Fórmula do Amor capítulo 34

sprite

Abro os olhos sentindo uma baita dor de cabeça, que merda eu fiz ontem? Flash sa noite passada me vem a mente, eu fiquei bêbada, e fui para a água, lembro que eu estava me afogando, droga que loucura foi aquela.

Olho ao redor e reconheço esse quarto, viro na cama e vejo ele dormindo.

—Cris? O que estou fazendo aqui?

Pergunto batendo nele.

—Isso é jeito de acordar as pessoas?

Ele pergunta esfregando os olhos.

—Eu quero saber o que estou fazendo na sua cama, e... com as suas roupas?

Cris abre um pequeno sorriso de lado.

—Você estava bêbada ontem, não ia levar você para sua casa, lembra que tem um filho de oito anos?

—Claro que eu lembro do meu filho, só que eu não bebia já fazia um bom tempo. Falo lembrando das cinco doze de tequila e três cerveja e por último uma batida de morango.

—Eu vou tomar um banho, suas roupas já estão limpas, está na poltrona, se quiser pode tomar um banho, talvez ainda tenha areia em seu cabelo. Olho para onde ele falou, minhas roupas estão dobradas.

Cris levanta e vejo que ele usa apenas uma cueca box preta, não teve como não sentir vontade de ter ele dentro de mim.

—Para com isso Mia, se controla. Falo para mim mesma.

Levanto e pego minha roupa, espero ele sair do banho e entro no banheiro, tomo um banho e coloco um pouco de pasta de dente na boca, lavo meus cabelos e tinha muitas areia, com certeza a cama está coberta de areia. Não consegui evitar e comecei a sorrir, o que deu na minha cabeça ir beber, eu nunca tive costume de beber, eu poderia ter morrido afogada.

Saio do banho e os lenços já foi trocado, Cris não está no quarto, ele está usando apenas um moletom preto, não tem como eu evitar de olhar para seu tórax e seu gominhos, é inevitável, estava prestes a sair quando ele entra no quarto, segurando uma bandeja.

—Coma alguma coisa antes de sair. Ele fala com um pequeno sorriso no rosto.

—Não estou com fome. Minto.

—Seu estômago estava roncando a noite toda. Ele fala levando a bandeja até a cama.

—Está mentindo. Falo com raiva.

—Eu preciso conversar com você, venha por favor. Cris fala me olhando.

—Não temos nada para conversar Cristian. Aquilo estava doendo, até mais do que imaginei.

—Deixa eu explicar por favor.

Eu estava prestes a sair mais ele segura meu braço.

—Tinha um jornalista na varanda do meu quarto ontem, ele queria expor nós dois, mais eu vi ele antes e por isso que falei tudo aquilo para você, eu gosto de você Mia, eu jamais faria algo para te magoar. Cristian fala olhando nós meus olhos.

Lembro do homem saindo pelo muro da casa, mais por que ele não me falou

—E por que está me falando só agora?

—Mia, a minha vida é complicada, eu tenho alguns inimigos, eu tenho medo deles querer fazer algo com você ou com o Taylor. Ele fala segurando meu rosto.

—Eu não tenho medo Cris, da família que eu venho, tudo pode acontecer comigo ou com qualquer outra pessoa que esteja próximo a nós, eu não esperava ser exposta assim, mais eu sabia que poderia ser a qualquer momento. Cris senta e eu sento ao seu lado.

—É diferente Mia, as pessoas que talvez queira fazer algum mal para você sendo uma Benette é diferente do mal sendo minha namorada. Não consigo entender muito bem sobre o que está falando.

—Sabe Cris, essa conversa não vai levar a gente a nada, então eu vou embora. Levanto e começo a caminhar.

—Pelo amor de Deus Mia, me entende caramba, eu gosto de você, até mais do que imaginei, até mais do que eu possa explicar, me escuta. Viro ficando de frente para ele.

—Então por que está fazendo isso?

Ele se aproxima de mim, e antes que eu fale algo ele me beija, eu já estava sentindo falta do seu toque.

—Não desista de nós, só me deixe resolver algumas coisas, não desista de mim. Nossos sábios estão próximos, seu apelo me dá um aperto no peito, algo não está certo, e pelo jeito ele quer ter a certeza de que eu e o Taylor vamos ficar

toma meus lábios em um beijo calmo, me perco na sensação, não sei se deveria ir embora e esquecer tudo isso, ou se faço o que ele pediu e não desisto do que a gente mal começou. Passo minha mão direita por suas costas nua, nunca senti a necessidade de ter um homem, mulher tem vontade de fazer sexo, assim como o homem também tem, mais depois do que eu passei com o pai do Taylor algo em mim se apagou, e eu não fiz questão de reacender, eu tenho meu consolo que é quem me dar muitos orgasmo, mais agora é diferente, eu tenho desejo de ter relação com o Cristian, talvez por ele não ter tentado avançar o sinal logo de cara, e já com o Ricardo eu percebi que ele queria e não fazia muita coisa para disfarçar, só que com ele eu não estava pronta. Paro o beijo e olho em seus

você, não vou desistir sem tentar. Falo e ele abre

cuidar de vocês, não vou deixar nada separar nós

dele e caminho até a cama, quando eu fazia sexo, nossa que louco, a tanto tempo não faço isso com uma pessoa que chega ser até engraçado, eu nunca tive vergonha, eu gostava de ter controle dos movimentos, gostava do jeito que meu parceiro

o Cristian que me olha de uma forma engraçada, as janelas estão fechadas e com cortina, então tenho certeza que não tem nenhum repórter aqui, olho para ele e mordo levemente meu lábio inferior, seguro na barra do meu croped e puxo para cima fazendo ele sair do meu corpo, Cris olha para mim de uma forma

O que você

pergunta atônito olhando para meus seios ainda cobertos

dizer que não sabe quando uma mulher

ontem eu não toquei em você, mais agora, você falando isso, não tem como eu resistir. Cris fala com a voz rouca e

quero que resista. Falo abrindo meu sutiã. Jogo a peça no chão e Cris se aproxima, ele segura meus seios e me beija

joga na cama e vem para cima de mim, ele tira minha calça e me olha com