O CEO Noivo Da Minha Irmã Um Amor dos sonhos Quero muito ele

sprite

Cap. 10

O CEO Noivo Da Minha Irmã

Gisele

Na Grécia evitei tanto o Adrian, e até continue com a farsa de namorar o Gael, mas agora aqui em São Francisco nos EUA foi inevitável nosso envolvimento, ele é tão lindo e confesso que queria ser mais forte, mas me sinto muito atraída por ele, e isso chega a ser vergonhoso, pois não consigo resistir a ele.

Talvez minha falta de experiência faça com que eu seja fácil demais e isso me deixa cheia de medo, pois não confio que o nosso relacionamento vai para frente, pois Gael me disse em Atenas que os pais do Adrian são muito conservadores.

Pois, ele percebeu os olhares de interesse dele em mim, chegando a pergunta se estamos tendo alguma coisa, eu rapidamente neguei tudo, e aproveitei e perguntei o que ele e a Karina tem, ele disse que foi só uma ficada e nada sério, pois ele sempre soube que minha irmã ama o Adrian, e que não tem problema algum para ele isso, já que ele nunca iria delata ela, e o que tiveram acabou.

Mas, realmente eu não acredito que isso seja verdade, e só quero está certa, pois por mais louco que seja tudo o que o Adrian me propôs, eu quero muito acreditar, pois ele é um homem lindo encantador, e está sendo tão amoroso, e apaixonado, mas eu tenho muito medo desse relacionamento.

Pois sei que estou vivendo um sonho, mas a culpa não me deixa relaxar, papai me liga todos os dias, e a mãe da Karina sempre conversa comigo, e me pede para que eu arrume minha irmã, a deixando apresentável.

Realmente o diagnóstico dela é bem melhor do que o médico previa, e devem acordá-la imediatamente, já que tudo foi feito para isso, estamos a quase uma semana em São Francisco, porém nem percebi o tempo passar, pois os dias foram intensos, Adrian é muito apaixonado e seguimos uma rotina maravilhosa, mas tudo é bom dura pouco, e acabamos de receber um telefonema do hospital e estamos indo.

Karina acordou e pensar que ainda está noiva e que o casamento era dentro de três dias, porém Adrian, quis contar imediatamente a ela, pois ela não lembra de nada, mas eu não deixei, e o médico também foi bem claro que seria importante dá um tempo para ela se ambientar, afinal foram muitos dias em coma e ela está vulnerável.

Adrian, não concordou e está nervoso comigo, e disse que iria sair para esfriar a cabeça.

— Deixa ele ir, Gisele!

Ainda tentei chamá-lo, já fora do quarto no corredor, mas realmente o doutor Nathan Mussi tem razão, o médico então me convidou para tomar um café na cafeteria do hospital, enquanto Karina iria dormir um pouco.

O café está delicioso, e o médico, está me dizendo que o Adrian foi seu paciente, e ele entende perfeitamente o motivo da sua falta de paciência, fiquei curiosa e logo Nathan me explicou sobre o acidente dele, e foi enfático em dizer, que ele se um pouco alterado é características de quem teve trauma neurológico, e que foi difícil convencer o amigo, e paciente a para de correr, pois o quadro dele foi leve, mais seria bom não brincar com a sorte, já que foi por muito pouco o acidente dele.

Ouvi todas as explicações do médico, de como aconteceu o grave acidente na pista em Toronto no Canadá, em seguida ele me mostrou fotos no celular e reportagem, e simplesmente isso tudo me fez gelar, e por um momento imaginei não conheço-lo e foi dolorosa a sensação.

— Minha nossa! — Falei, quase chorando.

Pois realmente não fazia ideia, que ele tinha parado de correr, por sofrer um acidente tão grave.

Calma menina, ele está bem graças aos equipamentos de segurança, e tenho certeza que Adrian se

— Sim, eu espero que ele nunca volte a correr!

— Talvez você seja muito feliz com ele, Gisele, não deixe ninguém afastar vocês!

— É complicado doutor, mas eu quero muito ele.

— Sim, Adrian me contou tudo, não se preocupe, estou torcendo por vocês, e lá está ele, provavelmente está te procurando!

O médico aponta, em seguida ele acena e Adrian entra e vem em nossa direção, ele está

E, por isso, em poucas palavras me faz ir com ele, e se despede do médico, afinal só no dia seguinte, poderíamos ver a Karina.

no estacionamento entramos no carro, um jaguar modelo conversível, ele mal me olhar e só disse, que irá me mostrar algo, e colocou o carro em movimento, em poucos minutos ele entrou pela incrível rodovia Highway ou The Pacific Coast, que é a estrada que atravessa a Califórnia de ponta a ponta, pois tive tempo de ler algumas placas, mas logo o carro estava em alta velocidade e só fiquei admirado o trecho mais famoso da viagem por San Francisco, passando pela incrível ponte e depois com uma paisagens de cair o queixo com direito a praias, parques nacionais, vinícolas e até

Adrian, finalmente voltou a falar comigo, agora mais calmo, e me explicou onde

Aproveitei cada segundo, e me senti em um filme, pois vi muitos filmes mostrando a famosa ponte, o Brasil é lindo, mas nada se compara a tudo que estou

Se passaram uma hora e chegamos em uma das regiões de vinícolas mais famosas dos Estados Unidos para conhecer o autódromo de Sonoma Raceway, pois segundo Adrian é uma pista de corrida de carros incrível, que abriga diversas provas importantes do automobilismo e está sempre com a agenda repleta

apreensiva, pois não esperava ir em um lugar assim, e tudo foi tão rápido, e ele logo entrou no vestiário e em poucos minutos o vi vestido como um piloto profissional, tentei sorrir, mas depois da conversa com o médico e fotos que vi do acidente, eu realmente não queria vê-lo correr em nenhuma

está animado e imediatamente um grande grupo eufórico de pessoas se formou em sua volta, me deixando de lado, ele então estava sendo gentil, até que um repórter perguntou se ele estava ensaiado a sua volta

Fiquei gelada, aguardando como todos a resposta, mas logo ele foi enfático dizendo, que só iria dar umas voltas, e que correria só por hobby a partir de agora, fiquei mais calma, porém nem imaginava o que é correr por