Assumindo a Responsabilidade romance Capítulo 4

Na sala VIP de uma boate,

ouviu-se um estrondo e uma bola 8 da sinuca foi encaçapada. Charlie entregou o taco ao garçom ao seu lado, pegou um cigarro, acendeu e foi até o banheiro.-

Simon Chin, que estava encostado no balcão do bar, piscou para uma mulher sentada na mesa.

A mulher deu um sorriso encantador e baixou o copo imediatamente. Ela se contorceu graciosamente e o seguiu.

Dez minutos depois, Charlie e a mulher saíram do banheiro. A linda mulher parecia decepcionada. Ela caminhou até o balcão e balançou a cabeça para Simon Chin dizendo: "Sr. Chin ..."

Simon foi até Charlie e perguntou: "Charlie, ainda de folga?"

Charlie franziu a testa.

O perfume da mulher ainda estava em seu casaco, o que o deixou muito desconfortável. Então, ele tirou o casaco.

"Você gosta de homens, é?", perguntou Simon Chin em tom de brincadeira.

"Corta essa!", respondeu Charlie.

"Estou brincando!", disse Simon coçando o queixo. Ele continuou seriamente: "Dormiu com uma garota antes de ontem e também ouvi dizer que deixou a garota exausta, ou seja, não é um problema físico!"

Charlie era celibatário, ele nunca havia transado com ninguém antes.

Ele não conseguia manter uma ereção.

Já havia se consultado alguns especialistas, mas todos afirmaram que não se tratava de um problema em seu corpo. Ele não tinha nenhum desejo pelas mulheres que demonstravam interesse nele, embora fossem bonitas e charmosas. Ele até se sentia enojado, mas tinha certeza de que não tinha o menor interesse em homens.

Ele foi um home solitário por muitos anos, até aquela noite. O desejo adormecido há 30 anos foi totalmente despertado.

Ao pensar na sensação encantadora que Wendy lhe provocou, a parte inferior do abdômen de Charlie se contraia...

Ele aproveitou a deixa do garçom novamente e disse: "Continue."

Simon também entendeu, deu um tapinha no ombro de Charlie e sorriu dizendo: "Charlie, não se preocupe. Vou te ajudar!"

******

Wendy abriu suavemente a porta da enfermaria.

Estava silêncio lá dentro e ela tentou não fazer barulho, temendo incomodar as duas senhoras que dormiam nas macas.

Eram leitos compartilhados, e a outra senhora da mesma idade de sua avó tinha uma doença pulmonar. Elas dividiam a mesma enfermeira. Embora não fosse bom para a recuperação de sua avó, ela não podia pagar por nada melhor. Além do mais, ela não poderia nem pagar por tal privilégio tão cedo.

Graças aos US$1.500 que sua melhor amiga lhe emprestou, mais os US$ 400 de Yolanda, Wendy pagou a dívida do mês passado. No entanto, ela não tinha dinheiro para este mês.

Wendy colocou a mão de sua avó em seu rosto e sentiu sua pele macia e quente, o que fez seus olhos se encherem de tristeza por perder a virgindade e ser espancada pelo pai.

Ela começou a chorar e enxugou rapidamente as lágrimas, com medo de que sua avó notasse algo quando acordasse.

Wendy perdeu a mãe quando tinha oito anos. Depois de causar o aborto acidental de Helen, ela não foi presa, era muito jovem. No entanto, seu pai a expulsou da família Lin. Desde então, Wendy morava com sua avó, portanto ela era a única família de Wendy.

Wendy olhou para o pôr do sol lá fora e se lembrou que batata-doce assada era a comida favorita de sua avó.

O médico não aconselhava que sua avó comesse batata-doce, mas ela comia um pouco de vez em quando. Wendy saiu em silêncio do hospital e seguiu para o lado oposto da estrada. Ela podia sentir o entusiasmo dos vendedores à distância.

Ao chegar na esquina da feira noturna, Wendy ouviu alguns passos se aproximando.

Não importava se apressasse ou desacelerasse o passo, alguém continuava a se aproximar.

Quando ela estava prestes a se virar, sentiu uma forte dor e desmaiou.

Comentários

Os comentários dos leitores sobre o romance: Assumindo a Responsabilidade