Erro que Inicia romance Capítulo 413

Alice não esperava que Carl fosse tão arrogante. Ela olhou para Carl. Ela era teimosa e não queria admitir a derrota.

O rosto de Carl congelou quando Alice olhou para ele. Ele apertou o queixo dela e seu olhar era penetrante.

Alice continuou a encará-lo.

"O que?" Carl bufou, "Você não está cedendo?"

Alice não conseguiu responder porque seu queixo estava sendo agarrado por Carl.

Carl sorriu, "Oh, eu esqueci que segurei seu queixo!"

Ele afrouxou o aperto no queixo de Alice.

Foi muito doloroso e sua mandíbula estava queimando. Alice suspeitou que a carne em seu queixo provavelmente estava machucada.

Alice olhou para baixo, escondendo o desgosto em seus olhos com seus longos cílios.

Ela detestava criminosos que ameaçavam a polícia com mulheres.

"Ouviste-me?" Carl levantou a voz novamente. Ele ficou muito descontente com a reação de Alice.

Alice de repente olhou para cima para encarar Carl. Ela declarou palavra por palavra: "Você não pode vencer os policiais, então intimida seus amigos e familiares. Isso mudaria a lei?"

Carl ficou surpreso com as observações de Alice. De repente, ele semicerrou os olhos e levantou a mão novamente para dar um tapa em Alice.

"Smack!"

Outro tapa na cara deixou a bochecha esquerda de Alice extremamente inchada.

"Vejo que você não aprende", Carl sibilou friamente, "Você pensou que poderia escapar ileso? Você pensou que iríamos apenas avisá-lo e deixá-lo ir?"

O coração de Alice disparou, "Eles não estavam planejando me deixar ir?"

"Estou te avisando, garotinha, podemos abduzir você outra hora", Carl advertiu lentamente, "Na verdade, não vamos apenas abduzir você, mas deixar você experimentar os homens. Você pode tentar com todos dos meus homens."

Os olhos de Alice de repente endureceram e ela estava com um pouco de medo.

Carl percebeu o pânico nos olhos de Alice. Depois de assustá-la com sucesso, ele instruiu: "Deixe-a ir. Isso é apenas um aviso."

Um homem protestou: "Chefe, Jensen vai conseguir respirar se deixarmos essa garota ir tão facilmente."

"Bem, estamos apenas enviando nossos cumprimentos", Carl respondeu em voz baixa, "Diga ao oficial Charm para não nos incomodar. Somos capazes de qualquer coisa se estivermos desesperados."

Os homens gritaram "Sim, chefe!"

Dois homens despacharam Alice.

Ela imediatamente saiu assim que ficou livre.

"Pare!" outra voz alta gritou.

O coração de Alice deu um pulo e ela parou de repente.

"Suas coisas!"

Um homem se aproximou e enfiou as sacolas de compras em seus braços.

Alice segurou a sacola de compras com força.

Ele a avaliou obscenamente e o desejo por mulheres era claro em seus olhos.

Alice estava cheia de medo.

Ela saiu correndo daquele lugar.

Alice ficou petrificada. Anteriormente, ela havia ouvido que amigos e familiares dos policiais seriam ameaçados ou até mesmo feridos.

Naquela época, Alice apenas sorria e não levava isso a sério. No entanto, ela finalmente entendeu.

Foi muito assustador.

Depois de sair da área isolada, ela chamou um táxi apressadamente.

Assim que ele entrou no táxi, ela abaixou a cabeça. O motorista ficou surpreso ao perceber o comportamento dela. Ele perguntou: "Senhorita, onde você está indo?"

"Emera..." Alice deixou escapar sem pensar, mas ela não conseguiu dizer isso em voz alta.

Ela não podia voltar. E se Grace e Little Gary fossem alvos se ela voltasse?

No entanto, ela não queria voltar para a casa de Jensen.

Ela também não queria ir para o distrito de Hart Villa.

Onde ela poderia ir?

Essas pessoas conseguiram sequestrá-la mesmo nas ruas movimentadas do centro da cidade. Onde ela poderia ir?

