Fórmula do Amor capítulo 16

sprite

Não entendi a reação do Cristian, esse cara só pode ter bipolaridade, é a única explicação para ele ser daquele jeito.

Já que sai mais cedo do que o esperado da casa dele, vou passar na clínica, quero saber como está o Willian, e alguns outros que conheci os poucos dias que estive lá.

—Bom dia. Falo para a menina que trabalha na recepção.

—Olá bom dia. Ela fala olhando para mim.

—Eu gostaria de ver o dr Ricardo. Falo e ela procura o nome dele no computador.

—Ele está atendendo um paciente e depois a senhorita pode entrar. Ela fala sorridente.

—Obrigada. Sento em uma das cadeiras de espera.

Vejo o Willian entrando na clínica, levanto e vou até onde ele está.

—Oi Will, como você está?

Pergunto me aproximando.

—A oi, eu estou bem. A forma como ele fala me deixa com o pé atrás, ele parece não querer falar comigo.

—William, está tudo bem mesmo, eu fiz algo, sei lá está tão estranho. Pergunto me arrependendo no momento em que ele começa a falar.

—Você abandonou nós todos, foi embora e nem se quer se despedir, queria que eu te recebe-se como, sorridente?

Ele parece estar com raiva.

—Me desculpa, eu não pensei que ficaria assim com raiva, eu precisei me afastar. Falo mais ele não parece se importar.

—Eu preciso ir, meu fisioterapeuta está me esperando. Ele vai para a sala onde eu trabalhei por alguns dias.

—Desculpa por ele, esses dias não está sendo fácil. A recepcionista fala com um olhar carinhoso.

Pouco tempo depois o doutor Ricardo apareceu.

—Que surpresa maravilhosa. Ele fala vindo até onde estou.

—Acho que só você achou isso. Digo e ele sorrir.

—Encontrou o Willian, certo?

Confirmo com a cabeça.

Ele me chama para caminhar por a clinica, só que diferente da primeira vez que estive aqui, nós vamos para o lado de fora, o lugar é bem bonito, tem jardim, uma passarelas vai até uma fonte, ainda não tinha vindo aqui.

—Aqui é muito bonito. Falo olhando em redor.

—Aqui tem um banco. Ricardo fala sentando.

Fico alguns segundo apenas olhando o lugar, será que não consigo um bom trabalho por eu ter dinheiro? Será Será estou destinada a usar apenas do dinheiro que meu irmão manda para mim, eu pensei tantas vezes no fato de ir trabalhar para o Cristian, pensei ser uma boa oportunidade, é um bom dinheiro, mais parece que nada que eu planejo dar certo.

—O que houve, está com o pensamento longe, tem algo que te incomoda?

Ricardo pergunta pondo sua mão encima da minha. Retiro minha mão devagar, não sei se quero esse tipo dr contato físico, sei lá, parece que temos algo.

—Nada demais. Falo olhando para ele.

—E o nosso jantar, o que acha de amanhã?

Ele pergunta com um pequeno sorriso no rosto.

—Se a Lili poder ficar com o Taylor. Falo

—E que tal se ele for, não vejo mal algum. Ele fala e um sorriso brota em meus lábios.

—Sério?

—Claro que sim, ele é um ótimo garoto, seria legal conhecer ele melhor. Ricardo fala olhando para frente, fico olhando ele por um tempo, talvez suas intenções não seja as que pensei, poucos homens quer entrar em um relacionamento no qual a mulher já tem filho, o mundo e as pessoas ainda têm esse tipo de pensamento.

—Amanhã então. Falo e ele abre um pequeno sorriso de canto.

—Se não se incomodar posso levar a minha também, tenho certeza que ela vai adorar o Taylor.

—Perfeito, ele está precisando de amigos. Falo

Conversamos mais um pouco, ele ficou de ir buscar eu e Taylor as sete da noite, daria tempo de nos jantar e levar as crianças na praia. Quando cheguei contei para o meu filho que ficou mais que feliz, parecia que eu tinha dado a Disney para ele, Tay passou a noite quase toda na minha cama falando sobre isso, que estava ansioso para conhecer a filha do Ricardo.

(Sábado)

—Mamãe que hora nós vamos?

—Só anoite meu amor. Falo pela segunda vez.

—Eu vou jogar vídeo game. Ele fala saindo.

—Primeiro as tarefas. Falo e ele olha para mim.

—Eu fiz tudo ontem mamãe. Ele sai correndo para o quarto, sorrio e balanço a cabeça.

Arrumo minhas unhas e hidrato meu cabelo, faz um bom tempo que não saio com ninguém da figura masculina.

—Nossa isso é surreal, você se arrumando para um encontro. Lili fala me olhando.

