Bela Flor - Romance gay Capítulo vinte e um

sprite

Dormir dentro dos braços de Hyun-Suk é com certeza um dos melhores lugares que há.

Eu me senti protegido depois de, infelizmente, não controlar meu coração e minhas emoções, explodindo como uma gigantesca bola de problemas acumulados e que somente no choro, encontra um pouco de alívio.

Mas acordar com o som de alguns pássaros na varanda foi a parte favorita após a noite quieta.

Sorri ao ver que Mingu estava atento aos pássaros também, mas por causa da cortina densa que cobria a janela, ele não conseguia saber o que realmente fazia aquele som. Então, sorrateiro, eu me aproximei dela e a abri, mantendo a janela fechada por segurança, mas vendo-o atento quando cerca de cinco pássaros voaram e outros três pousaram.

Sorri ao vê-lo ficar somente sobre as patinhas traseiras, quando as da frente se apoiaram no vidro. Dava para ver nos olhinhos quase totalmente tomados pelas pupilas dilatadas que ele queria muito ir até lá.

ㅡ Eu não sou nem doido de abrir aqui, se você cair é capaz do seu papai me xingar em três línguas diferentes.

ㅡ Quatro. ㅡ ouvi a voz rouquinha de Hyun-Suk e me virei para vê-lo com os cabelos arrepiados.

ㅡ Te acordei?

ㅡ A luz... sou sensível quando é pela manhã.

ㅡ Ah, me desculpe então, eu não sabia.

ㅡ Não se desculpe, está tudo bem. ㅡ ele bocejou e sorriu, batendo contra o colchão. ㅡ agora vem aqui, uh? Fica mais um pouco comigo na cama.

Caminhei até si e o vi me observar até que estivesse sentado bem ao seu lado. Deitei-me e o abracei quando ele parou ao meu lado, me observando bem de perto.

ㅡ Eu não escovei os dentes, estou com bafo.

Hyun-Suk riu, ainda tinha o rosto bem amassadinho e inchado, mas negou.

ㅡ Não está não. ㅡ sussurrou, me dando um breve selar, antes de suspirar e deitar a cabeça em meu ombro.

Fiz carinhos pequenos em seus cabelos enquanto encarava o teto. As lembranças da noite passada me viam com força, mas eu me sentia ainda mais envergonhado.

ㅡ Sobre ontem, me desculpe.

ㅡ Já disse, você não precisa se desculpa, Jaejun. Está tudo bem.

ㅡ Eu te assustei.

ㅡ É claro que assustou, mas porque eu me preocupo com você. Pensei ter feito algo de errado com você.

ㅡ Não foi por causa de você, você me ajudou.

ㅡ Então foi pelo quê?

Dei de ombros.

ㅡ Eu sempre fui bagunçado assim, desde que fiquei sozinho, eu... venho tendo as crises com um pouco mais de frequência.

ㅡ Mas porque elas ocorrem? Você já buscou ajuda para isso?

ㅡ Eu nunca tive condições. Mas agora eu tenho e eu vou, eu sei que preciso de ajuda para isso. Mas acredito que eu só esteja exausto, quando a minha mente se enche de coisas que me fazem ter lembranças e sentimentos fortes demais, eu não consigo manter dentro de mim.

ㅡ Mas ontem estava tudo bem, não foi? Nós fomos até a boate, você gozou, estava relaxado, não estava?

Sorri sem jeito, Hyun-Suk parecia tão à vontade falando daquele modo enquanto brincava com os poucos pelos que haviam embaixo do meu umbigo. Ele descia e subia os dedos, me causando uma sensação de cócegas bastante gostosa.

ㅡ Eu gozei, mas... sabe... ontem nós falamos sobre nossas mães, e eu lembro sempre da minha, ela é um dos motivos em que eu sempre me descontrolo.

ㅡ Mas por quê? ㅡ dessa vez ele ergueu os olhos e eu tive que suspirar.

ㅡ Quando a minha mãe morreu, ela sabia que nós morreríamos. Eu... eu me lembro dela falando palavras reconfortantes para mim, mesmo quando eu não queria dormir como ela e o papai dormiram pela última vez. Mas ela disse que eu precisava, então eu chorei. Falar dela, lembrá-la como a mulher doce que ela era e o fim que ela teve, isso... isso faz meu coração acelerar. ㅡ busquei sua mão e a coloquei sobre meu peito. Ele pôde senti-lo desesperado, então seus olhos outra vez vieram para os meus, mas estavam preocupados. ㅡ eu consigo me controlar agora, eu só preciso não focar nele ou a sensação de que tudo vai explodir dentro de mim volta. Talvez... talvez ver a sua ex tenha me feito sentir desconforto, mas só porque eu já estava sentindo um mar de coisas em mim e ela apareceu quando eu queria sumir.

ㅡ Me desculpe por ter de sentir isso. ㅡ Hyun-Suk se arrastou um pouco e parou com o rosto perto do meu. Sua boca deixou um selar sobre minha testa. ㅡ me desculpe, Sunhee não é uma má pessoa, mas eu deveria ter te contado sobre ela, que ela ainda mora comigo.

ㅡ Você deveria... mas está tudo bem agora.

ㅡ Está mesmo?

Sorri ao assentir e sentir seus lábios em minha testa outra vez.

ㅡ Eu quero fazer tudo certo com você, Jaejun. Então me fale sempre que algo te incomodar, tudo bem?

ㅡ Não garanto que falarei, mas vou tentar.

Hyun-Suk cerrou os olhos de forma engraçada, mas só me deu outro beijo ㅡ desta vez nos lábios ㅡ antes de se erguer.