Depois de hesitar por um tempo, ela finalmente falou, "Northern City University".

Seria melhor para ela voltar para a universidade.

Quando Jensen saiu do trabalho, ele foi direto para Hart Villa District. Ele trouxe um pouco de comida e queria comer com Alice.

No entanto, ninguém respondeu quando ele entrou na casa.

"Alice?" Jensen chamou em voz alta.

Não houve resposta.

Jensen franziu a testa. Ele largou a comida e vasculhou todos os cômodos, mas não havia ninguém por perto.

"Onde você foi?" Ele pegou o celular e tentou ligar para Alice.

A ligação foi completada, mas ninguém atendeu.

A ligação tocou por muito tempo, mas ninguém atendeu.

Jensen ligou seis vezes consecutivas, mas Alice não atendeu o celular.

Ele estava ansioso e tentou ligar para Grace.

Eram seis da tarde e Grace deveria estar em casa.

Grace atendeu a ligação e perguntou: "Oficial Charm?"

"Grace, Alice está com você?" Jensen perguntou imediatamente. Seu tom era ansioso.

"Alice?" Grace ficou muito surpresa. "Não, qual é o problema? Vocês brigaram?"

"Não", respondeu Jensen, "vou tentar procurá-la novamente. Não se preocupe, eu a levei ao shopping esta tarde. Ela disse que queria fazer compras, então talvez ainda não tenha terminado."

"Foi uma tarde inteira." Grace também estava preocupada. "Ela não é o tipo de garota que gosta de ficar em shoppings. A ligação foi completa? O telefone dela estava desligado?"

"Ninguém respondeu."

"Isso é estranho. Vou tentar ligar para ela." Grace rapidamente desligou o telefone e discou o número de Alice.

A ligação foi completada e alguém atendeu logo depois.

"Irmã!"

A voz de Alice estava um pouco rouca e ela parecia estar chateada.

Grace imediatamente percebeu que algo estava errado. "Alice, onde você está? Você está bem?"

Grace sentiu que algo deve ter acontecido com sua irmã.

"Irmã", Alice imediatamente fingiu estar bem e respondeu: "Não, estou bem. Ainda estou no campus. Acabei de verificar meu telefone e estava planejando ligar para Jensen!"

"Nada aconteceu?" Grace perguntou timidamente.

"Não." Alice caiu na gargalhada. "Irmã, por que você é tão sensível? O que poderia acontecer comigo?"

"Então o que há de errado com você?" Grace ainda estava preocupada. "Alice, sou sua irmã. Por que você não vem para casa primeiro? Você não deveria ficar fora até tão tarde."

"Irmã, eu estou bem. Só estou deprimida," Alice deu um longo suspiro e continuou, "Eu acho que não posso ser a namorada de Jensen."

"Por que você diria isso? Vocês dois não estavam se dando bem?" Grace sentiu que havia algo acontecendo.

"Irmã, ainda é a mesma coisa", respondeu Alice, "Mas não vai dar certo. Esqueça, não vamos falar sobre isso. Vou ligar para Jensen agora, então não se preocupe comigo. Estou multar."

"Você está realmente bem?"

"Claro," Alice assegurou.

"Tudo bem." Grace acreditava que Alice poderia estar preocupada com essa questão.

Depois de desligar a ligação, Alice imediatamente ligou para Jensen.

Assim que o telefone foi conectado, Jensen perguntou ansioso: "Alice, onde você está?"

"Jensen, estou na minha universidade!" Alice respondeu.

"O que aconteceu?"

"Por que você não vem para a minha universidade? Estou no campo."

"Tudo bem, mas não desligue. Estou preocupado com você. Vou até você agora." Embora Alice tenha ligado de volta, Jensen ainda estava preocupado. Ele podia sentir que algo estava errado.

"Certo." Alice parecia entediada e não se opôs.

Jensen correu para a universidade em seu carro.

Alice sussurrou ao telefone: "Você não precisa dirigir tão rápido. Estou bem, só um pouco triste."

"O que está errado?" Jensen teve uma sensação incômoda.

Comentários

Os comentários dos leitores sobre o romance: Erro que Inicia