NO MORRO DA ROCINHA 11

sprite

Malu narrando

Julia tinha descido para pegar algo para a gente comer, enquanto meu corpo doía muito, eu pego outro remédio e bebo mais um pouco de água.

Eu já era acostumada com essas dores mas elas incomodava muito, minha intimidade latejava e doía muito , Perigo era grosso de mais.

- Aqui – ela fala entrando com brigadeiro – acho que você vai gostar.

- eu amo brigadeiro – eu falo sorrindo.

Ela se senta ao meu lado e a gente começa a comer.

- Você e o Ph? – eu pergunto.

- Estamos juntos a alguns meses – ela fala.

- Você é louca se sua mãe descobre – eu falo rindo – ela mata e capa ele, aquela mulher é o demônio.

- É mais ou menos isso – ela fala e a gente começa a rir.

- Ele gosta de você? Por favor não se iluda – eu falo.

- A gente gosta um do outro – ela fala – ele até conversou comigo sobre você.

- Sobre mim? – eu pergunto.

- É – ela fala – ele disse que tem uma forma de você se livrar de PERIGO.

- TEM? – eu falo rindo -então por favor me diz o que ele disse que eu preciso saber como me livrar daquele demônio.

- Você precisa se envolver com outra pessoa poderosa tanto quanto ele – ela fala e eu a encaro.

- Isso é loucura – eu falo.

- Não é não – ela fala. – ele falou que se você se envolver e engravidar essa pessoa te protege.

- E ai eu vou ficar nas mãos de outro filho da puta que nem ele? – eu pergunto.

- Ele disse que qualquer um é melhor que o Perigo – ele fala.

- Não é não – eu falo – todos eles são iguais Julia, você não pode acreditar em tudo que eles falam.

- Essa é a forma que ele disse que você pode se livrar dele – ela fala.

- A única forma seria me envolver com um policial, contar e fazer um acordo, mas isso é impossível – eu falo para ela. – bandido nenhum é bom..

- Ph é – ela fala.

- Pode ser que ela seja mesmo assim você precisa tomar cuidado – eu falo para ela.

Rd – ela fala – você poderia se envolver com Rd, você está na casa dele.

- Você está louca?Rd é primo dele seria a mesma coisa que começar uma guerra – eu resmugo.

Eu já ouvi uma conversa entre ele e minha mãe onde ele diz a ela que não confiava no primo, ele não iria te assumir como fiel até porque ele jamais assumiria alguém, mas pelo menos você teria a proteção dele –

- Nem pensar – eu digo me mexendo e suspiro de dor – Rd é pior que Perigo se não forem iguais – eu faço gesto com a mão – me livrar de um para achar outro pior seria a mesma coisa que me enfiar em um buraco para ser enterrada

- Estou tentando te ajudar – ela fala – conheço Rd a minha vida toda, nem sempre ele foi assim amargo.

ele não deveria ser dono de morro nenhum, agora ele é minha amiga – eu falo – e o poder sobe a cabeça.

Julia se mantém em silêncio, ela vai para casa porque a sua mãe fica ligando para ela a cada cinco minutos, como eu já tinha dito a ela, a mãe dela apenas se preocupava com ela e nada mais, era normal quando existia amor de uma mãe pelo um filho, quando a minha mãe ainda se preocupava comigo, ela era assim dessa mesma forma, eu lembro o quanto ela protestou quando eu subi o Santa marta.

as escadas e Rd limpava o cano da sua arma na mesa da cozinha.

- Eu vou fazer janta, você quer comer? – eu pergunto.

- Se arruma – ele fala.

- Não é dia de eu ir lá – eu falo para ele que me encara.

- Ir onde? – ele pergunta

- Na penitenciaria – eu falo

vamos para penitenciaria – ele fala – você vai no baile

baile? – eu pergunto

Sim – ele fala – anda se

não vai gostar de saber que eu fui em um baile – eu falo para

está aqui agora? – ele pergunta

- Não – eu respondo.

Então anda, garota. Se arruma – ele fala e

subo e coloco um shorts preto cintura alta e um sutiã preto, faço uma maquiagem pesada e passo um batom vermelho, pego a chapinha que eu tinha pego em uma lojinha aqui e faço uns cachos no meu cabeço, coloco uma bota preta que também tinha pego numa loja colocando tudo na conta do Rd e calço ela, eu desço as escadas encontrando Rd arrumado

- Vamos – ele fala.

anos que eu não vou em um baile porque Perigo não me deixava ir , no começo achava que era por causa de ciúmes mas depois eu vi que era porque assim ele conseguia pegar todo mundo lá dentro. Ele não estava ai em me dar a fama de

me sinto completamente perdida no camarote, Ana se aproxima de Rd e fica me olhando com cara de deboche, eu vou até a proteção do camarote e fico olhando para

rondado meu homem mesmo – Ana fala parando do meu lado – Até no baile tá