O CEO Noivo Da Minha Irmã Um Amor dos sonhos Ele mexe comigo

sprite

Cap. 22

       O CEO Noivo Da Minha Irmã

                    Gisele

Beatriz, pergunta preocupada, então comecei a explicar a situação que antecedeu lá na sala.

          — Ele ficou para trás, pois tive que deixa ele lá na sala, perto da escada, já que Nathan foi falar com a sua cunhada Sussie, pois ela está vestida com um vestido lindo, porém curto demais, e acho que ele quis evitar problemas com os pais dela.

         — Hum, entendi.

          Beatriz, fez uma cara que não deixava dúvida da sua total desconfiança.

       

           Depois de tudo resolvido, eu já estava quase voltando para o jardim, mas Karina minha irmã me surpreendeu e veio ao meu encontro me puxando em seguida, então entramos na sala de estar próximo ao jardim, e ela já toda alterada, simplesmente começou a falar seus desaforos, praticamente aos gritos.

           — Sua vadia ordinária, o que você está fazendo aqui, era para você está no seu país de origem mequetrefe sua imunda!

        — Ei sua louca me solta, e veja como você fala comigo, e abaixe sua voz, você não está na sua casa!

      Praticamente gritei com ela, que me respondeu toda afrontosa.

                — Não abaixo nada, sua vagabunda, estou falando em grego, e dúvido que alguma outra pessoa aqui entenda, o que estou te dizendo!

              — Ok, se você quer falar, diga de uma vez, pois eu não me importo, já que não sou nada do que você diz, pois você Karina, é a única que não presta!

           Estou alterada demais, e sinto até um leve mal estar, com certeza por causa da gravidez, porém não vou deixar minha irmã saber, que estou grávida, pois seria um pesadelo ainda pior.

           — Escuta bem Gisele, o Adrian está aqui comigo, eu sou a noiva dele, e vamos nos casar muito em breve, e...

            Nem deixei ela terminar, pois não quero ouvir, e por isso já falo o que penso na cara dela, pois definitivamente perdi a paciência.

       — Não precisa me dizer nada sobre isso Karina, eu não sou cega, mas não se preocupe, pois eu nunca vou chegar perto do Adrian, e por mim está perfeito assim, se casem sejam felizes, vocês se merecem, pois são dois ordinários!

           — Ah, claro, você não liga mais, já fisgou o médico bonitão, não é sua aproveitadora pobretona!

            — Que saber, não vou ficar aqui te ouvindo, é você pense o que quiser!

         Saí imediatamente, pois senti um enjoo muito forte, e fui em busca de um banheiro, para dar vazão ao meu desconforto, porém os dois banheiros mais próximos no andar de baixo estavam ocupados, e então tive ter um controle absurdo para não vomitar pelas escadas e subir indo pelo corredor, ao passar em frente ao escritório do Nathan, que sabia que há um banheiro, ia já quase entrando, pois virei a maçaneta e abri, porém a cena, que eu vi me fez recuar imediatamente, e corri e consegui chegar ao meu quarto.

        Um alívio varreu meu corpo trêmulo, e todo mal estar foi embora.

       Mas, a cena que vi no escritório do Nathan, ficou gravada na minha memória, pois ele estava beijando a sua jovem cunhada, Sussie.

     Eu até queria ficar chateada, mais não estou, pois eu realmente não posso cobrar nada dele, já que não temos nada, e portanto ele é um homem livre, e talvez seja melhor assim, Sussie o ama, e ela parece ser uma moça boa, e Nathan é um homem maravilhoso e merece uma mulher que o ame de verdade.

    Afinal, por mais que gostaria de ser essa mulher, eu não sou, pois sei que por mais doloroso que seja, não posso amo-lo, já que meu coração bobo ainda é de outro, mas não vou pensa nele, mesmo que o Adrian esteja aqui, pois ele não me merece, na verdade ele é minha irmã se merecem, pois os dois são ordinários.

     Com esses novos pensamentos, consegui ter um pouco de calma, e então retoquei minha maquiagem, e até troquei de roupa depois de um banho rápido, e estou voltando para festa, afinal a pequena menina não tem culpa dos problemas dos adultos, e preciso ajuda a tia

       Ao passar pelo escritório, a porta estava aberta, e nem sinal do casal antes tão apaixonado.

      Ainda não sei, o que fazer sobre o assunto, mas não é hora para pensar sobre isso, e por isso fui ajudar a resolver a situação da comida do buffet, Beatriz deu graças ao céus ao me vê, pois os empregados da casa eram poucos, e equipe do buffet com acidente veio só dois profissionais, então estavam todos agora ajudando, Nathan já estava inclusive com os avós da menina servindo os convidados, mas notei que nem sinal da jovem tia, até estou curiosa, sobre o que aconteceu com ela, mas Beatriz me chamou e fui ajuda.

   Estou andando pelas mesas e servindo os convidados, e infelizmente estou próxima a mesa que Adrian está, ele no momento está sozinho, e parece tentar pegar o copo de

     Porém, de repente, tudo foi muito rápido, e virou uma confusão, e não tive opção a não ser ir ajudá-lo, ele estava nitidamente nervoso, então me aproximei com paciência, e tentei tratá-lo como um convidado qualquer.

       — Senhor, posso ajudar?

    Ofereci minha ajuda, pois era nítido que ele necessitava.

     — Sim, por favor,  acabei fazendo uma bagunça tremenda, acho que preciso de uma toalha, pois estou encharcado, molhei minha calça.

       Adrian aponta, e sorri, me mostrando onde ele sente que está molhado, memórias nada apropriadas passam pela minha cabeça, mas não deixo seguir com as doces lembrança de como ele é lindo e como me senti nos seus braços.

    

     — Sim, entendi, mas o senhor precisa de algo

    Tento ser cordialmente profissional, ou então vou fazer uma besteira, pois ele mexe comigo infelizmente, de uma forma vergonhosa, e chego a me odiar por ser uma fraca, pois pelo céus, eu só estou próxima a ele, e nada além, e ele me descartou, que tristeza, estou totalmente perdida em pensamentos, e ele logo volta a falar comigo me tirando do meu

        — Acho que preciso ir ao banheiro também, porém eu sou cego, e minha noiva foi embora, então se você puder, peço que me leve até lá,

       — Claro que

       Jamais imaginei que ele me pediria isso, mas realmente não poderia me negar a ajudá-lo, mesmo porque Adrian não sabe quem eu sou, ao menos estou a salvo, mas logo isso

         — Me dê a mão, por favor, moça, e qual seu

         

          — Ah senhora, você é a futura esposa do meu amigo

               — Não, eu sou só uma funcionária da casa, e estou só

tentando fazer ele esquecer quem sou, afinal depois de ver o Nathan aos beijos com a Sussie, definitivamente não teremos mais

           — Mas, e sua voz, é você, eu

               — Desculpe senhor, mas se quer minha ajuda, melhor o senhor não falar sobre