—Não é um encontro, nossos filhos irão com a gente. Falo

—Não deixa de ser um encontro, já estou imaginando eles dois entrando com as alianças. Ela fale eu jogo um pouco de água nela que sai sorrindo e cantarolando. Lília sempre foi louca para que eu arrume um namorado, no pensamento dela eu sou mau humorada por que não tenho um namorado. Ela também não tem namorado, mais passa a noite em boas companhias, palavras dela.

o almoço, Taylor a todo momento falava o quanto iria ser divertido, não saímos muito, sei que ele gosta desses momentos, mais eu nunca fui muito de sair, sempre gostei mais da minha casa, do aconchego, as vezes para deixar ele assim feliz eu faço isso, mais nunca consigo me divertir tanto quanto ele.

—Pode ir tomar banho, já está quase na hora. Falo para Taylor que está jogando videogame.

—Tá bom mamãe. Ele sai todo animado para o banheiro.

—Olha, espero que você possa se divertir muito, que esse seja o início de novos sorrisos para você. Lili fala pondo a mão no meu ombro.

só um jantar, não é nada demais, não estou indo me casar. Falo e ela me puxa para um abraço.

—Amiga você precisa muito transar. Ela fala e eu afasto

—Deixe-me ir para meu quarto, você só pensa nisso sua safada, a última vez que fiz isso veio o Taylor. Falo e ela gargalha.

Depois que terminei com o pai do Taylor nunca mais me envolvi com algum homem, não por medo de engravidar novamente, mais sim por que tive medo de colocar alguém na minha vida e ele magoar a mim e ao meu filho, sei que vai chegar o momento que Taylor vai querer conhecer o pai, sei que foi errado eu ter privado eles de se conhecer, de ter uma relação de pai e filho, mais assim como ele me me machucou muito com sua traição, tive medo dele fazer o mesmo com meu filho, que é uma pessoa tão especial.

Tomo um banho, pego uma calça jeans e uma blusa social branca, calço uma rasteirinha e solto meus cabelos, passo o perfume que a Lili me deu de presente de aniversário, eu amo o cheiro dele.

—Estou pronto mamãe. Taylor fala vindo até onde estou.

Ele está vestindo uma calça jeans escura, e uma camiseta gola polo preta, e um tênis que o tio dele deu de presente.

—Você está muito lindo meu amor. Falo indo beijar ele.

—A senhora também está linda mamãe. Taylor fala sorridente.

som da campanhia, Taylor já sai correndo para abrir a porta, me olho mais uma vez no espelho, pego minha bolsa e passo no quarto

—Já estou indo, vai ficar aqui?

Pergunto e quando ela virá para mim, vejo ela toda arrumada.

—O quê? Também tenho um compromisso. Sorrio e balanço a cabeça em negação.

Desço as escadas e vejo o Ricardo todo sorridente.

—Mamãe essa é a Ana, a menina que estuda comigo. Taylor fala e me lembro dele ter falado dela, na verdade lembro muito bem.

—Oi Ana, muito prazer. Ela me abraça sorridente.

—O Taylor fala muito de você, e o meu pai também. Ela fala e olho para Ricardo que está encarando a filha sem jeito.

—Não falo tanto assim. Ele diz

sim pai, a Mia isso e isso, nossa a Mia é tão

Ele a interrompe.

Ana, vamos logo. Sorrio e vamos

o restaurante, as crianças escolheram massa, então fomos para um

esse macarrão com molho branco e carne moída. Ana fala olhando o

Taylor fala fechando o

Ricardo chama o garçom.

três vamos querer macarrão com molho branco e carne moída, e

vou ficar para traz, quero a mesma coisa. O garçom se vai e nos já fica combinando qual será

que esse jantar foi melhor do que esperávamos. Ricardo fala olhando para as crianças. Ele está sentando dr frente para mim, e o Taylor de frente para a Ana, ela é muito educada, talvez seja por isso que meu filho se encantou tanto por

de um tempo a comida chega, começamos a degustar a

—E vocês dois estão namorando?

a tossir com a massa que desceu

está tudo bem? Ana isso é pergunta que

o ar para os

um pouco de água. Ele me entrega um copo de água, bebo alguns

—Mamãe está tudo bem?

enquanto eu tento

a Mia somos só amigos filha, ela trabalhou uns dias lá na clinica e depois disso nós se tornou amigos. Ele fala para a filha que faz um

sempre que vocês quiserem sair nós podemos levar vocês dois, não é mesmo

Ela abre um pequeno sorriso.

—Sério mamãe?

Taylor pergunta.

filho, nós não sabíamos que vocês dois são amigos, agora temos bons motivos para nos reunir. Falo e eles

quando vocês dois quiser sair, nós podemos levar vocês, no shopping na praia, será muito bom passar esses momentos com vocês. Rodrigo fala e olho

é só eu que faço esforços por o meu filho, parece que ele também gosta de passar momentos com