O SÓCIO DO MEU MARIDO romance Capítulo 27

Mergulhe nos cativantes capítulos de O SÓCIO DO MEU MARIDO, um envolvente romance Internet escrito pelo talentoso Internet. Com sua trama intricada, profundidade emocional e personagens inesquecíveis, este romance promete uma jornada de suspense e conexões sinceras. Seja você um amante de enigmas misteriosos ou de contos que aquecem a alma, Internet teceu uma narrativa que se gravará em sua memória. Explore as páginas de O SÓCIO DO MEU MARIDO, começando com 27, e deixe a magia se desdobrar.

Alicia Rogers narrando

Hoje era o primeiro dia da minha faculdade e eu estou me sentindo tão feliz que nem mesmo os olhares irônicos e os cochichos dos meus colegas iriam conseguir acabar com a minha felicidade.

Desde que cheguei na sala, as pessoas me olharam estranho, alguns com olhares debochados e outros com pena. Ao contrário do que eu imaginei, eu não falei com ninguém e fiquei na minha o tempo todo. Eu sempre acreditei que começando na faculdade eu iria conseguir criar amizades e ter pessoas para conversar, mas pelo ao contrário, Jonas tinha conseguido destruir minhas expectativas e de aluna desconhecida eu virei a sensação do momento.

Mas, mesmo com todos os pesares eu era a pessoa mais feliz por esta aqui, eu estou começando a realizar um sonho antigo.

Eu saio da faculdade e vou até o hospital como eu sempre fazia todos os dias nesses 8 anos, visitar o meu pai que ainda está em coma. Eu me sento ao seu lado e começo a contar as coisas boas, de como Maria Alice estava grande, que eu tinha começado na faculdade. Eu sempre soube que mesmo em coma ele me escutava, então eu sempre tentava falar apenas de coisas boas e uma das únicas coisas boas na minha vida era Maria Alice.

Eu paro o meu carro na frente da empresa de Jonas e começo a andar, novamente as pessoas me olharam com pena e julgamentos em seu rosto, até porque as pessoas aqui dentro sabia muito bem das inúmeras traições dele.

- Seu Jonas está ocupado lá dentro - A secretaria fala nervosa e eu a encaro.

- Eu espero - Eu falo.

- Acredito que irá demorar - Ela fala.

- Não estou com pressa - eu falo e ela assente com a cabeça.

Logo escuto a voz da minha sogra e ele discutindo lá dentro e Jonas estava bem alterado com ela também, eu entro dentro do escritório sem bater.

- Olá. - Eu falo

- Alicia - Jonas fala - O que você está fazendo aqui?

- Eu preciso conversar com você. - Eu respondo.

- ele está ocupado -Ela fala.

- Com a senhora enchendo a paciência dele? - Eu pergunto e ela me olha. - Eu sei por que a senhora veio até aqui, eu escutei no lado de fora você falando sobre a minha faculdade.

- Você deveria ficar quieta - Ela diz nervosa - Você deveria agradecer meu filho pela oportunidade que ele te deu na sua vida, se teu pai ainda está vivo vegetando em cima de uma cama e porque ele está pagando, senão você não teria como pagar e seu pai estaria morto. Morto - Eu dou um tapa em sua cara e ela me encara. - Você não fez isso.

- Você nunca mais fala do meu pai. Você realmente acha que o que ele paga nesses 8 anos vale tudo que eu passei e passo ao lado dele? - Jonas me encara - Se o seu filho e dessa forma é por sua causa, por que a senhora é o mal exemplo na vida dele.

- Eu vou te mostrar onde é o seu lugar -Jonas segura a mãe dela.

- Vai embora - Ele fala para ela.

- Você está me mandando embora meu filho? - Ela pergunta para ele.

- Com Alicia eu me resolvo - Ele fala.

- Deveria jogar essa mulher no buraco de onde saiu, ela e o pai dela - Ela fala - Maldita hora que você resolveu se envolver com uma mulher desse tipo.

- Desse tipo como? - Eu falo - A senhora deveria se preocupar com quem ele se envolve nas madrugadas. Queria ver se você tivesse uma nora que foi garota de programa, se a senhora ia preferir.

Ela me encara.

- A única coisa boa de você é a minha neta - Ela fala

- Maria Alice e minha filha e com isso a senhora vai ter que conviver para o resto da sua vida - Eu falo para ela. - Não precisa ela sair, eu saio.

- Espera Alicia vamos almoçar. - Jonas fala

- Me perdoe Jonas mas eu já estou sofrendo de mais com os outros me julgando, imagina se eu sair de mão dada com você - ele me olhe - convide a sua mãe ou a mãe do seu filho que vai nascer.

Eu saio do seu escritório e quando entro no elevador encontro Mateus, estava só eu e ele.

- Alicia. - Ele fala e eu o abraço chorando. - Calma.

- Eu não aguento mais, eu não estou suportando mais tudo isso - Eu falo suspirando.

28

Alicia Rogers narrando

Eu e Mateus vamos até a galeria e ele me dar um copo de água.

- Eu não aguento mais esse casamento a sua mãe e toda a pressão - Eu falo.

- Ainda mais com essa história do filho - Ele fala.

- O que você sabe sobre isso? Jonas me disse que vocês foram colegas de faculdades, vocês deve ter alguma intimidade - Eu falo.

- Pouca coisa, ele me disse que acha que a criança não é dele e que essa Mariana está querendo tirar dinheiro dele. Ele mandou fazer dois testes de DNA em laboratórios diferentes - Ela fala.

- Mas ele me traiu durante anos com ela - Eu falo - Você sabe como eu me sinto? Um lixo. Ele presta atenção em todas as mulheres, mas nunca prestou atenção em mim, deseja a todas e nunca me desejou.

- Não se sinta assim, você não é um lixo - Ele fala. - Você é maravilhosa. Eu já disse para você largar ele e ir viver a sua vida.

- É complicado - Eu falo.

- O que te prende? - Ela pergunta.

Comentários

Os comentários dos leitores sobre o romance: O SÓCIO DO MEU MARIDO