Erro que Inicia romance Capítulo 412

Um dos homens sorrateiros zombou: "Aquele estúpido oficial Charm nos impediu de ficar ricos. Se não lhe ensinarmos uma lição, ele não saberá o quão poderosos somos."

Os outros homens instruíram: "Essa é a mulher, fique de olho nela!"

"Sim, chefe, não se preocupe."

Alice estava nos braços de Jensen e ele a apertou. Ele disse: "Ainda tenho meia hora antes de precisar voltar ao trabalho. Você está indo para o campus ou para o distrito de Hart Villa?"

"Vou fazer compras", respondeu Alice, "não tenho aulas à tarde, então vou comprar algumas coisas."

"Não posso acompanhá-la", Jensen perguntou se desculpando, "Alice, você pode fazer compras sozinha?"

"Eu não contava com você vindo para me fazer companhia." Alice lançou-lhe um olhar e continuou: "Você deve cuidar de seus próprios assuntos. Não se preocupe comigo, vou embora agora."

"Vou mandar você para o shopping." Jensen olhou para o relógio e acrescentou: "Ainda tenho tempo para levá-lo até lá e voltar."

"Bem, tudo bem." Alice não recusou.

Os dois foram juntos ao shopping.

Alguém estava observando cada movimento deles à distância.

Quinze minutos depois, Jensen acompanhou Alice até a entrada do shopping e disse: "Vá, pegue um táxi para casa quando terminar."

"Não precisa pegar um táxi. Vou pegar um ônibus." Alice era uma estudante e ela era muito frugal.

Jensen pegou sua carteira e passou uma pilha de dinheiro para Alice. Ele insistiu: "Aqui, pegue um táxi de volta depois que terminar de fazer compras. Sou apenas um policial, mas ainda posso permitir que minha mulher chame um táxi."

"Você é um homem." Alice fez beicinho e acrescentou: "Por que você tem que ser tão teimosa? Não quero o seu dinheiro."

"Pegue." Jensen ignorou Alice. Ele tirou a carteira de Alice do bolso dela e colocou o dinheiro nela. Ele explicou: "Alice, sou homem. Devo pagar se minha mulher quiser comprar alguma coisa".

Alice se sentiu impotente quando viu o rosto sério de Jensen. "Tudo bem, eu vou levar."

Jensen ficou feliz em ouvir isso.

Eles acenaram e se despediram.

Jensen observou enquanto Alice entrava no shopping antes de se virar para sair.

Alice caminhou longamente pelo shopping. Ela comprou algumas roupas íntimas para si mesma e até comprou dois conjuntos de roupas íntimas para Jensen.

Alice saiu com suas sacolas de compras e decidiu dar uma olhada nas lojas do lado de fora do shopping.

Alice não percebeu que estava sendo seguida por dois rapazes. Ela entrou na zona de pedestres, mas ainda não havia chegado à área lotada.

De repente, alguém agarrou seus braços.

"Ah!" Alice gritou e gritou: "Quem é você?"

No entanto, ninguém a respondeu. Alguém cobriu sua cabeça com uma sacola preta e todos os seus pertences caíram no chão.

Alguém atrás dela sorriu, "Pegue todas as coisas dela. Não deixe cair nada ou vamos irritar o oficial Charm."

Alice ficou chocada. Os homens que a sequestraram tinham algo a ver com Jensen?

Jensen os ofendeu?

Seu coração estava acelerado, mas ela não conseguia se libertar. Ela queria gritar por socorro, mas foi empurrada para dentro de um carro.

Logo, o carro rugiu para a vida.

Ela não entrou em pânico quando se sentou no carro. Ela conhecia algumas técnicas de autodefesa, por isso não tinha medo de ladrões comuns.

No entanto, os dois homens que a sequestraram eram muito fortes.

Ela decidiu não lutar muito por medo de ser dominada.

Cerca de quinze minutos depois, o carro chegou ao seu destino.

O carro entrou no beco depois de muitas voltas e mais voltas.

Pouco depois, a porta do carro se abriu.

Alguém gritou: "Chefe, eu a trouxe."

Um homem respondeu: "Traga-a para dentro."

"Sim chefe!"

