Ceo Vadia nas alturas Capítulo 22

sprite

A tranquilidade que tive nesses últimos dias é de duvidar. É tanta coisa boa acontecendo que não dá para acreditar. O clima entre Matthew e eu melhorou, o restaurante está sendo um sucesso e Olícia tem me tratado como sua própria filha. Saímos tanto a ponto de dormir na casa dela umas cinco vezes e detalhe: sem o Matthew. Ela é maravilhosa e tem me feito muito bem, não saberia colocar em palavras.

Matthew no começo não gostou muito, eu achei que ele estava com ciúmes da mãe, mas ele queria transar mesmo. Matthew precisou fazer algumas viagens e era nesse momento que a Olícia aproveitava para me sequestrar e para devolver era difícil. O bom é que não fiquei sozinha por muito tempo. Com Matthew viajando a ‘pressão’ foi maior. Eu dobrei o cuidado. Não podia errar. Matthew não estava aqui para me salvar caso eu falasse algo errado e as perguntas indesejáveis. Mas tirei de letra e até recebi elogios do Dr. Barker, ele ainda não gosta de mim. Concluí minhas aulas de etiqueta e fui em algumas festas chatas com a Olícia.

A minha animação para essa festa de hoje é grande. Só que não. Hoje tem cerca de dez convidados aqui em casa, algumas pessoas que são a ponte para tais empresas que Matthew quer chegar. Para minha tristeza não conseguir inventar uma boa desculpa para não participar. Pelo menos dessa vez.

– Você está linda, senhorita Barnes. - Um senhor parou na minha frente sorrindo.

Não devolvo o sorriso.

– Obrigada, Sr.Wells.

– Oh, não agradeça. Uma mulher linda como você tem que ser elogiada e admirada, igual uma obra de arte. – Dessa vez ele termina de falar, olhando para meus seios.

– E um homem como você deveria…

– Querida, eu te encontrei. - Matthew apareceu bem na hora que ia falar umas boas para esse tarado. Matthew envolve seu braço na minha cintura. - Olá, Sr. Wells. Ainda não tivemos chances de conversar.

– Cheguei agora. Mas claro que não podia deixar de vir falar com a mais bela dessa festa. - Ele estendeu a mão para pegar a minha. Matthew apertou minha cintura, contra minha vontade segurei sua mão. O Sr. Wells a beijou.

– Você tem sorte, Dawson. Muita sorte.

Ameacei dar um passo para frente. Um tapa, só quero dá um tapa. Matthew me mantém no lugar.

– Sim, Sr. Wells. Tenho muita sorte.

Eles conversaram mais um pouco e o Sr. Wells foi falar com os outros convidados.

– Você precisa se controlar. - Matthew falou de modo que só eu pudesse ouvir.

– É difícil! Ele nem disfarça.

Matthew colocou meu cabelo atrás da orelha.

– Não é a primeira vez que você lida com esse tipo de pessoa.

Realmente não era. Em algumas festa que eu fui com Olícia, eu vi e ouvi coisas piores. Mas fica difícil só ouvir e não fazer nada. Na minha cidade eu teria colocado esses homens no seu devido lugar. Já aqui… Não estou afim de ser presa. Esses homens acham que são o dono do mundo e por ter dinheiro pode fazer o que quiser e quando quiser. Idiotas! Mas preciso guardar para mim, não posso chamar atenção negativa.

– Desculpa. - Suspiro. - Não vai acontecer de novo.

Causar uma confusão não ajuda ninguém agora.

Não precisa se desculpar. – Matthew diz e me olha por inteiro. – Não tinha um vestido mais fechado?

Olho para meu vestido, erguendo uma sobrancelha.

O que tem de errado com meu vestido?

O vestido ia até o joelho e era justo, tinha uma abertura nas costas, mas meu cabelo esconde. O vestido não é nada sexy. É comportado demais isso sim. Será que vai demorar muito para essa festa acabar? Melhor nem pensar nessa possibilidade. Começou a pouco

Tem chegado a mim muitos elogios sobre você, senhorita Barnes.

Eu sorri. Ele está tão sério.

Isso te incomoda, porque você está com ciúmes.

– Eu não tenho ciúmes de você.

Chego mais perto dele. Eu ajeitei a gravata dele e dei um leve beijo em seus lábios.

fingir que acredito.

fico à espera da sua resposta e saio de perto de Matthew. Eu não consegui fugir de algumas pessoas e não pude mostrar meu descontentamento. Mostrei meu melhor sorriso e concordava com o que diziam. Minha cabeça chega a doer tanto que essas mulheres se gabam pela fortuna do marido, as inúmeras viagens que fizeram, das bolsas de marca que tem. Preciso me afastar um pouco. Vou para cozinha na esperança de fugir um pouco de tudo

Por favor, saiam. - Peço para alguns dos empregados que estão

ficar um pouco sozinha. Eu sei que tenho que me acostumar com muita coisa agora, mas nunca vou me acostumar com esses tipos de pessoas. Movo minha cabeça devagar de um lado para o outro. Meu humor começa a

Você está bem? - Ouço a voz do

vem até a mim, parando na minha

Sim, eu só preciso de alguns minutos longe dali. - Olho para

Como um bom namorado, eu posso te ajudar

vez quem não espera uma resposta é Matthew. Ele me beija fazendo eu dar passos para trás. Eu sorri em meio ao beijo. Tem uma festa acontecendo a poucos metros da gente. O bom que não dá para nos ver. Por favor, que não apareça ninguém