Fórmula do Amor capítulo 40

sprite

A conversa com o Taylor não foi tão difícil, me senti mais aliviada por ele não ter se revoltado comigo.

—Nossa amiga, eu desejo muita sorte para você hoje. Lili fala segurando minhas mãos.

Contei para ela tudo que aconteceu, dês do Cristian até o Bryan, Lília ficava chocada a cada coisa que eu falava.

—Obrigada amiga. Chamo Tay e saímos de casa, marcamos de nos encontrar no parque, deixaria o clima menos pesado  assim eu espero.

—Como você está se sentindo filho?

—Estranho. Ele fala olhando para frente.

—Você vai gostar dele. Falo tentando conter o choro.

Depois que eu falei com o Taylor ele aceitou conhecer o pai, eu liguei para o Bryan, ele disse que queria conhecer o filho o quanto antes, então eu marquei para o dia seguinte.

—Mamãe...

Ele para dr falar e olha para mim.

—Oi meu amor. Falo olhando para ele.

—Eu não sei se quero ir. Ele fala segurando minha mão.

Paro o carro no acostamento e olho para ele.

—Filho, ele quer muito conhecer você. Falo

—Mais e se eu não gostar dele? Eu gosto do Cris, mais ele foi embora e não voltou mais para me ver. Aquilo destruiu meu coração em mil pedacinhos, uma mãe nunca deveria fazer um filho sofrer, assim como o filho também não deveria, ele e o Cris se tornaram amigos rápido demais, e agora isso está afetando meu filho.

—Vamos conhecer ele, depois você me fala o que achou, e se você não estiver gostando nós podemos ir embora. Sugiro, eu sei que foi errado afastar ele do pai, mais não quero forçar uma relação imediata dos dois, tudo tem seu tempo, ele precisa ir com calma para se acostumar com o pai.

—Tá bom, se eu não gostar nós vamos embora. Ele fala voltando a olhar para frente.

Dou partida no carro e seguimos para o local, eu ensinei Taylor a falar inglês e português de Portugal também, então será mais fácil os dois se comunicar. Chegamos ao local, estacionou o carro e Taylor desce, desço também e tranco o carro, Taylor vem e fica ao meu lado, mando uma mensagem para o Bryan que responde logo em seguida.

(Já estamos aqui)

(Já estou vendo vocês, vou ai)

Não demora muito e ele se aproxima, e puta que pariu, ele continua lindo do mesmo jeito, se eu não tivesse amadurecido um pouco des da última vez que nós vimos, eu cairia facilmente em sua lábia.

—Oi, tudo bem?

Ele pergunta olhando para mim, Taylor está bem próximo a mim.

—Tudo. Me abaixo ficando próximo ao Taylor que olha para o homem ao meu lado. —Filho, esse é seu pai. Bryan se aproxima ficando bem perto do meu filho, ou seja do nosso filho, ainda é difícil pensar que agora ele não tem só a mim.

—Oi Taylor, eu posso te dar um abraço?

Ele pergunta e Taylor olha para mim, sorrio para ele e faço que sim com a cabeça.

Taylor olha para ele e confirma, Bryan se aproxima e abraça o filho, ele fica alguns segundos agarrado ao menino e quando percebo ele está chorando, não consegui evitar e começo a chorar também, viro ficando de costas para os dois, tento secar as lágrimas mas é em vão, está tudo tão confuso, eu passei por tantas coisas dentre esses dois meses, dês de que eu comecei a cuidar do tratamento do Cris, namorei quinze dias com o Ricardo e fui trocada pela ex mulher, namorei três dias com o Cristian e fui largada pela ex namorada, é até irônico pensar assim, que grande filha da mãe azarada eu sou.

—Me desculpe filho, eu não queria parecer um bebê chorão na sua frente. Ele fala fazendo Taylor sorrir.

—Tudo bem, a mamãe está chorando todos os dias agora. Ele fala e olho para os dois, Tay olha para mim e fala. —Tá vendo, todos os dias.

—Taylor. Repreende.

Ele se desculpa e seguimos para o porquinho, Bryan foi comprar sorvete enquanto Taylor estava pensativo.

—Está tudo bem?

—Sim mamãe, ele parece ser legal. Taylor fala olhando para o homem na barraca de sorvete.

—Você vai gostar dele, e se eu te disser que ele é jogador de basebol. Falo e ele me olha.

—Sério?

