Destino Cruzado Não Soltar! ( Ângela Alves ) romance Capítulo 1098

No quintal, Galeno virou-se e encontrou o olhar de Felipe.

Por que hoje o tio Felipe estava estranho, sempre tentando olhar ele às escondidas? Será que ele tinha demonstrado alguma fraqueza, ou sua mãe havia dito algo errado, levantando suspeitas?

Ele fez uma careta para Felipe e virou-se para outra direção.

Felipe não conseguiu evitar uma risada. Apesar da língua afiada de Galeno, que sempre o irritava, ele tinha que admitir que o garoto era adorável.

Se Noe ainda estivesse vivo, com certeza seria muito diferente de Nilo.

Entre os dois, certamente um se pareceria com Ângela.

À noite, Galeno e Nilo compartilharam o mesmo quarto.

Ele trancou a porta com cuidado e tirou a máscara com cautela.

"Nilo, eu dei alguma bandeira hoje?"

Nilo balançou a cabeça. "Não, por quê?"

"É que o tio Felipe estava meio estranho hoje, sempre me olhando. Será que ele suspeita que eu estava usando uma máscara?" Galeno encolheu os ombros.

Nilo supôs que fosse porque sua mãe tinha dito ao pai que Galeno era a reencarnação de Noe.

Ele havia subido para pegar um robô e, sem querer, ouviu parte da conversa.

"Se meu pai realmente suspeitasse, já teria tirado sua máscara. O fato de ele não ter feito nada mostra que não suspeita."

Galeno mostrou a língua. "Tão direto e brutal assim, então por que ele ficava me olhando? Eu não provoquei ele hoje."

Nilo dobrou uma sobrancelha. "Talvez porque ele queira se dar bem com você, seu sobrinho querido."

Galeno fez um biquinho. "Duvido muito, ele nem gosta de mim. Deve me ver como um estorvo, e eu também não gosto dele."

Na TV, sempre mostram que as crianças trazidas pelas mães são vistas como um fardo.

Capítulo 1098 1

Capítulo 1098 2

Comentários

Os comentários dos leitores sobre o romance: Destino Cruzado Não Soltar! ( Ângela Alves )