Meu Senhor Capítulo 39

sprite

Arthur Albuquerque

O que foi isso?

Ouvir meu nome saindo de seus lábios, foi a sensação mais gostosa que já tive na vida, me senti pertencendo a um lugar.

Já me sinto assim quando ela me toca.

Não sou muito de deixar minhas submissas me tocar, aprecio um cafuné, uma massagem nos pés e até uma masturbação, mais na hora da transa, não gosto de sentir o toque, por isso prendo as mãos delas.

O toque me desconcentra, e muitas vezes me faz perder o controle.

Nunca ansiei ser tocado por uma submissa, como anseio ser tocado por Eduarda.

Cheguei a uma conclusão: estou fudido.

Acabei misturando bdsm e putaria com sentimentos, pois é a única explicação que tenho para isso que está acontecendo.

Minha relação com Eduarda está sendo recheada de primeiras vezes.

Nunca senti pena de uma submissa em vê -las chorar por atenção. Hoje senti pena de Duda, achei que exagerei no castigo, achei que fui longe demais... Vê-la chorando, achando que eu não ia a perdoar pelo erro que cometeu, me cortou o coração de uma forma que, os desdobramentos disso, me fizeram estar aqui... Sentado nos pés de sua cama, vendo ela dormi profundamente.

Como eu amo observa-la dormi desse jeito.

Graças a pena que senti, fiz a proposta do sexo baunilha e tentei me redimir o máximo que pude, por ter feito ela sofrer.

Nunca pratiquei sexo baunilha. Não via graça, só me irritava... E com ela... Foi perfeito!

Tão perfeito que saímos da piscina, e viemos parar no quarto. Eu já perdi a conta, de quantas vezes entrei nela ou de quantas vezes chupei essa boceta gostosa. E só são oito horas da noite.

Nunca fui de beijar na boca, e com ela da vontade de beijar o dia todo.

Ou seja ... Ela me faz querer coisas que nunca quis, explorar caminhos que nunca quis percorrer...

Fudi com minha relação bdsm, botando sentimentos no meio de tudo.

Como vou castigar minha submissa quando ela me contrariar? Pq isso vai acontecer e eu vou ficar puto, pois não admito ser contrariado. Faz parte da minha natureza, caralho!

Mais aí como vai ser? Eu vou castigá-la e depois ficar remoendo sentimentos de culpa?

Como vou ter uma relação bdsm com ela, apaixonado?

Eu não sei viver de outra forma. Isso é o que sou, que conheço,  que aprendi desde sempre!!!

Como vou dar o que minha submissa espera de mim, se sinto pena em castigá-la?

Eu preciso pensar!!!

Eu me sinto um garotinho sem saber o que fazer... Perdendo o controle da minha vida aos poucos... Não é uma hipótese eu me afastar. Eu não conseguiria, não estando tão envolvido com ela...

Eu só preciso saber como agir!

Bernardo e meu pai tem razão, eu só preciso readaptar a minha vida.

Nem todas submissas são iguais, como nem todos dominadores. Cada um tem as suas particularidades. Eu só preciso moldar a minha relação com Duda, de acordo com as nossas particularidades.

Eu suspiro, dou um beijo em sua bunda arrebitada para cima. Ela ama dormi nesta posição, abraçada aos travesseiros. E eu amo vê-la dormi assim.

Tão serena... Tão minha...

o banheiro, tomar um banho frio, pra ver se ponho minha cabeça no lugar.

Amanhã será um novo dia!!! Eu eu preciso descansar.

*********

***Um mês depois

Arthur Albuquerque

Duda irá estrear em nossas festas. Ela saberá como elas funcionam, é a primeira vez que vai numa, então está empolgada.

Teremos como atração principal, uma cena com Sabrina e Paulo.

A festa será na cobertura de Paulo. São vinte convidados, só para os mais chegados, aqueles que temos mais intimidade.

O mês que vem a festa será no casarão, aí sim acredito que Duda estará preparada para algo mais instigante.

ela um bore de couro com um decote cavado amarrado no pescoço e uma mini saia com tiras nas laterais. Pedi a Açucena para fazer um rabo de cavalo bem alto, caprichar na maquiagem. Para completar o visual, uma sandália de tiras com salto agulha 15 e a coleira no pescoço.

estarei com uma calça jeans desbotada e rasgada na frente. Um polover preto e botas.

Além dos convidados de sempre, também estará presente Silvio. Fui obrigado a chamá- lo por meu pai, pois ele descobriu a festa e reclamou com meu pai, que eu não tenho privilegiado ele com um convite, logo ele, um membro antigo de nossa comunidade.

chamar ele, muito

investigação que pedi ao Barreto para fazer, teve resultados satisfatórios. Descobri que ele anda metido com contrabando de peças de carro para corrida. Um negócio lucrativo, que anda enchendo mais o bolso

quem não sabe, esse tipo de quadrilha vende peças de carro dos

descobriu um esquema imenso, e o maior beneficiário é ele. Por isso que ele vive envolvidos em corridas de carro, patrocinando equipes e muitas vezes, viajando com

As fichas começaram a cair.

informações estão bem guardadas, gosto de ter armas contra meus inimigos, para usá-las se eles resolverem se meter

festa já mobilizei meus seguranças. Italo estará no meu encalço o tempo todo. Se precisar me afastar de Duda, o chamo. Não pretendo deixar ela sozinha um minuto sequer. Não vou dar brecha nenhuma

nunca ter ouvido histórias de que ele abusa de suas meninas,todo cuidado é

que alguns dominadores usam o bdsm para expulsar

homem que tem monstros dentro si e que usa meios sexuais para soltá-los, não merece confiança. Sei que gostar de sexo forte e algumas coisas não dita "normais", não é uma psicopatia, mais não sou hipócrita de achar que não existe essas pessoas em

no meio dito "normal" existe. Então todo cuidado

a gola da minha camisa no espelho e termino de pentear meu cabelo. Me viro para o telão e vejo Açucena arrumando os últimos detalhes da minha

nervosa, já disse isso a Açucena. E isso é normal! Será sua primeira

acredito que esteja excitada também, pq ela gosta de surpresas... A perspectiva funciona como um afrodisíaco para