NO MORRO DA ROCINHA 14

sprite

Perigo narrando

Meu celular começa a tocar e eu me sento, estou em uma cela sozinha.

- Que merda é essa – eu falo vendo um video onde mostra Malu dançando no baile quase nua, tirando a sua roupa e os caras tudo chamando por ela.

Depois algumas fotos dela sem sutiã correndo pelo morro e enfrentando Rd e depois uma foto do Rd colocando-a por cima do ombro.

Eu ligo para Rd e o celular chama mas ele não atende, era de madrugada e não deveria fazer muito tempo que isso tudo tinha acontecido.

- Eu vou matar essa filha da puta – eu falo com raiva.

Eu continuo ligando e nada dele me atender. Eu começo a ficar com raiva dela , se eu tivesse lá Malu já estaria morta.

- Cadê Rd? – Eu pergunto para Jk quando ele me atende.

- Levou sua morena furioso para casa – ele fala.

- Filha da puta eu vou matar essa desgraçada – eu falo.

- Rd já deve ter trancado ela em um quarto – ele fala – lá ela não vai sair tão cedo.

- Eu não quero ela andando pelo morro de forma nenhuma – eu falo – eu quero essa desgraçada trancada dentro de um quarto, sozinha , sem comida, sem água. Para ela ver o que é bom para tosse.

- Eu vou ir lá tentar falar com Rd e te ligo – Jk fala e eu desligo a chamada.

Malu narrando

Eu acordo com uma sensação gostosa, meu corpo se contorcia e abro os meus olhos vendo que Rd estava no meio das minhas pernas, sua língua girava no meu clitóris, me fazendo soltar um gemido, ele me encara mas não para de mexer sua língua, eu olho para janela e o dia já tinha amanhecido,

Eu volto a sentar em cima dele lentamente e beijando a sua boca, os movimentos agora era mais lentos do que durante a madrugada, ele correspondia o meu beijo e passava a minha mão pelo seu corpo.

Seu celular começa a tocar sem parar, ele ignora, mas o celular toca mais uma, duas, três vezes.

- Preciso atender – ele fala e ele se senta comigo em seu colo, ele pega o seu celular e eu encosto a minha cabeça em seu ombro, enquanto rebolava em cima dele.

Rd narrando

Eu pego o meu celular e atendo sem ver quem era.

- RD – A voz de Perigo soa e eu abro os olhos vendo a merda que eu estava fazendo com Malu em cima de mim.

- Fala Perigo – eu falo e na mesma hora Malu que tinha seu rosto no meu ombro, me encara.

- Eu já recebi fotos e vídeos da Malu ontem, cadê aquela desgraçada? – ele pergunta e eu encaro Malu.

- Tá dormindo no quarto dela – eu falo – aquela filha da puta bebeu e se drogou.

- Como você deixou? – ele pergunta com

fugiu ué – eu falo enquanto Malu aumentava o ritmo de sentar-se em cima de mim e começa a beijar o meu pescoço. – Mas não se preocupa eu vou dar uma lição nela.

Ela geme perto do telefone e eu seguro o seu rosto.

- Está ocupado é – ele fala – eu ligo depois.

- Relaxa – eu falo – Malu não vai mais aprontar.

você desocupar – ele fala – você me liga, eu quero te passar

Falou – eu falo desligando o telefone e jogando

– ela fala me deitando na cama e segurando em meus ombros e quicando a sua bunda no meu

tá puto com você – eu falo segurando em seu

Deixa aquele corno para lá – ela fala beijando a minha boca e eu correspondo o seu beijo, apertando em sua bunda forte e depois batendo em sua

as suas mãos para trás em meu joelho, joga seu corpo também para trás e começa a sentar em meu pau, ela abre um sorriso em seu rosto, eu pego em seus seios e ele quicava em cima de mim com bastante

viro ela de frente e seguro as suas mãos para cima da sua cabeça, eu beijo seu corpo enquanto metia nela, ela fecha os olhos mordendo os seus lábios e eu começo a chupar os seus seios, ela gemia e gozava muito em meu pau, eu começo aumentar a intensidade dos movimentos vai e vem, e solto as suas mãos colocando novamente suas pernas em meu ombro, eu seguro em seus seios forte e começo a estocar com força, a cada penetrada era um esguiche dela , o gozo escorria por sua intimidade, enquanto ela segurava em meus braços pressionando sua intimidade em meu pau também, fazendo com que cada estocada ficasse mais forte e

(...)

os meus olhos e Malu está nua do meu lado dormindo, eu olho a hora e era quase 15h da tarde, antes de sair do seu quarto, eu tranco as suas janelas e a

saio para fora de casa e Bn que eu tinha chamado pelo rádio se