Erro que Inicia romance Capítulo 342

"Não foi isso que eu quis dizer," Alice imediatamente percebeu o que ela havia dito. Seu rosto estava corado e parecia que ela estava desejando isso.

Deus sabia que não era isso que ela queria dizer.

Jensen agarrou seu pulso e a puxou para frente. Ele foi até o carro, abriu a porta e enfiou Alice dentro.

Alice se assustou com seu comportamento abrupto e exclamou em voz baixa: "O que você está fazendo? Jensen, o que diabos você está fazendo?"

"Estou te dando o que você pediu. A paixão que nos falta", respondeu Jensen. Ele olhou para ela sem fôlego, sentindo-se um pouco animado porque seus olhos estavam cheios de desejo incontrolável.

O coração de Alice disparou. Olhando para ele, ela ficou chocada e tentou avisá-lo: "Não faça nada estúpido. Vou comprar um pouco de comida."

"Você pode ir mais tarde." Jensen olhou fixamente nos olhos de Alice e disse: "Se eu não tivesse medo de que você não pudesse aceitar, eu teria dado o outro passo. No entanto, você me culpou por não fazer um movimento em você. Deus sabe o quão perto eu Estou perdendo meu controle agora!"

"Você-" Alice viu que seu belo rosto estava pressionado e estava prestes a beijá-la. Por isso, ela estendeu a mão para cobrir a boca dele e disse severamente: "Jensen, quem disse que eu queria isso?"

Com a boca tapada, os olhos de Jensen arregalaram-se e ele não conseguiu dizer nada.

Então, ele lambeu a palma da mão de Alice com a língua.

"Ah-" Como se tivesse sido escaldada, Alice puxou a mão rapidamente e gritou ao mesmo tempo, "Jensen, como você ousa lamber minha mão!"

"Desde que você cobriu minha boca, eu não conseguia falar", disse Jensen inocentemente. Então, ele sussurrou um pouco embaraçado: "Mas a palma da sua mãozinha é muito macia."

De repente, Alice corou e seu rosto ficou vermelho. Ela ficou extremamente envergonhada e disse: "Não faça isso comigo. Isso não é o que eu quero."

"Então o que você quer?" Jensen estava realmente confuso e olhou para ela em silêncio.

"Eu não quero nada. Eu quero terminar com você," Alice gritou com pressa e o olhar de pânico estava escrito em seu rosto. Como alguém pode agir assim? Jensen deve estar louco para empurrá-la para dentro do carro e beijá-la sem dizer nada.

"Então, por que você se desculpou se queria terminar comigo?" Jensen sentiu que, como ela estava disposta a se desculpar, não poderia pensar em se separar dele. No entanto, ela pode não saber sobre isso.

"Já que fiz algo errado, devo me desculpar", explicou Alice. Ela sentiu que ele parecia ter pensado demais, e a maneira como ele pensava era diferente da dela.

Jensen franziu a testa e olhou para ela, dizendo: "Alice, deixe-me ser franco. Não acho que seja necessário terminarmos."

"Mas eu realmente não posso me apaixonar," Alice disse novamente.

Jensen ajustou sua postura ligeiramente enquanto ainda pairava sobre ela no carro e sussurrou para ela: "Alice, por favor, abra seu coração para mim."

Alice ficou atordoada. Ela sentiu uma pontada no coração e evitou os olhos dele. Ela não queria olhar para ele.

Jensen olhou fixamente nos olhos dela, inclinou ligeiramente a cabeça, abaixou-se e beijou-lhe o queixo.

Todo o corpo de Alice congelou quando ela sibilou, "Ei, você-"

Antes que ela pudesse terminar a frase, Jensen beijou seus lábios e engoliu suas palavras.

Alice enrijeceu ainda mais e seu rosto do tamanho da palma da mão corou, criando uma bela tonalidade em seu rosto.

Mas a razão a trouxe de volta aos seus sentidos.

Ela afastou o queixo de Jensen e disse enquanto ofegava: "Jensen, o que você está fazendo?"

"Beijando você," Jensen olhou para o rosto dela, e seu pomo de Adão balançou em sua garganta. "Estou acendendo alguma paixão por você."

"Eu não quero isso", disse Alice.

