Erro que Inicia romance Capítulo 421

"Irmã, não estou preocupada comigo mesma", Alice revelou sua mente. "Estou preocupado com você e o pequeno Gary, então procurei ajuda da Heinz."

Grace podia sentir claramente a determinação de sua irmã apenas olhando para ela.

Alice tinha decidido não deixar Jensen.

Sua determinação abalou Grace, então ela não se apressou em falar.

"Irmã," Alice pegou seu braço e disse. "Vamos, vamos para o café da escola onde podemos sentar e conversar."

Grace acenou com a cabeça, então as duas entraram em uma pequena cafeteria na escola e encontraram um lugar para sentar.

Depois de pensar um pouco, Grace disse: "Você decidiu".

Alice teve medo de que Grace ficasse desapontada e preocupada, mas ainda assim assentiu. "Irmã, não quero perder Jensen. Acho que ele é um cara legal e é alguém difícil de encontrar."

No peito de Grace havia um misto de alegria e tristeza, mas acima de tudo havia preocupação.

"Por que ele é tão difícil de encontrar?"

"Ele," Alice pensou por um momento, então disse com um sorriso, "Ele não vai me machucar. Ele respeita o que eu quero, e também não é egoísta. Ele me respeita em todos os aspectos."

Grace suspirou. Ela sabia claramente que era porque Jensen se sentia culpado.

"Alice, eu não esperava que você estivesse em perigo antes disso. Se ignorarmos isso, vocês dois ficariam bem juntos, mas agora, se sua vida está em perigo, estou realmente preocupado..."

"Irmã", Alice interrompeu Grace, "estou tentando o meu melhor para ser corajosa. Jensen é uma boa pessoa, então eu realmente não quero perdê-lo. Eu só ficaria infeliz sem ele. Estou disposta a suportar tudo as dificuldades; estou disposto a ser corajoso. Mesmo que as coisas não funcionem, eu saberia que fiz o meu melhor, mas se não der o meu melhor, nada de bom sairá disso."

"Podemos ter um final feliz se eu tentar suportar isso. Você não acha?" Alice perguntou.

Grace ficou atordoada por um momento. Então ela assentiu e suspirou.

Era o amor de sua irmã. Grace decidiu que, desde que Alice pensasse bem sobre isso, ela respeitaria sua decisão.

"Irmã, acredite em nós, acredite em sua irmã, acredite em Heinz, acredite em Jensen."

"Tudo bem," Grace disse com um suspiro impotente. "Fui convencido por você."

"Você é a melhor, Grace," Alice ficou tão emocionada que seus olhos ficaram vermelhos. "Agora eu finalmente entendo o quão teimoso eu era antes. Eu forcei você a deixar a Heinz e até tentei impedir que vocês dois ficassem juntos. Eu estava tão errado."

"Eu sei como você se sentiu e que você fez isso para o meu próprio bem", disse Grace, "Heinz também entende isso."

"Sim!" Alice sorriu timidamente. "Heinz é realmente generoso e é um bom cunhado."

"Não o chame de cunhado. Não sei o que vai acontecer entre nós ainda."

"Irmã, você ainda tem outra pessoa que você gosta?" Alice perguntou surpresa.

Grace ficou ainda mais envergonhada. "Não, eu só me sinto estranho porque ainda não somos casados."

"Bem, então vou chamá-lo de futuro cunhado", disse Alice.

"Não, apenas chame-o de Heinz." disse Graça.

"Bom Bom!" Alice pediu duas xícaras de café e disse: "Experimente. O café da nossa escola é muito bom."

As duas irmãs sentaram-se juntas e bebericaram o café.

Enquanto isso, Heinz estava olhando fotos no escritório do presidente.

Lester entregou uma pilha de fotos para Heinz antes de começar a explicar, dizendo: "Estas são as fotos de Carl, que liderou o sequestro da senhorita Alice ontem. Também encontramos as fotos tiradas das câmeras de vigilância e também descobrimos seu localização. Carl tem uma dívida de 20 milhões de dólares e está desesperado agora. A investigação do oficial Charm é intensa, então ele pode estar sob muita pressão. É por isso que ele assumiu o risco e até se atreveu a ameaçar a polícia."

