O CEO Noivo Da Minha Irmã Um Amor dos sonhos Te odeio Adrian

sprite

Cap. 07

O CEO Noivo Da Minha Irmã

Gisele

Que loucura que eu fiz, não consigo entender, e nem aceitar, que fui uma mulher fácil como sempre prometi não ser, a minha mãe!

Oh não, estou morrendo de vergonha do que fiz, e por isso estou a mais de uma hora tomando banho, e tentando colocar a cabeça no lugar, ainda bem que água morna está ótima e ao menos me fez para de chorar, e minhas partes íntimas parou de arder, mas preciso me acalmar e ter uma ideia para sair dessa situação, já que não acredito nadinha no que o noivo da minha irmã disse, ele não pode querer se casar comigo assim!

Adrian me ofereceu um sonho, mais eu sei meu lugar na vida, e não acredito em conto de fadas, e nunca fui como minha mãe disse que era quando ela era jovem, pois minha mãe era cheia de vontade de se dar bem na vida através de um homem rico, já eu não acredito que um homem rico se interesse de verdade por uma moça pobre como sou, afinal é isso que sou, apesar do meu pai ter sido rico.

Mas, afinal, eu sei que na hora do sexo os homens não olham isso, e eu realmente sempre souber que tenho o tipo silhueta que atraí aos homens, afinal sou como minha mãe, e ela é realmente linda mesmo depois de tido quatro filhos.

Estou lavando pela terceira vez meus cabelos e pensando em ligar e contar para minha mãe, pois talvez ela possa me ajudar a resolver essa situação, porém de repente, ouço batidas fortes na porta do banheiro.

Infelizmente não poderei adiar mais, então desliguei o chuveiro e peguei a toalha, e me sequei e fui abrir a porta.

Meu coração disparou, sabendo que era o Adrian.

Porém, não era ele, e sim uma mulher que trabalha na casa, ela se apresentou rápido, e me pediu desculpas pela invasão, mas que era preciso ser assim devido à situação extrema, pois ela veio me avisar que um acidente aconteceu e que o seu chefe acabou de ir socorrer sua noiva Karina, que ao sair muito rápido da garagem do prédio, se chocou em dois carros em alta velocidade, e então o senhor Adrian foi imediatamente informado pelo porteiro da tragédia, e só pediu para que eu fosse avisada.

Ao entender o diálogo rápido grego da mulher, e enfim me dá conta da grave situação, quase entro em choque e caiu, mas antes a mulher me segura, e novamente me pediu desculpas e me levou até a cama, e me fez sentar.

Logo ela foi buscar água com açúcar, e me deu.

Tomei um gole, e pedi que ela me deixasse sozinha, que eu iria me vestir e descer, a mulher me deixou sozinha e fui colocar minha roupa, e em seguida saí para entrada do prédio, e dentro do elevador, já era possível ouvir as sirenes dos carros de ambulância.

Ao chegar no térreo do prédio, a entrada estava cheia de pessoas conversando e apontando para a rua que estava como um cenário de guerra, com pedaços de veículos pelo pista, e para meu horror reconheci entre os três carros, imediatamente o carro da minha irmã Karina quase destruído e capotado, e outros carros no mesmo estado.

O resgate estava acabando de sair, provavelmente com todos os envolvidos no acidente, pois eram três ambulância.

Tentei pedir informações, e somente uma moça do prédio acabou me ajudando, e me disse que pela gravidade do acidente o hospital indicado seria geral de Atenas.

Ela se ofereceu para me levar até lá, e eu aceitei, pois queria notícias da minha irmã, e rapidamente parti com Soiya.

foi demorado, e estou muito nervosa, pois a situação dos carros, não deixava dúvida que as vítimas do acidente não poderiam estar bem.

Soiya me deixou na entrada do hospital, e foi embora, e realmente ela tinha razão, pelos números das ambulâncias na porta da emergência pude já ter certeza que Karina estava no

Cheia de medo, entrei e fui pedir ajuda e informações na recepção, logo informei a recepcionista que minha irmã sofreu um acidente, e que ela foi trazida ao hospital, e a moça foi conferir, e me apontou para ir para sala de espera no fim do corredor, pois o caso dela era mais grave das três vítimas, e que no momento eu só poderia aguardar, me dirigir a sala, e já entrei no local e vi o Adrian ao celular olhando pela janela e falando provavelmente com meu pai, e assim que ele me viu, seu olhar parecia está cheio de remorso.

Tentei ir em direção oposta a dele, e graças aos céus a sala não era tão pequena, me sentei e comecei a rezar.

Poucos minutos depois, minhas orações foram interrompidas, pois ele me tocou no ombro.

— Gisele eu não tive culpa, sua irmã simplesmente saiu da minha casa muito alterada me dizendo que eu iria me arrepender por trocá-la, mas jamais imaginei uma tragédia

Adrian está abatido e parece muito triste, e totalmente diferente do homem autoritário de antes.

— Aí minha nossa, você está me dizendo que minha irmã tentou se matar?

— Provavelmente ela não tinha noção, e só queria me fazer sofrer, mas

— Pelos céus Adrian, eu te avisei que isso era loucura, você podia ter me ouvido, mas não, quis afagar seu ego de macho, e agora você pode ter matado a minha

para cima dele com tudo, tentando o esbofeteá-lo, mas ele é muito mais forte que eu, e me

— Já chega boneca, você está nervosa demais, mas entenda que eu não estava ao volante, e foi Karina que provou tudo, ou você já esqueceu que ela que

— Te odeio Adrian, e se minha irmã morrer, eu juro que nunca vou te perdoar, e você vai ter que pagar de algum jeito, por ter causado essa dor a minha

Ele me abraça forte e com força, e não me deixa sair dos seus braços, o cansaço e angústia me faz ficar em silêncio.

Mais de uma hora depois, entra um médico, e logo começa a falar da paciente, eu só não caí, porque o Adrian estava me

estava muito mal, e seu estado é grave, e ela passou por uma cirurgia, para conter uma hemorragia no abdômen interna, e por hora está em coma, e não se saber a gravidade do estado cerebral dela, apesar dela ter tido a sorte do carro dela

Os outros envolvidos no acidente, estavam bem, já na enfermaria, pois somente ela era que estava