PRESA COM O TRAFICANTE (MORRO) Episódio 21

sprite

FLORÊNCIA NARRANDO

Despertei no dia seguinte, cedo como de costume, eu estava um pouco confusa com tudo que tinha acontecido, mas eu sabia de uma coisa, sabia que poderia tudo mudar a partir dali, não sei se ele vai me libertar agora que realmente ele reconheceu que errou comigo, e sabe que eu não sou a Flora, porém eu sou a irmã dela, e sei que ele vai querer receber o dinheiro dele, porque realmente tem muito dinheiro em jogo e eu não sei se devo parar de fazer tudo que estou fazendo, mas eu continuarei, porque se eu conseguir pagar pelo menos um pouco do que a Flora deve, eu vou ter paz. Então me levantei fui ao banheiro, fiz minhas necessidades e seguir para um banho tranquilo, assim que acabei sair do box enrolada na toalha e segui para a pia, fiz minha higiene pessoal e sair do banheiro. Fui caminhando até o closet, ao chegar nele, eu procurei uma roupa folgada, para ir fazer o café da manhã, então assim que me aprontei, eu sair do closet e caminhei até a porta, sair do meu quarto e caminhei pelo corredor, eu fui diretamente para a cozinha, era um pouco cedo demais, mas essa era a hora de todos os dias que eu me levantava, então assim que eu cheguei na cozinha comecei a preparar todo o café da manhã, fiquei ali pensativa enquanto preparava e limpava toda a cozinha, só de pensar que tudo aconteceu tão de repente, as vezes eu penso que meu coração ama me trair, ou eu sinto algo ou eu imagino as coisas. Suspirei e sou tirada dos meus pensamentos quando a dona Graziela aparece ali com a Luísa.

Luísa: Bom dia amiga. - ela diz se aproximando e me da um beijo na bochecha.

Graziela: Bom dia, minha linda. - diz animada.

Florência: Bom dia, minhas lindas. - digo retribuindo o beijo da Luísa.

Luísa: Dormiu bem, minha Flor? - ela pergunta sorridente.

Florência: Dormir sim, até quase perdi o sono. - digo um pouco pensativa.

Graziela: Eu imagino, mas vai dar tudo certo, eu confio nas mãos de Deus. - ela diz sorrindo e se senta na mesa, junto com a Luísa.

Luísa: Vem tomar café conosco. - ela me chama e eu prefiro recusar.

Florência: Obrigada amiga, mais é melhor não. - digo baixando a cabeça, e vou me retirando, nesse momento o Alemão apareceu ali, ele me viu sair, mas segurou meu braço e me pediu para tomar café com eles, e eu disse que não queria incomodar, mas ele disse que não iria se incomodar, então eu acabei sentando ao lado da Luísa e da dona Graziela.

Luísa: O que aconteceu com ele? - ela pergunta baixinho, mas eu não vou falar nada, melhor ficar na minha. Então a dona Graziela mudou de assunto e falou sobre a festa e ele disse que talvez não voltaria para casa. - Se prepara que hoje você vai conhecer o baile funk. - ela diz baixinho e acaba rindo.

Então ficamos ali, tomando café tranquilamente, e ele não tirava os olhos de mim, o que me deixava um pouco incomodada, mas eu não estava achando tão ruim assim, apenas fiquei receosa, um pouco nervosa posso dizer assim, mas eu acabei me acostumando, então quando acabamos de tomar o café da manhã, ele saiu e foi embora, eu comecei a arrumar as coisas, mas a dona Graziela não deixou.

Graziela: Não precisa, vá descansar, você já faz demais, coisa que não era pra fazer. - ela diz tocando meu rosto.

Florência: Dona Graziela, eu não quero que ele fique bravo, melhor eu fazer. - digo nervosa.

Graziela: Não tenha medo, pode ir com a Luísa. - ela diz e a Luísa, sai me arrastando e vamos para o segundo andar, quando subimos, ela me levou até o quarto dela, assim que entramos ela sorrio.

Luísa: Tenho umas roupas lindas que ficaram lindas no seu corpo, e com certeza vai matar muitos só de olhar e te desejar, afinal vai ficar linda. - ela diz animada e sai procurando as roupas, quando ela encontra um conjunto preto, ele é muito lindo, é um cropped de amarras, com mangas longas na cor preta cheio de brilhos, é um conjunto e é muito lindo, a saia preta, ela tem uma fenda que deixa a coxa exposta, ela mexeu mais em algumas coisas a achou um salto de amarras e uma bolsa pequena que combina com o look inteiro, eu fiquei olhando aquilo e morrendo de vergonha.

Florência: Eu não vou usar isso amiga, eu nem vou a essa tal baile. - digo e ela da risada.

