Meu Senhor Capítulo 36

sprite

Arthur Albuquerque

Almoçamos no clube, depois de jogarmos a manhã toda e tomarmos uma chuveirada. As meninas conversaram bastante, dava pra ver a animação delas.

É importante para uma submissa que tenha uma rede de amigas, mesmo que seja apenas para trocarem mensagens uma com a outra. É importante a troca de experiência entre elas e a conversa. Não se iluda achando que elas vão conversar conosco sobre tudo, porque não vão. Existirá sempre questões internas que podem causar traumas ao longo prazo. Essa troca de experiências é fundamental.

O almoço foi muito agradável, até conseguir esquecer do Sílvio por alguns momentos. Agora estou no meu quarto, apenas de cueca esperando ela chegar.

Pela primeira vez ela entrará aqui.

Demorei para trazê-la em meus aposentos na sua ala, pq no começo o que tem aqui dentro poderia causar uma impressão ruim sobre mim. Mais agora acho que está na hora de ela conhecer,  um pouco mais sobre o seu dominador.

Me sento na beirada da cama e espero. Pedi para que ela tirasse sua roupa e viesse até aqui, e isso faz cinco minutos.

Tudo relacionada a ela me deixa ansioso! Ainda não consegui esquecer os seus questionamentos em relação as minha decisões. Isso me irrita profundamente.

Eu disse que gosto de ter tudo do meu jeito. E quando uma submissa questiona minhas decisões, ela está desrespeitando uma das minhas preciosas regras que o controle é absolutamente meu. Ela precisa confiar em mim, e pra mim isso é falta de confiança.

Mais uma razão para trazê-la aqui no meu quarto.

Ela bate na porta.

-Entre Duda, estou sentado.

Ela na mesma hora se abaixa, e vem engatinhando em minha direção de cabeça baixa.

-No meio das minhas pernas, de costas para mim.

Seguro no seu no ombro e pego no seu queixo o levantando.

-Olhe pra frente ...

Quando ela olha, dá pra ver em seus olhos a surpresa.

Eu tenho uma parede com um monitor de setenta polegadas divididos em pequenos vídeos. Que pegam toda a Ala dela.

Com todos os ângulos de cada ambiente. Ela fica tão chocada que faz um “o” com a boca. Eu sorrio...

-Tá vendo do que sou capaz bonequinha? Não tem como se esconder de mim, mesmo tentando.

Pego o controle na cama e enquadrinho a sua cozinha. Ali vemos a Açucena preparando um lanche que eu pedi a ela, espremendo as laranjas para fazer o suco.

Depois pego a câmera do banheiro dela e amostro que posso ver pelos todos os ângulos.

-Fora esse telão, ainda tenho uma tela no escritório menor, e no meu celular também tem como eu ver. O que me ajuda, bastante quando estou fora do casarão. Não tem para onde fugir de mim bonequinha... Eu só não comando seus pensamentos, mais se vc os espressar eu saberei. Seja pela sua fisionomia ou palavras. Vc é muito transparente para mim.

Seguro seus cabelos que estão soltos, os trago para trás nas costas e começo a alisar sua nuca. Ela está sem colheira por causa da pele irritada pelo couro. Então eu tenho a pela nua sobre meus dedos.

Vejo que ela estremece e fica toda arrepiada. Tão sensível!

-Eu tenho tudo sobre controle docinho... O que não posso ver, gravo para ver depois. Entendeu agora? Isso é o verdadeiro significado da palavra voyeurismo...

-Sim, meu Senhor!

-Não vai mais esquecer disso?

-Não meu Senhor...

-Boa menina. Gostou do dia de hoje?

Ela confirma com a cabeça, ainda olhando para o telão e eu acariciando a sua nuca.

-E as meninas... Conversaram bastante?

-Sim, Camila é uma graça... E fiquei feliz por Sabrina está mais próxima de mim.

-Falei com o Paulo e Bernardo, eles permitiram que vcs se falem diariamente por mensagem. Quero que vc estreite laços com elas, vai ser mais fácil quando jogarmos.

-Sim, meu Senhor.

-E o Silvio, Duda... Já o conhecia?

Ela enruga a testa e olha pra mim...

-Não meu Senhor! Nunca o vi na vida...

-Não quero vc perto dele, entendeu?

Ela confirma com a cabeça.

-Se chegar perto e eu não estiver presente se afaste e pessa para Ítalo tomar uma providência. Ele não é uma pessoa confiável.

-Ítalo será meu segurança?

-Sim bonequinha, ele passou no teste hoje. Pode confiar nele para te proteger.

Ela confirma com a cabeça.

Ítalo foi impecável. Não perdeu ela de vista um minuto sequer, e a vigiou para que outras pessoas não chegassem perto delas. Estou muito satisfeito!

sempre no clube encontrar com eles?

-Se não tiver compromisso no dia, sim. Por quê?

-Porque eu gostei de ir, fazer parte de sua vida e de seu ciclo de

Ela nunca teve isso na vida. Seus amigos eram internos do internato, e na verdade nem eram amigos. Todos estão de passagem.

Compreendo que fazer parte de algo, para ela é especial. Sorrio...

-Agora se vire, quero que vc me agrade pelo dia prazeroso que te dei apesar de ter me aborrecido com sua insolência hoje de manhã. E eu não esqueci... Vc vai continuar de castigo até amanhã.

Ela se vira abaixando a cabeça e mexendo com as mãos nervosamente no colo.

Eu me levanto, tiro a  cueca e me sento novamente em sua frente.

acarinhar seu rosto,  enfio um dedo em sua boca. Entro e saio... Seguro sua nuca segurando o cabelo junto e vou aumentando o número de dedos na sua boca, até ter quatro dentro dela. Esfrego vou até a garganta e volto. Ela faz ânsia de vômito e eu a aperto com o olhar. Ela se concentra e continua linda, obediente e

mãos toda babada e esfrego no meu pau, levando sua cabeça até ele e entrando todo dentro de sua boca. Forço bastante na sua garganta. Hoje tem alguém que vai ficar com a garganta doendo, pq pretendo fazer isso a tarde e a

junto? Vou... Principalmente essa boquinha gostosa que é a

de castiga-la pela insolência, vou treinar o meu auto controle. Coisa que é bem importante, já que eu não tenho nenhum em relação

sua cabeça e me levanto, indo para o centro da minha cama e me sentando escostado nós travesseiros, me masturbando e olhando para

-Vem docinho, de quatro...

subindo na cama de quatro.

brincar hj o resto do dia... Vc de garganta profunda e eu de te torturar. Depois que eu me cansar, vou fazer uma cama pra vc no chão e vc vai dormi ali... (Aponto para o canto da cama) Quem sabe assim vc não aprende, que vc não deve se meter com assuntos que não são da sua conta. É para o seu bem Duda, duvido que vc vai se esquecer disso

Ela abaixa a cabeça e diz:

-Me perdoe meu Senhor.

Aliso sua bochecha e digo:

funcionam comigo docinho... Se lembre

sua nuca e encaminho sua boca para meu pau novamente. Levanto até a garganta dela e ficando lá, socando até eu não

isso algumas vezes. Lágrimas molham as sua bochechas e já está toda

respiração está difícil mais não

Aliso seu cabelo e falo.

Duda. Deite aí.. Isso

com as costas em cima do meu pau e cabeça em minha barriga no meio das minhas