NO MORRO DA ROCINHA 29

sprite

Malu narrando

Eu subo correndo para a casa do Rd desesperada, eu entro dentro do quarto e tranco a porta. Eu pego o celular e ligo ele, ligando para Kaio que me atende na mesma hora.

- Oi – ele fala.

- Mataram um garoto que disseram que é seu informante – eu falo.

- Não, não era – ele fala.

- Você já sabe? – eu pergunto

- Já sei – ele fala – por isso que precisamos prender eles, acabar com essas mortes de graça.

- Eu fiquei nervosa – eu falo.

- Fica tranquila, vai dormir e descansa – ele fala.

- Boa noite – eu falo

- Boa noite – ele responde.

Eu desligo a chamada e coloco o celular do meu lado.

Eu já presenciei várias vezes Perigo matando as pessoas, as vezes eu nem me assustava mais, mas o fato do comentário da Fernanda e dele ter feito isso porque achou que era algum informante da policia, me deu medo.

Eu pensei muito em achar uma maneira de me proteger e eu fiquei com o que Julia me disse na cabeça.

‘’ Que eu precisava arrumar alguém mais forte do que Perigo para me proteger’’

Rd seria a mesma merda, eu me envolver com ele. A minha única opção era o sargento Kaio, ele me olhava diferente e correspondeu o meu beijo e ali eu tive a resposta que eu precisava ter.

Era loucura, mas Perigo poderia sair da cadeia a qualquer momento e me matar e duvido que Kaio colocaria a vida dos seus homens para proteger uma mera testemunha, eu precisava usar ele ao meu favor.

Eu me deito na cama e fico olhando para cima, quando eu vejo algo estranho na lâmpada , eu começo olhar para ela com bastante atenção, até que eu percebo que aquela maldita lampada era uma câmera.

Kaio estava me observando o tempo todo, eu imaginei que ele deveria ter colocado uma escuta em meu quarto, uma câmera, qualquer coisa para ficar me observando e cuidando. E até desconfiei quando ele mencionou sobre a minha conversa com a Julia.

Mas, até que essa câmera não era uma coisa tão ruim. Eu fecho os meus olhos e fico pensando em alguma coisa, eu mordo os meus lábios, duvido que nesse exato momento ele não esteja me observando.

Eu não precisava fazer com que ele se apaixone por mim, eu precisava envolver ele ao ponto de transar com ele e engravidar.

Eu me levanto e vou até a porta trancar ela, a câmera ficava em cima da minha cama.

Kaio narrando

Eu desligo a chamada e Mauro me encara.

- Ele vai começar matar todos que ele ache que é informante – Mauro fala.

- Precisamos proteger nossos dois informantes lá dentro – eu falo – e ela também.

- Você realmente quer proteger ela? – Mauro pergunta.

- Sou um homem de palavra Mauro e nos temos um acordo com ela e não podemos negar que ela está nos ajudando – eu falo.

- É – ele fala – você tem razão. Eu vou fazer minha ronda.

Eu assinto com a cabeça.

e eu ligo a câmera que foi instalada em seu quarto no meu celular para ver ela, ela estava deitada na cama olhando para o teto, a câmera ficava na lâmpada então parecia que ela estava encarando o teto.

Ela se levanta e vai até a porta trancando a porta do quarto, ela volta para cama e desamarra o casaco da sua cintura jogando ele longe, ela se ajoelha na cama tirando o seu vestido lentamente, depois ela tira os seu sutiã.

Ela começa a passar as mãos pelos seus seios lentamente e começa a descer a sua mão pelo seu corpo, ela se deita na cama tirando a sua calcinha, ela abre as pernas e começa a descer a sua mão pela sua intimidade, ela começa a mexer em seu clitoris com uma mão enquanto a outra ela pegava em seus seios, ela começa a fazer movimentos lentos na sua intimidade com a sua mão, ela fecha os olhos e abre a sua boca para gemer. Ela morde os seus lábios enquanto enfia os seus dedos dentro da sua buceta, um, dois, três dedos colocando e tirando. Ela se senta na cama, com os dedos dentro dela e com a outra mão mexendo em seu clitoris, ela tirava e colocava os seus dedos rapidamente e vejo seu gozo descendo pela sua intimidade, ela joga sua cabeça para trás com os olhos fechados e com a cara de safada.

Filha da puta – eu falo vendo que meu pau estava duro.

Ela tira os dedos da sua mão, pega o celular que eu entreguei e uma mensagem chega no meu celular.

‘’ Poderia ser você aqui comigo , você foi esperto em colocar a câmera. ‘’

Eu volto para a câmera e ela encara a câmera sorrindo e depois sai nua em direção ao banheiro.

Malu narrando

de meio dia quando eu acordo, eu abro a janela para ver a movimentação do morro, e aqui em cima estava bem vazio, mas para baixo tinha

até a farmácia comprar algumas coisas que eu

Ontem eu passei a noite com Rd – Ana fala ficando ao meu lado

rápido então? Porque encontrei ele na boca – eu falo para

Vocês estão transando, não é mesmo? – ela

se for na sua imaginação – eu falo para ela – sabe o que eu acho? – eu pergunto para ela – que você gosta de mim, sente atração por mim. Eu não curto muito mulher , mas você até que eu pegaria – ela me encara com

- Debochada – ela fala.

Podemos fazer uma orgia quando Perigo sair, eu você, Rd e Perigo. O que acha? – eu pergunto

nunca vai ficar com Rd e esse é o seu sonho – eu olho para ela e começo a rir – por que

alguma vez dormiu com você? – eu pergunto – fez carinho nas suas costas? Beijou sua boca com tanta intensidade? – ela me encara. – Não se rebaixa Ana, mas se você quiser, podemos fazer a orgia sem problema nenhum. Eu adoro experimentar coisas

as minhas compras , deixo marcada na conta de Rd e saio da farmácia, ela não vem atrás de mim, mas deixei ela com