Erro que Inicia romance Capítulo 414

Ocorreu a Jensen que havia algo errado com Alice.

"Estou bem, estou muito bem," Alice sorriu e continuou suavemente, "Jensen, não é fácil para você ser um oficial."

"Não é tão ruim." Enquanto ele falava, seu coração disparou e ele se sentiu muito infeliz. Foi uma forte premonição como oficial.

"Você já pensou em outras profissões?" Alice continuou a perguntar: "Você tem que ser oficial?"

"É o meu sonho!" Jensen explicou: "Gosto do meu trabalho e quero servir ao público."

Alice não conseguia mais falar.

De repente, nenhuma palavra sairia. Esse era o sonho de Jensen e não era culpa dele.

No entanto, ela estava assustada.

Ela estava com medo de que aqueles homens machucassem sua família. Ela estava com medo de que Grace e Little Gary fossem arrastados para ele. Ela não poderia se importar menos se estivesse sozinha. Ela poderia ser mais corajosa se não tivesse ninguém com quem se importasse.

No entanto, Alice amava Grace e o filho de Grace.

Ela estava perdida.

Ela temia que alguém machucasse sua irmã e o pequeno Gary.

Jensen ficou inquieto quando não conseguiu ouvir a voz de Alice. Sua respiração tornou-se irregular e seu coração disparou.

Jensen teve um mau pressentimento. "Alice?"

"Hmm, não é nada." Sua voz estava relaxada enquanto ela segurava o celular. Ela disse: "Estou na entrada do campo de esportes. Fica perto da entrada das quadras de tênis e de futebol. Entre e me procure quando chegar aqui. Dirija com cuidado".

"Bem, tudo bem!" Jensen acrescentou: "Não desligue, quero ouvir sua voz".

"Ok!" Alice respondeu suavemente, "Prometa-me que você vai dirigir com segurança."

"Ok!" Jensen respondeu.

Eles conversaram, mas havia uma pitada de tristeza em seus tons.

Jensen entrou com o carro no campus e saiu do carro. Ele correu para a entrada do campo de esportes.

Ele avistou uma pequena figura sentada na primeira fila da arquibancada ao lado do poste de luz.

Jensen ainda estava segurando seu celular. Seu coração batia forte contra o peito. Ele deu um suspiro de alívio quando viu Alice sentada na arquibancada.

"Eu vi você", disse Jensen.

"Eu posso ver você também." Alice ergueu os olhos e olhou para a entrada.

A figura alta de Jensen caminhou até ela. Ele estava segurando o celular no ouvido como Alice.

"Alice, estou com medo." Ele sussurrou quando estava a mais de dez metros de distância dela.

"Do que você tem medo?" ela perguntou.

"Eu tenho uma má premonição." A voz de Jensen era amarga. "Tenho medo de ouvir algo horrível quando chegar até você."

Alice fez uma pausa e suspirou internamente. Descobriu-se que ele também tinha um palpite.

Na verdade, Alice queria terminar com Jensen.

Ela não queria mais ser namorada de um policial.

No entanto, Alice olhou para Jensen com tristeza quando ouviu sua voz triste. Ele parou de se mover quando estava a mais de dez metros dela.

Alice não falou. Ela desligou e guardou o celular no bolso.

Ela estava muito deprimida também.

Jensen percebeu que Alice desligou a ligação. Ele guardou seu telefone celular antes de fazer seu caminho para Alice rapidamente.

Pouco depois, ele estava na frente dela.

Os longos cabelos de Alice caíam sobre seu rosto. Ela levantou a cabeça lentamente e seu rosto estava vago sob a luz fraca.

No entanto, os olhos de Jensen eram afiados.

Ele tinha anos de experiência como oficial e logo notou os hematomas no rosto de Alice.

Jensen se ajoelhou na frente dela e estendeu a mão para segurar seu queixo.

Alice imediatamente agarrou a mão dele e tentou impedi-lo de olhar para o rosto dela.

No entanto, Jensen o viu.

