Nosso Passado Capítulo Cinco - 7

sprite

Parte 7...

— Você é incrível sabia? Insiste no erro quando a verdade é óbvia e está na frente de seu nariz - balançou a cabeça Mas tudo bem, você nunca me amou mesmo. Foi só o seu tesão - ela riu de leve — Tudo bem. Amor e confiança ficam no mesmo nível e você não tinha nenhum dos dois por mim. Continua um filhinho da mamãe - ela ironizou.

— Você tem problemas de auto - confiança - ele apertou as mãos — Minha mãe não dá tanta atenção assim a você.

— Sabe - ela apertou os lábios — É uma pena que você queira viver iludido. Não faz ideia do quanto sua mãe me prejudicou - ela inclinou a cabeça de lado — E você não sabe o que perdeu por causa disso.

— Você? - ele ergueu as sobrancelhas irônico.

— Você não presta também - disse de modo frio — Mas já está perto de saber a verdade e vai entender o quanto foi caro o que elas fizeram você perder. Vá embora, Mathias.

Ela fechou rápido a porta sem esperar a resposta e sentou no chão tremendo. Ficou ali até ouvir o som do carro se afastando.

***************

Ao invés de ir para casa ele mandou que o motorista o levasse à casa da mãe. Sua cabeça estava cheia das palavras de Anelise e suas mãos tremiam.

O que ela queria insinuar? Talvez fosse só para aborrecê-lo ou apenas falou dela mesma, do amor que dizia ter. Não dava para saber ao certo. Anelise era perigosa para seu corpo e sua mente. Mais ainda para o seu coração sofrido e partido.

A mãe estava sozinha na sala de tevê quando entrou. A irmã tinha saído com as amigas, como sempre. Ela sorriu quando o viu, mas logo percebeu que havia algo errado.

— O que foi? - ela levantou.

— Você foi até a casa da Anelise? - ele parou com a feição preocupada — Não minta, por favor!

— Eu fui - ela admitiu ficando nervosa — Fui pedir que ela fosse embora de novo.

Por que, mãe? Ela tem direito de ficar aqui onde nasceu.

Sei disso - apertou as mãos trêmulas — Mas sabe que eu não a suporto e não quero que incomode você.

Fui eu quem foi atrás dela, não o contrário - respondeu alto — Eu ofereci o emprego, ela não me pediu nada.

— Meu filho, não faça isso - ela ficou pálida — Não é bom remexer no passado, essa garota continua a mesma e...

— Porque não é bom?

Essa garota não é para você, ela não é do nosso meio, não se encaixa em nosso mundo - gesticulou estressada — Veja, após tantos anos continua uma pobretona que precisa trabalhar como

afastou dando as costas. A mãe continuava com o mesmo discurso de

E de que mundo você fala, mãe? -

Não seja cínico, Mathias - ela respirou fundo — Eu sabia que ela iria colocar ideias na sua

Engraçado - ele se aproximou — Ela disse a mesma coisa

vendo? - estremeceu — Ela mal chegou e já está nos