Ceo Vadia nas alturas Capítulo 16

sprite

Imagens da noite de ontem surgem na minha mente antes mesmo de abrir meus olhos. Foi bom, muito bom. Matthew superou minhas expectativas. Isso me deixa com raiva porque esse homem é bom em tudo. E a possibilidade só aumenta… Me espreguiço e abro meus olhos. Matthew como sempre acordou primeiro. Esse homem tem energia para dar e vender. Levanto da cama e tomei um banho sem pressa. Comparado a ontem, hoje eu estou bem melhor. Saio do quarto ajeitando os óculos em meu rosto.

– Bom dia, meninas. – Digo e sento para tomar meu café.

– Bom dia, Aria. – Reba diz.

– Bom dia. Hoje os meninos acordaram com disposição e foram correr na praia.

– Melhor dizendo, Lauren. Matthew obrigou Jaime e Ian a ir correr na praia. – Reba corrigiu Lauren a fazendo rir.

– Eu estou precisando fazer exercícios.

– Só você, Aria? Nessas férias estou comendo muito. Parece que nunca vi comida na minha vida. – Lauren falou fazendo Reba e eu rir. – Eu imagino a luta para voltar com a minha rotina.

– Meninas, não exagere. Estamos de férias! Pensamos nisso depois.

Lauren e eu concordamos e voltamos a tomar o café da manhã. Minutos depois os garotos chegam.

– Eca! Você está suado. – Lauren reclamou e afastou o Ian.

– Você tem que me amar de qualquer jeito, Lauren. – Ian falou e voltou a beijar ela.

Matthew senta ao meu lado digitando algo no celular. Parecia estar mais sério que o normal.

– E você, amor? Como foi a corrida…

– Eu nunca mais vou esquecer de levar minha garrafa d’água. – Jaime interrompeu Reba. – Ian teve que dividir comigo, porque Matthew não quis me dar água.

– Ninguém mandou vocês ficarem brincando antes de sair. – Matthew respondeu sem tirar os olhos do celular.

– A gente nem queria ir!

Matthew revira os olhos e não diz mais nada.

– Agora até eu preciso de um banho. – Lauren levantou resmungando e puxou o Ian para ir junto. Ian só ria.

– E você me acompanha? – Jaime pergunta para Reba que fica sem graça, mas levanta e sai com ele.

Olho para o Matthew e o mesmo está bem concentrado no celular.

– Você está correndo o risco de perder a sua empresa? – Pergunto terminando de tomar meu café.

– Não. – Responde ainda olhando para o celular.

– Então você pode largar esse celular?

Ele olha para mim e suspira.

– Já estou há dias sem trabalhar…

– E ninguém morreu por isso. – Olho para ele séria. – Você não se divertiu nenhum pouco nesses dias?

– Sim.

– Então…

– Mas se a gente for embora amanhã. Eu prometo te levar para Paris no próximo final de semana. – Ele diz com um olhar confiante e um sorriso imperceptível. Aposto que esse é o rosto que ele fecha um negócio.

– Esse é seu esforço para se divertir mais? Patético. – Eu reviro os olhos e me levanto para sair dali.

Matthew ficou surpreso com minhas palavras, mas não falou mais nada. No quarto começo a guardar minhas coisas. Não vou insistir para Matthew ficar e por essa sua obsessão por trabalho não é o suficiente para odiá-lo. Ouvir batida na porta.

– Pode entrar.

– Ah, não! Por que você está arrumando as malas? – Lauren perguntou assim que entrou no quarto.

- Infelizmente preciso voltar para Nova York. Lembra dos Projetos que falei? Então as coisas aconteceram mais rápido do que pensei. – Minto.

Não estou indo embora com intenção de ir para Paris. Achei que teria uma versão de Matthew bem diferente quando eu acordasse, mas não foi isso que aconteceu. Não vou insistir, é melhor eu focar minhas energias em outra coisa. Mas sim estou chateada com ele.

– Ah, legal. – Lauren dá um meio sorriso. – Fico feliz por está dando certo, mas ainda queria que continuasse aqui com a gente.