"Não aguento mais." Depois de dizer isso, Jensen estendeu as mãos e pegou as dela.

Ele tinha provado algo maravilhoso.

Isso era muito cruel para um homem normal ser culpado por seis anos.

Ele não aguentava mais. Pelo menos, ele tinha que beijar Alice. Caso contrário, ele temia que, se insistisse em ser paciente com ela, ela perderia a paciência.

Ele não podia correr riscos. Ele deve ir um passo além.

Assim que ele viu o rubor no rosto de Alice, seu coração disparou ainda mais rápido. Era mais difícil para ele se controlar.

Seus braços fortes abraçaram Alice. Suas mãos eram grandes e quentes, acariciando o rosto dela. O calor em sua pele era surpreendentemente ardente e seu coração não podia deixar de estremecer.

O coração de Alice tremeu e seu corpo enrijeceu.

O impacto trazido por Jensen foi muito além de sua imaginação.

O espaço no carro era estreito, mas era o suficiente para preenchê-lo com uma sensação de sufocamento.

Ele não sabia se eles haviam sugado todo o oxigênio ou era porque eles não tinham chance de respirar agora que se sentiam sufocados.

Ele não parou até alguns minutos depois.

"Uau!" Jensen soltou um suspiro.

Ele sabia que não podia continuar a beijá-la.

Se continuasse assim, ele perderia o controle.

Ele estava preocupado em dormir com Alice no carro.

Alice estava em transe. Quando ela abriu os olhos, viu seu belo perfil lateral cheio de emoção. Ela virou o rosto.

Ela não esperava que este homem, que geralmente era gentil, fosse tão apaixonado.

"Alice." Jensen olhou para ela e sussurrou: "Somos muito adequados um para o outro. Talvez não haja pessoa melhor para nós neste mundo do que um ao outro."

Alice voltou a si e rapidamente desviou o olhar quando viu o desejo ardente nos olhos de Jensen.

"Saia do carro." Alice insistiu: "Vou comprar comida."

"Ok", Jensen sentiu que seria um processo passo a passo. Foi uma sorte que ela não o tenha esbofeteado.

Eles saíram do carro com os dois rostos vermelhos. Depois de sair do carro, Alice também arrumou a roupa e o cabelo.

Jensen também tentou arrumar seu traje.

No entanto, assim que ele se virou, ele viu Grace.

Ela estava olhando para eles com a boca aberta.

"Graça?" Alice exclamou.

"Oi Grace," Jensen também estava atordoado e um pouco envergonhado.

Quando Grace viu a situação deles, ela sorriu e perguntou: "Onde eles estão?"

"Irmã, eles estão lá em cima, e Tyler também está lá. Vou fazer algumas compras com Jensen." Alice rapidamente puxou Jensen e disse à irmã: "Você pode subir primeiro!"

Grace ficou atordoada novamente. Ela assentiu com a cabeça e disse: "Tudo bem, vou subir primeiro."

"Grace, não há certo ou errado, não importa o que você escolha." Antes de sair, Alice a lembrou: "O pequeno Gary está ansioso para ficar com o pai e eu posso entender. Você deveria pensar sobre isso. Para ser honesto, Heinz não é uma boa pessoa a quem se pode confiar sua vida. Ele é muito hipócrita."

Grace assentiu. Ela também pensava assim.

Alice então puxou Jensen para longe e reclamou em voz baixa enquanto caminhava: "É tudo culpa sua. Se não fosse por você, eu..."

Foi extremamente embaraçoso.

Seu rosto ficou ainda mais vermelho.

Jensen sorriu e colocou o braço em volta do ombro dela, segurando-a em seus braços.

Alice enrijeceu e disse: "Eu posso andar sozinha."

"Você está corando. O que há para ser tímido? Isso é apenas uma coisa que um homem e uma mulher fariam", disse Jensen com indiferença.

Ao ouvir isso, Alice corou novamente e rosnou: "Que coisa?"

Os olhos de Jensen escureceram e ele respondeu: "Essas coisas sobre reprodução."

O rosto de Alice ficou ainda mais vermelho agora. Ela deu um tapa no ombro dele e repreendeu: "Você é um p * rvertido".

Comentários

Os comentários dos leitores sobre o romance: Erro que Inicia