O Labirinto de Amor romance Capítulo 1224

Apaixonar-se por alguém que não o amava era pior do que a própria morte.

Depois de um momento de silêncio e confronto, eu me virei e ele não subiu mais.

Nada a dizer, esse era o meu propósito.

Mesmo que isso não fosse justo, quando fui encurralada, para proteger minha família e amigos, não tive outra escolha.

Com uma pessoa mal, não havia necessidade de falar sobre o comportamento do cavalheiro.

No dia seguinte, acordei cedo, pronta para sair para tomar um ar.

Como resultado, assim que desci, vi Viriato e Lucas sentados na sala, que eram pessoas maldosas.

Os dois estavam com o rosto sombrio, e havia as armas na mesa na frente deles. Quando me viram, Lucas levantou a arma e apontou para mim:

- Cadela, confesse, era isso que vocês estavam planejando há muito tempo!

Com base no meu relacionamento com Odilon antes, esses dois estavam sendo educados comigo, mas agora um estava segurando uma arma para mim, e o outro estava apenas observando com calma e não tinha nenhuma intenção de parar.

Neste momento, Odilon também saiu da sala, caminhou diretamente para meu lado e ficou ao meu lado, olhando para Lucas que estava com a arma de cima para baixo e disse solenemente:

- Ninguém ensinou a vocês bastardos, o que é ser educado?

- Você está brincando comigo? Bastardos?! Você pode repetir isso novamente? - Lucas já estava animado, quando ele foi ridicularizado por Odilon, ele imediatamente abriu a trava de segurança e carregou a bala.

Odilon o ignorou e se virou para mim:

- Vamos, vamos tomar café da manhã juntos.

Com isso dito, ele assumiu a liderança e desceu as escadas.

Então, na minha frente, ele passou pela arma de Lucas e caminhou calmamente até o restaurante.

E Lucas não atirou no final.

Então eu fez isso mesmo, e o segui até a sala de jantar.

Esses dois de repente correram para a porta. Pensei que algo deveria acontecer, e eu não devia perder nenhuma notícia importante.

Assim que se sentou, Lucas repreendeu e disse:

- Porra, todo o nosso povo foi levado, tudo isso é o plano da menina de Nação C! Ela nos proibiu de portar armas, senão como nós só poderíamos ser espancados?! Odilon, você deve nos dar uma explicação!

Odilon olhou para ele com calma, e então seus olhos caíram no café da manhã trazido pela Josefina. Depois de dobrar o guardanapo de maneira suave, ela pegou a faca e o garfo e comeu lentamente.

Depois de engolir pela primeira vez, ele fez o movimento de corte novamente e explicou casualmente:

- Entreguem suas armas sem resistência. Quando a polícia chegar, vocês só podem se render e ninguém será machucado. Ganha tudo sem lutar, sua filha é excelente.

Ao ouvir isso, fiquei atordoada por um momento, e então me lembrei da cena que vi quando cheguei ao clube naquele dia. Achei que os gangsteres usavam terno e gravata, apenas pela imagem do clube. Eu não esperava que Catarina realmente tivesse projetado isso.

Eu pensei que ela realmente tinha mudado. Acontece que ela, era como Guilherme, que esperava uma oportunidade perfeita para dar o golpe fatal.

- Está me ouvindo? - Lucas estava muito zangado, a arma em sua mão estava balançando. - Ouça-me, ok? Eu não me importo com quem planejou isso, eu não posso deixar meus homens serem presos aqui. Vocês dois, pensem em uma maneira para salvar meus homens!

- Eu não tenho tempo para cuidar dos seus negócios. - Odilon baixou as pálpebras ligeiramente e nem sequer levantou a cabeça, mostrando impaciência.

Isso deixou Lucas tão irritado que ele estava prestes a lutar quando gritou, mas Viriato, que não havia falado, falou de uma maneira irônica:

- O que o Sr. Odilon disse, significa que o que Catarina fez não tem nenhuma relação com você? Então podemos usar de qualquer método para lidar com ela, sem consultá-lo?

Eles iriam lidar com Catarina?

Eu subconscientemente queria parar com isso, mas assim que me virei, Odilon respondeu com indiferença:

- Tanto faz.

Comentários

Os comentários dos leitores sobre o romance: O Labirinto de Amor