Loucos Por Ela Capítulo 38

sprite

Allana

— Parem com isso vocês dois! — Pedi envergonhada tentando acalmá-los, pois todos estavam olhando, mas foi inútil.

Eles caíram no chão distribuindo socos por todos os lados, enquanto o barulho das cadeiras sendo derrubadas e dos pratos e copos sendo quebrados, abafaram o som da minha voz tentando fazê-los parar.

Grande foi o meu alívio ao ver Caio entrar correndo juntamente com dois seguranças e logo atrás, Kate, que se apressou para ver como o irmão estava.

— O que é isso? Vocês estão loucos? Vão querer resolver tudo a socos agora? Se controlem! — Caio falou alterado, posicionando-se no meio dos dois e enquanto os seguranças tentavam contê-los, o mesmo veio até mim. — Allana, você está bem? — Assenti secando as lágrimas e ele respirou aliviado.

— Fe, você está sangrando! — Kate mostrou-se preocupada ao aproximar-se do irmão e lhe entregou um lenço.

— Eu estou bem. — Afirmou enquanto tentava para o sangramento de seu nariz e continuou encarando Igor, que também o encarava com um olhar sombrio.

— Isso ainda não acabou! — Igor ameaçou, dividindo a atenção entre mim e Felipe.

Os seguranças retiram os dois do estabelecimento e Caio saiu também, para impedir que eles voltassem a se agredir do lado de fora e Kate ficou comigo, esperando que eu me acalmasse.

Ela pediu ao garçom que trouxesse uma água mineral, juntamente com a conta. Quando o rapaz retornou, a mesma pagou o valor, ele agradeceu e voltou ao seu posto.

— Kate, me desculpe. Não queria causar problemas para o seu irmão. — Fiquei muito sem graça pelo ocorrido.

— Não se preocupe amiga, eu sei que você não provocou nada e também eu já previa que em algum momento isso iria acontecer. — Kate comentou totalmente convicta e eu a encarei confusa, mas no momento só quero voltar para casa.

— Amiga, depois conversamos... Eu preciso ir! — Anunciei já pegando minha bolsa, me levantei e lhe beijei o rosto, me despedindo.

Sem esperar mais, fui em direção a saída e já do lado de fora dei de cara com Felipe, que quando me viu, logo veio em minha direção.

— Allana, precisamos conversar!

Não temos nada pra conversar! A cena de hoje foi suficiente. Você tenta se mostrar diferente do Igor, mas com essa atitude me fez ver em meio a todas essas pessoas, que é igual a ele. Como eu posso confiar e querer ficar ao lado de um homem que é a cópia do meu pior pesadelo? Me diz, Felipe! Esse episódio é a prova que não fomos feitos um para o outro. Segue a sua vida que eu vou seguir a minha. — Falei e sem dar tempo dele pensar em algo para contestar, segui para meu carro.

Voltei para o apartamento completamente desconcertada e fui direto tomar um banho frio, para diminuir a temperatura de meu corpo e consequentemente esfriar meu

água descia sobre meus cabelos, vi minha imagem refletida no box e por um momento me permiti desabar em lágrimas deixando de lado toda a postura rude que tinha ainda a pouco.

vida está desmoronando! Igor não aceita o fim do relacionamento, Felipe não entende que precisamos nos afastar, não posso fotografar por estar cheia de marcas no pescoço e por conta disso estou com a agenda de trabalho completamente atrasada e como se fosse pouco, agora os dois não podem mais se ver que parecem dois animais disputando

parte do restaurante… parecia um cenário de guerra! Cacos de vidros para todos os lados, pratos de porcelana em mil pedaços, talheres esparramados, respingos de sangue no chão e nas toalhas brancas que caíram juntamente com as mesas. Uma verdadeira catástrofe! Sem contar a vergonha que passei…

que minutos antes, Felipe e eu estávamos tão próximos… Seu perfume misturado com seu suor, me fez reviver a noite que passamos juntos e fiquei extasiada… Seu toque, seus beijos, sua respiração… estava revivendo a noite mais linda e prazerosa em

as palavras dele a distância estava fácil, mas com aquela aproximação repentina e suas atitudes provocativas, manter-me firme tornou-se uma tarefa mais árdua do que imaginei, mas não durou muito tempo para que eu sentisse o toque asqueroso de seu amigo, tratando-me com

está descontrolado… não sei mais o que fazer para que me deixe viver em paz. E ainda tem o Felipe, que não entende que entre nós não pode haver mais nada. Por mais que meu coração corresponda ao dele, se eu disser tudo que estou sentindo ele não desistirá e também ficará em perigo, então prefiro me calar! A distância é sem dúvidas a melhor maneira de