"Ele está disposto a correr esse risco por 20 milhões de dólares, então é isso que vale sua resolução", disse Heinz com desdém. "Marque um encontro para ele e eu. Quero conhecê-lo."

"Sim!" Lester disse: "Vou providenciar agora mesmo. Trinta de nossos melhores guardas seriam suficientes?"

"Não há necessidade disso. Dois seriam suficientes", disse Heinz em voz profunda, "Você e Alex, dois guarda-costas, e chame dois motoristas."

"Mas, senhor, Carl é um malandro. E se ele te machucar?" Lester ainda estava muito preocupado. Se ele cometesse o menor erro, eles estariam em grave perigo.

"Encontrá-lo não requer tanta precaução", Heinz sempre foi ousado. "Não se preocupe."

Lester assentiu.

Embora o presidente dissesse isso, ele ainda organizou as pessoas em caso de emergência.

Logo, eram doze horas da tarde.

O carro chegou à fábrica na zona norte da cidade.

"Aqui está", disse Lester. "Essas pessoas pegaram a senhorita Alice aqui e deram um tapa na cara dela neste quintal."

Heinz franziu as sobrancelhas. Seu corpo inteiro estava frio.

Alguns carros estavam estacionados no pátio da fábrica abandonada.

Parecia que os homens de Carl estavam estacionados aqui.

O carro de Heinz estacionou no pátio.

Imediatamente, alguém saiu correndo e olhou com cautela para os dois Bentleys que chegavam.

"Quem é esse?" Um dos hooligans olhou para eles e gritou vigilante.

Alex saiu do carro e repreendeu os hooligans com uma voz profunda: "Ligue para o cara de sobrenome Witlock. Diga a ele que o Sr. Heinz está aqui."

"Heinz?" Claro, o gangster tinha ouvido falar do nome de Heinz. "I-isso não pode ser possível!"

Heinz era uma figura famosa em Northern City. Ele possuía inúmeros bens.

"Por que não?" Alex gritou. "Peça para ele sair."

"Sim Sim Sim!" O gangster imediatamente correu para a sala em pânico. "Big, big brother, Heinz, Heinz Jones está aqui."

"Quem?" Carl Witlock, com o rosto marcado por uma faca, perguntou com uma careta.

"Heinz... Jones."

"Dele?" Carl estava completamente perdido. "Por que ele estaria aqui? Nós o ofendemos?"

"Não, eu não sei, irmão mais velho."

"Vamos!" Carl saiu imediatamente, seguido por cinco ou seis de seus hooligans. Assim que saiu, viu os carros de Heinz, dois Bentleys pretos.

Carl cumprimentou Heinz apressadamente com uma reverência e aproximou-se do carro.

Heinz abriu a janela e revelou a expressão fria em seu belo rosto.

Assim que Carl viu Heinz, ele imediatamente deu um passo à frente com um sorriso, curvou-se ligeiramente e disse: "Sr. Jones, é realmente você. Achei que eles estavam me enganando, mas não esperava que você estivesse realmente aqui. É uma honra ter você aqui."

Além da carranca em seu rosto, Heinz estava inexpressivo.

Carl esperou, observando Heinz ficar em silêncio enquanto mantinha sua postura elevada. A presença de Heinz era imponente.

Carl realmente não sabia o que tinha feito para ofender Heinz.

"Sr... Sr. Jones?" Carl gaguejou e gritou: "O que posso fazer por você?"

Heinz emitiu um som.

Lester imediatamente abriu a porta.

Carl recuou, dando as boas-vindas com deferência a Heinz para que saísse do carro.

Quando ele balançou as pernas para fora do carro, Heinz criou uma grande pressão ao seu redor. Seus olhos penetrantes varreram os espectadores. Seu olhar imediatamente silenciou a todos. Eles estavam com muito medo até de respirar.

Carl ficou intrigado. Ao ver a atitude de Heinz, percebeu que não vinham muitas pessoas com ele. Havia apenas seis deles no total.

Ele ficou um pouco surpreso e perguntou novamente: "Sr. Jones, qual é o problema?"

Heinz varreu seu olhar e olhou nos olhos de Carl friamente. Ele perguntou com indiferença: "O que há de errado? Devo ter um motivo para procurá-lo?"

Comentários

Os comentários dos leitores sobre o romance: Erro que Inicia