Loucos Por Ela Capítulo 17

sprite

Allana

Acordei no meio da madrugada com Igor passando a mão em minhas coxas e beijando meu pescoço.

— O que pensa que está fazendo?

— Amor, me desculpa… eu estava nervoso…

— Igor, você está bêbado! Vai dormir!

— Não amor, eu quero você… — Os toques em minha pele não cessavam e aquilo já estava me irritando.

— Para, Igor!

— Olha como eu estou… — Pegou minha mão e tentou colocar em seu membro, mas não deixei.

— Eu já disse que não!

— Amor, não faz isso… — Tentou abaixar a alça da minha camisola e novamente me esquivei.

— Me solta! Pensa que tudo se resolve com sexo? Já estou cansada de você surtar e depois fingir que nada aconteceu! Agora dá licença e me deixa dormir.

— Vai me deixar assim, nesse estado?

— Problema seu! — Abri a porta do quarto e fiquei esperando que ele saísse.

Ele me encarou por algum tempo e outra vez tentou se aproximar, mas eu o evitei, então deixou o cômodo e foi para a sala. Tranquei a porta e pude dormir sossegada e no dia seguinte quando acordei fiz minhas higienes e ao sair para preparar o café, encontrei com ele me esperando na sala.

— Bom dia! — Cumprimentou ao me ver caminhando na direção da cozinha e eu respondi curta e grossa.

— Bom dia.

Continuei o que estava fazendo e ele logo se aproximou.

— Ainda está brava comigo? — Mas é muito cara de pau, mesmo!

— O que acha? — Rebati sua pergunta com outra e o cínico tentou contornar a situação.

— Sei que errei… eu não devia ter desconfiado de você…

— Percebeu isso um pouco tarde, né? — Tirei a xícara da cafeteira e bebi um pouco do líquido quente.

— Me perdoa? — Essa expressão de cachorro arrependido me dá ódiø, mas aproveitei a oportunidade para tentar acabar com isso de uma vez.

Olha só, você não confia em mim e eu estou me sentindo presa nessa relação. Acho que o melhor que podemos fazer é terminar! — Sua reação não foi diferente das

De novo esse papo, Allana? Eu não fiz nada, não menti, não te traí, faço tudo o que você quer… Então não entendo o motivo de estar insistindo nisso! Corta essa de sentir-se presa! Por que voltou a bater nessa tecla?

Igor, não suporto esse tom que você fala comigo! Está me sufocando já faz tempo! Por favor, entenda e vamos resolver isso civilizadamente. — Ele negou com a cabeça.

— Você não pode usar uma falha minha como desculpa para acabar com o nosso namoro, assim do nada. Tem mais alguém na sua vida?

— O quê? Claro que não! De onde tirou esse absurdo?

Só isso explicaria essa sua insistência nesse assunto.

vendo? É exatamente com isso que eu estou querendo acabar! Nós não nos entendemos mais e essas discussões diárias estão desgastantes!

— As discussões são frequentes porque você arranja um pretexto novo todos os dias. — Pegou suas chaves em cima do balcão, visivelmente irritado e seguiu para a porta. — Vou trabalhar, depois conversamos!

saiu sem me deixar prolongar o diálogo e mais uma vez me negando o direito de poder me ver livre. "Drøga!"

Sentei no sofá e no mesmo instante me lembrei que não havia trancado a porta e fui até lá.

— Mas eu não acredito nisso! Que filho da püta! — Esbravejei sozinha ao notar que ele havia levado uma das minhas chaves e fui até o quarto pegar outra cópia. — Ah, mas ele vai me ouvir!

trancar o apartamento, fiquei inquieta andando de um lado para o outro pois não gosto nada que Igor tenha acesso ilimitado a minha privacidade, mas como não tinha muito o que fazer no momento, optei por deitar com meus fones para ver se ouvindo música consigo me

horário combinado levantei para me arrumar. Tomei banho, fiz minha rotina de hidratação no corpo, sequei os cabelos e deixei soltos. Fiquei em frente ao closet indecisa sobre o que usar, até que escolhi um macaquinho longo de modelo pantalona em tons de verde com alguns detalhes que deixam a cintura à mostra e que ficou ótimo com a sandália rasteira de cor nude que eu comprei recentemente, fiz uma maquiagem apropriada para uso diurno, que finalizei com um gloss rosa para deixar bem leve, coloquei meus brincos e minhas pulseiras, me perfumei, peguei uma bolsa combinando com o calçado e

no condomínio e o porteiro logo permitiu minha passagem, pois Kate já havia liberado, mas como não conheço ninguém, liguei e ela me esperou na entrada de sua

que não viria! — Exclamou sorrindo ao meu ver saindo do carro e eu a cumprimentei com um beijo no

o atraso, tinha muito

se preocupe, ainda temos algum tempo! Agora vem conhecer a minha família. — Convidou e seguimos para o interior da casa, que aliás é muito bonita.

ela me apresentou a todos. A impressão que tive de seus pais é de serem muito acolhedores e Ayla tem uma energia surreal! Ela é muito alto astral e eu posso estar enganada, mas Fabrício, seu namorado, parece não ser do tipo que aprova esse jeito descontraído que ela tem. Mal nos conhecemos e parece que somos amigas há anos e ele permanece calado e seu jeito de olhar me lembra o paranóico. "Senhor, permita que eu tenha um domingo tranquilo, pois minha manhã já foi

alguns minutos, Kate perguntou sobre o paradeiro do irmão e seu pai informou que ele se encontrava no jardim juntamente com

Allana, vamos até lá?! Vou te apresentar a

vamos! — Pedi licença e seguimos para

íamos nos aproximando, comecei a sentir um frio na barriga, uma sensação estranha e ao chegarmos até eles, entendi