Alice saiu do carro e tentou se soltar quando ninguém estava prestando atenção.

Ela arrancou o saco preto da cabeça.

"Ah, ela está tentando fugir!"

Um homem gritou.

Alice examinou a área rapidamente. Era um pátio com resíduos de carvão por toda parte. Parecia uma pequena fábrica.

Mais de cinco homens estavam por perto. Eles foram imediatamente alertados assim que ela tentou se libertar.

"Uau!" Um homem riu. Ele parecia estar na casa dos quarenta e havia uma cicatriz em seu rosto. A cicatriz era impossível de passar despercebida e o fazia parecer feroz.

Ele olhou para Alice e o canto de seus lábios se curvou. Ele sorriu, "Ela é de fato a mulher do Oficial Charm. Ela tem algumas habilidades."

Alice ficou paralisada no lugar enquanto olhava para eles. Ela perguntou sombriamente: "Quem é você?"

"Você não precisa saber, garotinha," o homem com uma cicatriz respondeu, "Você não precisa ter medo. Nós a trouxemos aqui para nos ajudar a entregar uma mensagem ao oficial Charm. Ele nem sempre deve fazer coisas difíceis para nós. Também somos pessoas que precisam colocar comida na mesa. Não é divertido quando ele está sempre implicando conosco e nos fez perder muito dinheiro."

Alice entendeu imediatamente ao ouvir isso. Ela retrucou friamente: "Jensen provavelmente está atrás de você porque você fez algo ilegal. Contanto que você cumpra a lei, ele nunca iria pegar no seu pé."

Carl, o homem com uma cicatriz, estreitou os olhos e seu rosto escureceu. "Cumprir a lei?"

"Isso mesmo!" Alice respondeu solenemente: "Se você cumprir a lei, Jensen não irá procurá-lo. No entanto, se você fizer algo errado, ele irá te caçar."

"Irmãos, vocês a ouviram?" Carl repreendeu em voz baixa.

Os outros homens disseram em coro: "Sim, chefe!"

"Parece que a mulher do policial Charm se recusou a aceitar nossa oferta."

"Então deixe-a fazer isso da maneira mais difícil."

Os homens estavam ansiosos para fazer um movimento.

Alice percebeu que os homens eram habilidosos e provavelmente sabiam lutar.

Ela tinha algumas habilidades de autodefesa, mas só conseguia lidar com ladrões amadores ou gângsteres comuns. No entanto, esses homens pareciam um pouco difíceis de lidar.

Alice estudou os arredores. O portão estava a mais de vinte metros de distância e parecia muito longe.

Ela não podia escapar.

"É contra a lei você me sequestrar. Você será responsabilizado pelo que fez." Alice alertou.

Um homem exclamou: "Perdemos nossa única maneira de sobreviver, então o que nos importa? Pegue-a!"

Os homens se lançaram sobre Alice e ela foi imediatamente encurralada.

Ela enfrentou quatro homens sozinha.

Um momento depois, seu braço foi agarrado.

Alice lutou e disparou: "Solte-me!"

"Smack!" Carl deu um tapa no rosto dela e acertou outro tapa com as costas da mão.

Instantaneamente, o rosto de Alice ficou vermelho e inchado. Havia impressões de palmas em ambos os lados de suas bochechas.

Sangue escorria pelo canto de seus lábios.

A dor ardente era indescritível.

"Menina, você é tão arrogante quanto o oficial Charm", Carl riu, "Estávamos sendo corteses, mas vamos brincar com você se você for rude."

"Hahaha!" os outros homens começaram a rir. A risada deles era muito sinistra e obscena. Um homem zombou: "Que garota linda. Um cara chato como o oficial Charm sabe se divertir? Garotinha, você deveria considerar seguir nosso chefe."

Alice cuspiu, "Nos seus sonhos!"

"Hmph!" Carl bufou e caminhou até Alice. Ele agarrou o queixo de Alice e rosnou: "Menina, não pretendemos machucá-la. Só queremos que você entregue uma mensagem ao oficial Charm. Tenha cuidado, todo mundo tem suas próprias famílias e amigos, então não dificulte as coisas para nós!"

Comentários

Os comentários dos leitores sobre o romance: Erro que Inicia