Eu também queria.

Aposto que aproxima vai ser melhor ainda.

certeza disso! – Ela rir e senta na cama.

[...]

Faz dois dias que estou ignorando o Matthew completamente. Queria estar em Ibiza! Éramos para está lá se divertindo. Não voltamos para casa quando aconteceu toda aquela situação com Lee, mas voltamos porque Matthew estava com saudades de trabalhar. Esse homem precisa se tratar. Não ficamos uma semana fora. Agora resolvi focar toda minha atenção no meu restaurante.

Boa tarde. – Senhor Frank olha ao redor parando seu olhar em mim. – É só você?

Dou meu melhor sorriso.

– Sim. – Respondo.

– Eu achei que fosse tratar direto com o senhor Dawson e não com a assistente dele.

Ah, eu não sou a assistente. – Estendi a minha mão. – Sou Aria Barnes, namorada do Matthew Dawson. Ele vai ser meu sócio.

O Sr. Frank olhou para minha mão, mas não a segurou. Fico sem graça e abaixei

Eu não tive essa informação quando falei com a assistente dele pelo telefone.

Peço desculpa, mas faz muita diferença?

Ele aperta o olhar em minha direção e quase saio correndo dali. Estamos dentro do espaço e só na parte de baixo dá para ver quanto o lugar é enorme. Já imagino meu lindo restaurante. Vai ser perfeito quando estiver funcionando.

Eu esperava vender ao Sr. Dawson e não para a namorada interesseira dele.

O que? Interesseira? – Pergunto chocada.

Frank não passava dos 50 anos e a imagem de um senhor bonzinho e educado escondia o embecil que ele é.

Claro! Aposto que está com ele por interesse. Ele não é do tipo de se envolver com mulher como você. – Ele diz com desdém. – Saia daqui e poupe meu tempo, vadia. – Sr. Frank deu as costas e saiu andando.

Dou um passo em sua direção, mas logo paro. Não posso agredir ele, assim nunca vou conseguir comprar esse lugar. Agora irritada, eu saio dali batendo o pé. Eu pego meu celular ligando para Martin, mas dá caixa postal. Arrisco em ir para TecDaw. Hoje junto com a Isis tinha uma ruiva de olhos claros.

que posso ajudar? – Ignoro a ruiva e acabo nem olhando para Isis. – Ei, você não pode

faltava cuspir fogo de tanta vai que eu estou sentindo. Velho mal educado. Miserável de uma figa. Passo direto por elas indo para o escritório do Matthew, escuto passos atrás de mim. Aposto que é a ruiva, tenho certeza. Abro a porta do escritório e entro encontrando Matthew com o

Martin, você tem que vir comigo agora ou nas próximas horas você vai ter que ir na delegacia me tirar de lá.

Desculpe, senhor Dawson. Não consegui impedir que ela entrasse. – A ruiva falou parando do meu lado. – Vou chamar a segurança.

precisa, Carla. A entrada dela está

assentiu e saiu da sala.

Martin. Levanta essa bunda daí. – Falo indo até ele e o puxo pelo braço.

deixa pegar minhas coisas e eu vou com você. – Martin tenta juntar suas coisas, enquanto insisto que ele venha comigo. – Você pode me dizer o que está acontecendo?

Estou tendo problemas com o espaço que eu escolhi para o restaurante.

E por que vai ser presa se MArtin não for com você? – Matthew pergunta, mas eu ignoro ele. – Esqueci que ela não está falando

faço a pergunta do Matthew a minha. Preciso saber em detalhes o que está

parou de arrumar sua pasta e olhou para

dono não quer me vender o espaço…

– Podemos procurar outro lugar…

Não! Ele só não vendeu, porque o Matthew não estava lá. Quem é o Matthew na fila do pão? – Sim, estou

Um grande CEO conhecido no mundo inteiro?

Ignoro novamente o Matthew.

E ainda me chamou de vadia interesseira! Eu quero aquele lugar ou não me chamo

Ainda bem que vai se chamar Aria Dawson daqui um tempo. -