Fórmula do Amor capítulo 28

sprite

Entro em casa encosto na porta e sorrio.

—E o piloto ganhou! Lili fala me dando um susto.

—Você quer me matar do coração?

Pergunto e ela da de ombros.

—Onde está o Taylor?

—Já dormiu, ele disse que estava cansado do passeio, aí ele tomou banho, jantou e dormiu. Ela fala e senta no sofá.

—Vou tomar um banho. Falo

—Eu quero saber tudo, e primeiramente o que fez com o medico bonitão. Ela fala e eu sorrio, subo as escadas e vou para o quarto do Taylor, dou um beijo nele e vou para o meu tomar um banho.

As lembranças dele tocando meu corpo suavemente, a muito tempo eu não ansiava por o toque de um homem como desejei hoje o toque dele.

Termino de tomar banho, pego meu hidratante e passo no meu corpo.

—Agora onde falar tudo. Lili fala quando me ver descendo as escadas.

—Eu posso comer primeiro?

Pergunto e ela sorrir, vou até a cozinha preparar algo para mim comer e ela vem atrás.

—É grande?

Ela pergunta me fazendo olhar para ela.

—O que Lília?

—Os dotes dele né amiga, por que ele daquele tamanho se for pequeno, ninguém merece. Lília fala naturalmente.

—Eu não sei tá, nós não chegamos a esse ponto, e nem pretendemos chegar agora. Ela revira os olhos

—Está de brincadeira, ficou até essa hora com ele e não rolou nada?

—Não é bem assim Lília. Me estresso

—Tá bom, desculpa. Ela faz sinal de rendição. —Mais e o médico bonitão?

—Estava se pegando com a ex dele. Falo naturalmente.

—Tá brincando? Sério, não acredito que ele fez isso. Lília fica surpresa.

—Sim, ele ainda tentou vim com a desculpa de que não era nada daqui que eu estava pensando. Lília sorrir.

—Mais de certa forma foi muito bom, pelo menos você e o piloto se pegaram. Lília fala e vai para o quarto rebolando.

(Cris)

Eu estava jogando videogame com o Léo quando a Mia me ligou, fiquei surpreso com a ligação, mais foi uma das melhores coisas que me aconteceu esses últimos tempos, eu gosto dela, e pretendo fazer isso dar certo.

Léo ao mesmo tempo que ficou puto comigo por sair no meio da partida em que ele estava ganhando, ele ficou feliz e disse para mim não por tudo a perder como ele fez.

—Que sorriso bobo é esse estampado assim no

Lúcia pergunta sentando no sofá próximo a

—Não é nada demais, só estou sonhando alto. Falo olhando docemente para ela, à como eu amo essa mulher, tudo que ela fez por mim, eu tenho tanta gratidão por a vida que ela me proporcionou depois de tudo de ruim que eu passei.

—Eu conheço essa cara, está gostando mesmo dela né?

Esse é o motivo dos meus sorrisos bobos.

—Lúcia eu te amo, não me adaptei a te chamar de mãe, mais é isso que você é para mim, uma mãe. Falo e ela começar a chorar.

—Você é minha luz no final do túnel filho. Ela fala e puxo ela para um abraço.

Várias pessoas passou por onde eu estava e nenhuma delas teve a coragem de me ajudar, já a Lúcia não sossegou enquanto não me achou e me levou para sua casa, eu não sabia andar no rio, então fiquei perto da minha casa e do morro, foi quando ela me achou, aquele dia para mim, foi como se eu tivesse encontrado o paraíso, ela me levou para sua casa, e depois para o hospital do morro, foi onde fizeram a sutura nas minhas costelas, e me ma deram embora, quando eu comecei a ganhar dinheiro de verdade, eu pude fazer doação para o hospital que não recebe muita verba, vem dinheiro para eles, mais uma boa porcentagem é desviada para o dono do morro.

me deitar. Ela fala levantando, olho no relógio e são oito e meia, ela nunca deita a esse horário.

—Está tudo bem?

Pergunto preocupado.

—Está sim filhos, só estou com enxaqueca. Ela fala e dá um beijo em minha testa, Lúcia vai para o quarto e fico pensando que já está nós dias de fazer um os exames de rotina dela, se mão me engano ela fez a pouco mais de um ano. Lúcia está com quarenta e dois anos, é uma mulher nova, o pai do seu filho à abandonou quando soube de sua gravidez, ela cuidou do menino sozinha, até o dia que ele morreu, eu tenho um detetive particular que investiga o caso, a última vez que falei com ele, estava bem perto de descobrir quem poderia ter sido.

sozinho hoje, a Lúcia ou o Léo sempre me faz companhia. Termino minha refeição, subo para meu quarto, tiro minha calça e minha box, o cheiro dela ainda está na minha camisa, não pude deixar de sentir seu cheiro por mais alguns minutos, entrei embaixo do chuveiro pensando na maciez dos seus lábios, e como eu queria que ela estivesse aqui agora comigo.

Dormi pensando nela.

os olhos devagar, os raios solar já invadem meu quarto por que deixei a janela aberta

é quarta feira, daqui a pouco ela deve aparecer. Levanto rapidamente e vou para o banheiro, faço minha higiene pessoal e tomo um banho. Saio do banheiro e vou para meu closet, visto uma box branca e um moletom cinza, passo meu desodorante e depois o perfume, não é só por causa dela, todos os dias eu faço isso, mais também é por causa dela

quarto, desço as escadas e vou até a cozinha, Lúcia está preparando

—Bom dia, como amanheceu hoje?

dando um beijo em

—Estou bem, e você?

lembrar de marcar uma consulta

e como está sua

vá tomar seu café que já está pronto. Ela fala e eu

uma consulta para você, e não diga que não vai. Ela me olha seria, vou para mesa e tomo meu café, e como pensei não demora muito para a Mia chegar, Lúcia vai abrir a porta e termino rapidamente de tomar meu café e me dirijo a sala, onde as duas

ficou na escola. Ela fala sorrindo

ele aqui mais vezes, adorei ele. Lúcia fala e olha para

Falo olhando para a mulher que está dominando meus

dia Cristian. Mia fala séria, com certeza ela interpreta bem