NO MORRO DA ROCINHA 4

sprite

Perigo narrando

- Aqui o celular que você encomendou – um dos agentes da penitenciaria me entrega.

Eu pego o celular e a primeira coisa que eu ligo é para o número de Malu mas cai na caixa postal e ela não me atende.

Filha da puta!!

Eu disco o número de Rd , demora um pouco mas logo ele atende.

- É , Perigo – eu falo.

- Até que enfim pegou o celular – ele fala no outro lado da linha – tá sabendo do estrago do morro?

- Quero saber da minha mulher – eu falo.

- Deveria tá tão preocupada com ela assim, não. Ela meteu o pé quando tu foi preso – ele fala.

- Que filha da puta, acha ela até no inferno Rd – eu falo.

- Relaxa, peguei ela fugindo em um ônibus – ele fala – tá no barraco.

- Ela estava fugindo para onde? – eu pergunto.

- Pará – ele fala no outro lado – com uma mala de dinheiro, a mesma que te entreguei mais cedo. Você sabe o que significa né?

- Como os vermes entraram no meu morro? – eu pergunto.

- Denuncia anônima – ele fala. – o que você estava fazendo na hora?

- Discutindo com ela – eu falo – não, eu não quero acreditar que ela me denunciou.

- Você não a tratava com flores – ele fala – foi a forma que ela achou de não viver um inferno mais ao teu lado.

- Mata ela – eu falo no telefone.

- Como é? – ele pergunta.

- Eu mandei você matar ela caralho – eu falo – eu quero Malu morta.

- Se tem certeza disso cara? – ele pergunta – se tu quer que eu mate ela, eu subo lá agora e faço isso.

- Mata ela – eu falo – é isso mesmo que eu quero que você faça, aquela garota ela sabe de mais, se ela fez isso uma vez, ela vai fazer de novo. Tu sabe o tratamento que x9 tem que ter.

- Tem certeza? – ele pergunta mais uma vez.

- Passa bala – eu falo – eu quero traidor na minha mão não.

- Matar ela com um tiro é muito rápido – ele fala – quando tu sair tu faz ela sofrer e faz ela penar na sua mão.

- Quanto tempo vou ficar aqui dentro – eu falo

- Meses – ele fala – meses e eu prometo que te tiro daí, agora a policia tá batendo nos morros, tão de olho em tudo, pode ser arriscado para todos os lados.

- Mantenha ela viva – eu falo – você tem razão, seria muito fácil mandar matar ela, eu quero ver ela na minha frente e quero que ela fale tudo para mim.

- Fechou então – ele fala.

- Leva ela para tua casa – eu falo – tira ela do barraco, não deixa ela lá não.

- Dois minutos atrás queria que eu matasse ela, agora quer que eu leve para a minha casa porque eu não moro em barraco – ele fala rindo.

- Faz o que eu pedi , não deixa ela sair do morro e nem se envolver com ninguém – eu falo – manda o recado que ela se envolver com alguém, eu

- Fechou – ele fala desligando a chamada.

Eu penso em Maria Luiza, ela iria me pagar por ter me denunciado e ainda por cima ter tentado aproveitar que eu fui preso para fugir de mim. Rd tinha razão, matar ela seria pouco para tudo que essa

Rd narrando

Eu desligo a chamada e vejo

- Fernanda – eu falo e ela sai do celular – sobe lá em casa e arruma o quarto para a primeira dama.

- Fala sério – ela fala.

- Ele pediu – eu falo – não custa nada – eu sorrio

Aquela garota é problema – ela fala – quero ela perto da minha filha

sabemos porque você não quer ela perto da sua filha – eu falo

Ela não pode saber – Fernanda

Relaxa, acha que vou dar moral para ela? – eu pergunto – vai comer na minha

da boca subo na moto e vou até o barraco, PH ta na frente conversando e fumando um baseado junto

batendo ponto aqui patrão –

Desce todos- eu falo – vou tirar

mandou levar para onde? – Ph

minha cama – eu falo

Filho da puta – Bn

deixar ela lá em casa, de castigo convivendo comigo – eu falo. – estão liberado, pode descer. Eu levo

dentro do barraco e Malu está dormindo, eu me aproximo

Anda Princesa acorda – eu dou um grito e ela leva um susto e se senta rapidamente e me encara com os olhos arregalados – anda acabou hotel cinco estrelas. – eu me abaixo para