda na nossa casa. Isa passa o braço por minhas costas me rodeando.

-Eu sei, e mesmo que eu esteja fazendo todo esse drama, eu fico muito feliz por vocês dois, foram tantas coisas, tantos dias ruins até vocês finalmente ficarem juntos e felizes. Ela fala dando cheiro no Lucas que sorrir para a avó.

Ela acompanhou nos, até nossa casa, Isa assim como eu estamos muito felizes, espero que eu possa ver esse sorriso sempre em seu rosto, quero poder fazer ela a mulher mais feliz do mundo, quero poder dizer todos os dias o quanto eu amo seu sorriso.

-Vou ver se sua governanta precisa de ajuda, ainda não decorei o nome dela, mais logo vou me lembrar. A mãe da Isa fala se dirigindo para a cozinha.

-Já falou para seus pais sobre essa mudança? Isabelly pergunta olhando para o Lucas

-Não, eles não precisa de muitos detalhes da minha vida. Falo pegando a mala e indo para o meu quarto.

Subo os degraus e quando estava no último vejo ela vindo atrás de mim, sei que vem sermão pela frente, Isabelly tem o instinto de proteger até mesmo as pessoas que à faz mal, minha mãe fez coisas absurdas e mesmo assim ela ainda a defende, eu sei que ela está doente, mais não preciso está encima dela todo tempo, ela não precisa da minha pena, mamãe precisa aproveitar cada minuto de sua vida, e tenho certeza que eu e Henrique não poderíamos dar isso a ela estando no mesmo ambiente.

-Henry...

Faço de contas que não estou ouvindo e continuo caminhando.

-Henry Bennett eu sei que está me ouvindo, e não adianta fazer essa cara de desentendido, ligue para seus pais, fale que já estou morando aqui, e que o jantar de noivado será no fim de semana. Isabelly ordena, porra eu poderia ficar muito bravo por ela me ordenar algo, mais é totalmente ao contrário, o desejo que eu fico por ela ser tão mandona é sem explicação.

-Tudo bem, eu vou fazer isso, mais eu quero algo em troca. Falo e ela arquear a sobrancelha.

-Não está no direito de pedir nada, está no dever de avisar aos seus pais que agora é um homem casado. Ela fala e puxo ela lentamente para meus braços.

-Fala isso de novo. Peço

-Falar o que? Pergunta confusa

-Que eu sou um homem casado. uma risada gostosa sai de sua boca

-É isso mesmo senhor Henry Bennete, você agora é um homem casado, e tem uma mulher bastante ciumenta pelo que eu sei. Isa me dá um beijo e depois sai dos meus braços, ela caminha devagar a porta e fico apenas admirando seu corpo escultural.

Deixo a mala no closet e desço as escadas, a mãe da Isa está com o Lucas, aviso que estou de saída e pego as chaves do carro.

favor. Isabelly fala assim que chego a porta, sorrio mesmo sem olhar para ela.

até a casa dos meus pais é rápido, não por que eu esteja correndo, e sim por que a casa deles fica a dois quarteirões da minha. Saio do carro e caminho devagar até a grande porta de madeira, adentro sem nenhuma cerimônia, vejo alguns dos funcionários fazendo a limpeza, subo as escadas, a porta do quarto de mamãe está semiaberta, adentro e vejo a porta do banheiro fechada, mesmo a casa sendo forrada, ouço seu choro, ela sente dor, por isso não venho muito aqui esses dias, ela se recusa fazer tratamento, eu vejo ela morrendo todas as vezes que venho aqui, sinto como se todas as vezes que dou um beijo em sua testa antes de sair fosse o último, como se fosse um adeus, esse sentimento me corrói por dentro, tenho medo de receber uma ligação anoite, e falarem que foi ela quem

Bato na porta, ela responde um já vai fraco, me recrimino por não está vindo aqui

tudo bem? Ela segura minha mão e passa a outra em

sim, vim ver como a senhora está. Falo e dou um beijo em sua testa, mamãe sempre foi uma mulher vaidosa, sempre gostou de usar salto, joias, e nunca lhe faltou uma maquiagem básica no rosto, mas agora ela mal veste uma roupa e penteia os cabelos, ela está cada dia mais distante da mulher perfeccionista que eu conhecia, o que a doença faz com o

pensativo, aconteceu algo? Ela pergunta sentando na poltrona, sua mão direita faz massagem nas

a senhora e o papai para meu jantar no fim de semana. Falo e ela