Seu queixo estava machucado e suas bochechas estavam vermelhas e inchadas. Suas bochechas eram assimétricas mas mesmo assim estavam muito inchadas.

Jensen estreitou os olhos e olhou para ela em estado de choque. Ele perguntou trêmulo: "O que aconteceu? Quem bateu em você?"

Jensen podia adivinhar o que aconteceu, mas queria ouvir de Alice.

"Jensen." Alice segurou suas mãos e balançou a cabeça suavemente. Ela mentiu: "Ninguém me bateu. Eu caí acidentalmente e me machuquei."

Alice viu o olhar triste e simpático de Jensen.

Durante toda a tarde, ela pensou no que deveria dizer, mas não conseguiu falar.

Jensen era inocente.

Os olhos de Jensen se estreitaram novamente e ele parecia estar tentando se conter.

As luzes do campo de esportes estavam fracas. No entanto, as impressões palmares óbvias no rosto inchado de Alice e os hematomas feitos pelo homem em seu queixo revelaram o que aconteceu com ela.

Ela foi agredida.

Essas feridas foram infligidas por outra pessoa.

Tinha algo a ver com ele.

Jensen levantou seus longos cabelos. Ele notou que todo o rosto dela estava vermelho e inchado com marcas de palmas.

Suas feridas o faziam tremer violentamente. As impressões palmares óbvias o incomodaram.

"Isso doi?" As mãos de Jensen tremiam incontrolavelmente. Ele acariciou seu rosto. Foi tão doloroso assistir que a voz de Jensen estava rouca.

Alice puxou a mão de Jensen e disse: "Tudo bem, não dói."

Seu coração estava pulsando.

Como poderia não doer?

Os lábios de Alice se contraíram e ela sussurrou: "Realmente não dói. Você não precisa se preocupar comigo."

"Garota boba!" Jensen segurou Alice em seus braços.

O peito de Jensen arfava e seu coração doía.

Alice encostou a cabeça no peito de Jensen e ouviu o batimento cardíaco dele. Ela estava com o coração partido.

Alice podia sentir dor, remorso e culpa dele. Ela poderia até dizer que ele estava tentando ser muito cuidadoso. Mesmo quando Jensen a abraçou, ela notou que ele foi muito gentil para evitar machucar seu rosto novamente.

"Alice..." Jensen chamou o nome dela amargamente.

Ela podia ouvir sua culpa em sua voz.

Jensen era inteligente.

Alice suspirou, "Jensen, vamos..."

Antes que Alice pudesse terminar suas palavras, Jensen a interrompeu. "Vamos para casa."

Alice abriu os lábios, mas ele a interrompeu antes que ela pudesse dizer 'termine'.

Jensen estava respirando rapidamente.

"Vamos para casa e vou colocar um pouco de gelo em suas feridas!" Jensen disse suavemente.

"Jensen," Alice tentou falar, "tenho algo para te dizer."

"O que foi? Vamos voltar e conversar sobre isso." Ele estava com medo de que ela terminasse com ele.

Jensen tinha certeza de que ela iria terminar com ele.

Alice olhou para o céu noturno. Ela não podia voltar para casa porque temia que Grace ficasse preocupada.

Finalmente, ela assentiu. "Tudo bem, vamos conversar sobre isso quando voltarmos."

Alice se levantou.

Assim que ela levantou a cabeça, ela viu Jensen franzindo a testa. Seus olhos estavam cheios de tristeza e preocupação.

"Vou ligar para minha irmã." Alice não suportou encarar a dor em seus olhos e mudou de assunto.

Jensen pegou as sacolas de compras do chão e segurou a mão de Alice enquanto ela chamava a irmã.

"Irmã, estou com Jensen. Estamos voltando agora, então não se preocupe."

Grace se sentiu um pouco aliviada. "Jensen está com você?"

"Sim, Jensen, você deveria falar com minha irmã." Alice passou o telefone para Jensen.

Jensen parou por um momento e disse ao telefone: "Grace, sou eu. Alice está comigo, então não se preocupe."

Comentários

Os comentários dos leitores sobre o romance: Erro que Inicia