Luísa: Hoje eu vou te levar, eu vou da um jeito de distrair os seguranças da casa, só pra você sair. - ela diz e eu sinto um arrepio na espinha.

não, ele vai acabar me matando, e se esses caras me ver saindo de casa, eles vão atirar. - digo sentindo um frio na barriga.

Luísa: Já está decidido, até a tia Graziela, quer que você saía hoje. - ela diz animada e eu fico com medo.

Florência: Amiga eu vou me deitar um pouco, minha cabeça tá girando, e eu preciso de um descanso. - digo e ela apenas concorda.

Tá, mas a noite eu vou te arrumar inteira. - ela diz e fica pulando toda animada.

Sair do quarto dela e a dona Graziela veio até mim, e trouxe a minha mãe, quando eu vi ela ali as lágrimas molharam meu rosto, eu chorei muito ao ver ela, e a mesma chorou muito, levei ela para meu quarto e conversamos um pouco, e depois ela precisou ir, mas disse que voltava, então levei ela até a porta e depois voltei para o andar de cima, e seguir para o meu quarto, eu não iria a esse baile, eu não estou ficando louca, vai que me acontece algo, eu não quero ir, a Luísa é maluca e gosta de desafiar o primo, então assim que entrei no meu quarto, me joguei na minha cama, e fiquei pensativa por um tempo, até que eu acabei dormindo. Acabei dormindo o dia todo, eu estava cansada, e acabei tirando todo o cansaço nesse sono, no instante que eu acordei, a Luísa entrou no meu quarto, com o look que ela separou, e veio toda animada pra cima de mim.

Florência: Eu não quero ir não, isso não é pra mim, e vai dar errado. - digo

Luísa: Não tenha medo, vamos, por favorzinho. - ela diz com os olhos de cachorro pidão.

Florência: Não faz esse olhar, mas você venceu, mas não sai do meu lado, eu não sei ficar nesses lugares, e não sei como funciona, então por favor. - digo um pouco nervosa, e ela se anima.

Eu vou tomar meu banho, e volto em seguida para te ajudar, e sim eu não sairei do seu lado, não se preocupe. - ela diz animada e sai, então eu levantei e fui para o banheiro, tomei um banho bem tomado, estava um pouco

fui tomando meu banho tranquilamente, mas assim que acabei, me enrolei na toalha fui até a pia e fiz minha higiene pessoal, ao acabar, eu sair do banheiro, fui até a cômoda, peguei meu creme com cheiro de morango, passei por todo meu corpo, coloquei uma calcinha preta, afinal a parte de cima não precisa, quando acabei de passar meu hidratante, eu fui até a cama onde a Luísa tinha deixado a roupa, eu comecei a vestir, e assim que acabei, ela entrou e ficou em choque com a roupa no meu corpo, ela tirou a etiqueta que eu havia esquecido de tirar, ela amarrou o cropped atrás, ela me puxou até a penteadeira, arrumou o meus cabelos, deixando os solto, e passou uma make no meu rosto, eu estava olhando no espelho, mas não me reconhecia, respirei fundo, e ela me olhou dos pés

eu tô a cara da Flora, ela que ficava assim. - digo

que você da dez a zero na sua irmã. - ela diz rindo. - Sem contar que você está gostosa pra caralho, esse baile é pequeno pra você. - ela diz e

que ela me deixou pronta, até porque ela já estava pronta, ela olhou a hora e disse que já era 22:00 da noite, e precisávamos ir, então saímos do meu quarto, e assim que saímos, descemos as escadas, e a dona Graziela estava na sala, quando ela me viu, ela ficou encantada ao me ver, mas ela estava junto com a Luísa, para aprontarem, e eu acabei rindo da situação, mas eu estava muito nervosa. Então a dona Graziela, chamou a atenção dos seguranças e a Luísa me puxou pela porta da cozinha, a gente acabou escapando por ali, seguimos a pé e a Luísa não parava

ficou louca? Tá rindo de que maluca? - digo e ela

tia e eu, armamos para que os seguranças não prestassem atenção na gente, e eles foram feitos de idiotas. - diz rindo e continuamos andando, enquanto andávamos, várias pessoas ficavam me olhando, e eu estava com vergonha daquilo, então ela segurou no meu braço, e seguimos juntas, até um lugar que a frente estava cheio, lá havia um som altíssimo, e meu Deus, meus ouvidos doíam com o barulho alto, mas ela saiu me puxando até um lugar que parecia um bar, ela perguntou se eu queria algo, mas era mais alto perto do meu ouvido, eu apenas balancei a cabeça negativamente, e ela me puxou depois que pegou algo para o meio

Amiga, tem muita gente, eu não gostei, quero ir embora. - digo um pouco