Fórmula do Amor capítulo 43

sprite

(cris)

Estou deitado ao lado da Mia, ela está com o pensamento longe, não sei se devo perguntar algo, ou deixar como esta, o som do meu celular começa a ecoar pelo quarto, depois do banho eu peguei minhas roupas que estavam na sala, Mia levanta um pouco para que eu tirei o braço que estava embaixo da sua cabeça.

O nome do Léo aparece várias vezes na tela.

—Léo?

—Cris, eu preciso de ajuda.

—Onde você está?

—Eu... eu vim na...

—Léo, você não pode, se controla, eu estou indo, não faz besteira.

—Eu não vou conseguir Cris, me ajuda por favor.

—Se afasta daí, eu estou indo, não faz isso.

Desligo o celular e pego minhas roupas.

—O que aconteceu, ele está bem?

—Ele está tendo uma recaída, eu preciso ir, me desculpe. Falo me aproximando dela, dou um beijo em seu lábios lábios visto a camisa.

—Não tem que se desculpar, ele precisa de você, me dar noticias quando ele estiver melhor. Mia fala levantando.

—Dou sim, e pensa no meu pedido.

—Irei pensar com carinho. Mia me dá um beijo e desço as escadas, lembro que meu carro ficou no hospital, estava prestes a voltar para o quarto dela quando ela aparece na escada.

Mia joga as chaves para mim, saio da casa dela e vou até onde Léo está, eu sei bem onde é, já tirei ele de lá mais de uma vez.

Acelero o carro e em pouco tempo chego no local, desço do carro e começo a andar, de longe avisto ele, Léo está andando de um lado para o outro com as duas mãos atrás da cabeça.

—Cris. Ele fala vindo até onde estou, Léo me abraça forte, como uma criança que precisa do colo do pai ou da mãe, no nosso caso é de

—Vamos embora Léo, você não vai voltar para essa vida. Falo e ele me segue até o carro.

Entramos no carro e dou partida no mesmo, levo ele até minha casa, não vou levar ele para aquele apartamento solitário dele, Léo já fez muita besteira na vida, mais ele sempre será meu irmão, e eu sempre vou cuidar dele quando eu poder, eu prometi para seu pai que era uma ótima pessoa ao contrário de sua mãe que é uma cobra pessonhenta.

—Está tudo arrumado para você, pedi que colocassem um colchão para você no meu quarto, eu estou do teu lado irmão. Falo pondo a mão em seu ombro.

—Obrigado Cris, eu estava tão perdido e quando eu vi que estava lá, me deu um medo do meu filho nascer e ver o pai fracassado que ele tem. Léo começa a chorar, sento perto dele.

seu filho vai ter orgulho do pai que tem, Léo você fez coisas por mim, que muitas pessoas não teve coragem, você e a Lúcia foi dois anjos que Deus colocou no meu caminho. Ele levanta a cabeça e olha

voltar para a clínica, passar alguns dias lá, eu preciso Cris. Léo fala e puxo ele para

—Você tem certeza?

Pergunto.

quero ir para a clínica. Ele fala e

bem, eu vou conversar com o Edgar para arrumar para

o celular e ligo para o chefe da clínica, Edgar sabe de toda história do Léo, ele disse que sempre que o Léo precisar, ele pode voltar e passar quantos dias