Pergunta com um pequenos sorriso.

—Sim, não é legal?

—É sim, mais a profissão do Cris é mais legal. Ele cruzando os braços.

Por mais que eu esteja tentando esquecer o Cristian, o Taylor não está me dando oportunidade, eu não vou ficar chorando por os cantos por que ele preferiu a ex ou atual, não sei ao certo.

(Cris)

Saio da casa da Mia sem rumo, eu não fiz o que ela acha que eu fiz, eu fui vítima tanto quanto ela.

Vou até a casa do Léo, bato na porta e ele logo abre.

—Cara que merda foi aquela?

—Legal, você já sabe. Falo sem ânimo

—Todos os seus contatos sabem. Olho para ele com cara de idiota

—Como assim, ela mandou para todos?

—Ela só colocou no status e se não me engano no seu Instagram. Pego meu celular que está descarregado e aperto no botão, o celular liga facilmente, ela desligou ele.

—Eu não fiquei com ela, ela... ela me drogou, ela me deu um copo com whisky e eu bebi, depois disso, tudo virou um grande borrão. Olho meu celular e tem ligações de várias pessoas, mensagens de texto, e uma carinha de triste da Mia, isso só pode ser brincadeira, ela me falou seus antigos relacionamentos e eu... na verdade não foi eu quem fiz, eh gosto dela, jamais faria algo do tipo para magoar ela dessa forma.

—Eu preciso resolver isso, não posso deixar a Mia pensar que eu fui um grande filho da puta com ela. Falo revoltado.

—É cara, acho que você vai ter que ser bem rápido. Olho para ele confuso.

Ele me estende o celular.

Ex alfaia de Cristian é vista ao lado do jogador de basebol Bryan Sheen, fontes seguras afirmam que ele veio ver o filho Taylor Benette.

é sério? Ele é o pai do Taylor?

Não posso negar que a semelhança é bem nítida, mais o que esse cara quer agora? depois de anos, vim procurar a Mia assim. Um ódio enorme cresce dentro de mim, algo que nunca

—Você está com ciúmes. Léo fala sorrindo.

—Eu não estou... com ciúmes. É claro que você está seu imbecil, meu

—Cara você está vermelho, você passou dois anos com a Nicole e nunca vi você assim por causa de ciúmes. Ele gargalha.

—Eu preciso bolar um plano bem rápido, para conseguir mostrar que não trai ela. Saio da casa do Léo pensando em algo para resolver essa situação.

me lembro que a Lúcia não estava com a cara muito boa comigo, com certeza ela viu o que aquela vaca fez, na verdade é uma ofensa com o pobre

carro de frente a minha casa, adentro o local e Lúcia não está na sala, subo até meu quarto, pego a chave da moto e meu capacete, pego minha roupa e saio

vamos ter uma conversa viu. Lúcia fala saindo do quarto

for sobre aquela foto idiota é melhor nem

—Você voltou com ela?

foi armação dela, e eu vou provar. Falo me afastando, estou com tanta raiva dela, e de mim também por ter ido na casa dela, como eu

(...)

pista de corrida, vou até a garagem e pego minha moto, saio da garagem e começo a correr na pista, tudo vem na minha mente, mais não estou com o mesmo ódio que estava quando eu me acidentei, eu só quero poder viver em paz, na minha vida nada foi fácil, e cada dia fica mais visível que não

voltas, ainda tenho que treinar muito para as próximas competições. Uma pessoa que está na arquibancada perto do portão de entrada me chama atenção, não pode ser ele. Olho mais de perto e a pessoa já não está mais lá, só posso está ficando louco, talvez seja por causa da droga que a Nicole me

garagem e estacionou a moto, alguns colegas de profissão chega e fala comigo, talvez tenha sido algum deles que eu tenha visto e

—E sua perna como está?

Breno pergunta.

quase cem por cento. Falo levantando a

indicar aquela fisioterapeuta para a gente, ela é bem gostosinha. Ele fala sorrindo e olha para os outros meninos, aquilo faz meu sangue

—O que você falou?

dele com o sangue

que ela é bem gostosinha, eu posso até imaginar ela na cama, quantas posições diferentes ela pode

interrompo com um soco na cara, os meninos tenta me afastar dele, mais estou com tanto ódio que eles não me segura, vou para cima dele e dou mais dois socos em sua

Cristian, que porra é essa irmão. Um dos meninos me segura me afastando do