O estrangeiro Capítulo 15

sprite

Acordei com os raios de sol invadindo o quarto, quando olhei para o lado me dei conta de que a noite anterior realmente aconteceu. Aquela menina que havia sido minha na noite anterior permanecia lá, dormindo como um anjo em meus braços. Queria que aquele momento durasse para sempre, mas mesmo que não durasse estava eternizado em meus pensamentos. "O que você fez comigo?", pensei.

Eu a observei enquanto dormia, e era mais linda do que quando acorda. A abracei forte sentindo o calor de seu corpo desnudo, era bom demais para ser verdade. Tive a sensação de tê-la em minhas mãos agora, ela era minha e isso foi consumado com a noite interior.

Um tempo depois ela começou a se mexer em meu colo, eu pensei que talvez meus pensamentos tinham a acordado. Esfregando os olhos ela acordou e sorriu para mim.

Ela sorrir e me abraça, eu a beijei e ela retribuiu, ficamos ali existindo durante algum tempo, nós sabíamos que tinha uma grande porcentagem daquilo não dar certo, mas aquela sensação era boa.

— Uma pena que temos compromissos hoje. — Ela diz manhosa.

— Poderia ficar o dia inteiro com você aqui.

— Eu sonhei tanto com esse momento, não quero que acabe. — Ela diz em meus braços.

Ela sorrir e em seguida levanta na cama colocando um roupão em volta de seu belo corpo.

— Não quer tomar banho comigo? — Perguntou.

— Tenho que me vestir e sair antes que a Rigs me veja aqui.

Ela joga o roupão para o lado exibindo suas belas curvas, vê-la assim na luz do dia era melhor. Senti meu membro dar leves sinais de vida.

— Bem, então vou sozinha. — Ela caminha até a porta.

Entramos no banheiro com frio, ela ligou o chuveiro e começou a esquentar. Eu a observei enquanto a mesma entrou no chuveiro e molhou seus cabelos, ela me olhou com aqueles olhos azuis piscina e me chamou para perto. Com timidez me aproximei, era estranho.

— Eu estou com frio. — Digo.

— Venha, a água está quente o suficiente.

Entrei debaixo do chuveiro ainda usando minha peça íntima. Charlie tratava a situação de uma forma tão natural que me dava calafrios. A água estava boa, meus músculos relaxaram, ela me puxou para um abraço.

— Obrigada por estar aqui. — Disse.

Eu era um cara péssimo para vivenciar aquele momento. Nunca sabia o que responder, principalmente quando ela estava tão apaixonada e eu confuso.

— Eu estou feliz de estar aqui. — Digo.

Ela olha para mim e nós nos beijamos. Eu não sabia o que aconteceria conosco, mas eu queria estar com ela agora, enquanto desse. [...]

Depois da faculdade, como de costume eu tinha que ir trabalhar.

Cheguei lá e todos me que estavam na festa me encaravam como se eu fosse um estranho, e foi então que me veio fleches da noite do sábado. Não lembrava se dei vexame, se fiz algo que me denegrisse a minha imagem.

Ashley me drogou, isso eu lembro perfeitamente. Quase não me recuperei depois daquele alucinógeno.

Eu só posso estar cagado e ninguém me avisou. Por que estão me olhando? — Perguntei

Acho que todo mundo viu você com a pupila dilatada indo para o banheiro com a Ashley. — Ele diz.

— Ela me drogou.

Ele franze o cenho.

— Caramba, que maluca!

Reviro os olhos.

Esse final de semana foi estranho pra caramba.

— Vamos num barzinho qualquer dia desses você precisa desabafar, cara. — Ele diz.

— Obrigado, Denner.

Ashley vem em nossa direção com um semblante sério.

preciso conversar com você. — Ouvi a voz de Ashley atrás

fundo e vire para olhar em

Ashley. — Respiro fundo novamente em busca de paciência, eu realmente não queria ter aquela conversa e provavelmente eu viria a responder qualquer coisa que me surgisse em

Venha comigo. — Eu a segui até os fundos, onde ninguém pudesse nos ouvir. — O que você fez comigo no sábado foi

e você ter me drogado não foi sacanagem? —

ficou nervosa, batendo o pé forte no

não fiz nada

Fez, e eu sei. Eu lembro muito bem. — Digo. — Se veio aqui para me demitir, faça, mas eu posso muito bem ferrar com

de falar isso. — Ela pede. — E eu não vim aqui para fazer

mãos em minha cintura esperando o que ela tinha para

Eu não vou esconder mais nada, eu estou afim de você desde que nos vimos pela primeira vez. — Continuou — você ter ido significou muito para