ㅡ O dia está lindo ㅡ falou, indo para o banheiro. ㅡ o que me diz de usarmos a piscina?

ㅡ Você não tem cara de quem gosta de passar o dia numa piscina.

ㅡ Não tenho mesmo. ㅡ ele respondeu já com a escova na boca. ㅡ mas quero te ver nadando.

ㅡ E quem te disse que eu sei nadar?

ㅡ Você não sabe?

Ergui-me, indo até ele e neguei.

ㅡ Eu sei não afundar, e sei bater as mãos e os pés no mesmo ritmo, Taeshin me ensinou, mas eu não sei fazer mais que isso, quase não saio do lugar quando tento nadar e ir para o meio da piscina é com certeza não! Eu tenho medo de morrer.

Hyun-Suk riu, cuspindo a espuma da escova quando eu comecei a escovar meus dentes também.

ㅡ Então eu vou te ensinar a nadar, o que acha?

ㅡ Não vai me deixar morrer?

ㅡ Eu nunca te deixaria morrer, sabe disso.

O olhei através do espelho e sorri ao vê-lo chamar por Mingu, recebendo o gatinho nos braços.

ㅡ Vou colocá-lo de volta no quarto e vou limpar a caixinha de areia, esse cheiro está me deixando louco.

ㅡ Ora, ora... então quer dizer que o CEO Park Hyun-Suk, herdeiro de um legado imperial, limpa a caixinha do próprio gato?

Hyun-Suk não respondeu, mas revirou os olhos e riu.

ㅡ Eu volto já, te empresto um dos meus shorts de banho.

ㅡ Estou ansioso para isso. ㅡ Mentira, eu queria mais era vê-lo num daqueles shorts também.

Céus, eu estou me tornando um safado!

Terminei de escovar meus dentes e voltei para o quarto. Não sabia como era a ordem na casa de Hyun-Suk, mas me senti um pouco desconfortável em deixar a cama para que outra pessoa arrumasse, então tratei de eu mesmo arrumar.

E foi só quando terminei de deixar os lençóis alinhados que olhei para a janela. Haviam ainda mais pássaros na sacada, e como Mingu não estava mais no quarto, me atrevi a abrir as portas e me assustei levemente quando todos saíram voando, indo para as diversas árvores que haviam no vasto jardim frontal e lateral.

Dali, apoiado na sacada de pedra, eu me surpreendi ainda mais com a visão de todo o terreno. A noite eu não pude ver, mas agora consigo visualizar o campo de tênis que há mais ao fundo do terreno. É uma área cercada e vazia. Imagino que Hyun-Suk goste de praticar tal esporte, e sorrio ao imaginá-lo de camisa polo, shortinho e faixa na cabeça.

Ouço o som da porta do quarto voltar a se abrir e olho-o sobre o ombro. Hyun-Suk caminha até seu closet, e eu decido ficar mais um pouco para sentir a paz que esse lugar tem.

É até mesmo incrível por não ter casas vizinhas tão próximas.

Isso deveria ser chamado de paraíso!

ㅡ Meu bem? ㅡ Ouço-o me chamar.

Hyun-Suk tem dois shorts sobre as mãos e eu rio porque são idênticas.

ㅡ Qual você prefere?

ㅡ Há diferença?

ㅡ Só a marca. Essa é Balenciaga, a outra é Calvin Klein.

Eram idênticos!

ㅡ Essa daqui. ㅡ busquei a Calvin Klein. ㅡ vai vestir a outra?

Hyun-Suk só assentiu, começando a retirar a roupa bem a minha frente.

ㅡ Vai ficar nu aqui?

ㅡ Onde quer que eu fique?

ㅡ Hyunie...

ㅡ O quê? Não consegue mais resistir a mim?

ㅡ Aish!

Ouvi sua risada alta, mas nos assustamos quando batidas sutis foram dadas na porta e a voz feminina no lado de fora perguntou:

ㅡ Estão pelados?

Arregalei meus olhos. Hyun-Suk, entretanto, só riu.

Ele estava sem camisa, mas seu short do pijama ainda continuava no melhor lugar possível.

ㅡ É Sunhee. ㅡ ele disse rindo. ㅡ não, estamos devidamente vestidos. ㅡ e a respondeu, me deixando ainda mais envergonhado quando ela abriu a porta e encaixou o rosto na fresta aberta.

ㅡ Bom dia. Vim chamar vocês para o café da manhã, a unnie não gosta de esperar.

ㅡ Já estamos indo. ㅡ Hyun-Suk respondeu.

Os olhos da mulher vieram até mim, então fui rápido em fazer uma pequena reverência e responder seu bom dia.

ㅡ Vão aproveitar o dia de sol na piscina? ㅡ Hyun-Suk assentiu. ㅡ posso ir junto?

Eu não gostava de me sentir algo que fizesse as pessoas pensarem antes de agir, mas Hyun-Suk claramente já teria a respondido caso eu não tivesse aqui. Mas, diferente disso, ele me olhou e buscou em meus olhos uma resposta para a pergunta dela.

Eu assenti devagar, não querendo que ela talvez me odiasse por achar que eu estaria retirando-o de si por causa de ciúmes.

E, estranhamente, eu não sentia ciúmes dela, é só um incômodo comum quando desconhecidos adentram a nossa área de conforto.

Sunhee pareceu animada ao ver Hyun-Suk assentir e pediu para não atrasarmos para o café da manhã.

Quando a porta voltou a fechar-se, o silêncio que tomou o quarto era estranho. Hyun-Suk parecia pensativo, mas quando voltou a me encarar e largou a short de banho sobre a cama, ele perguntou de forma preocupada:

ㅡ Isso te deixa desconfortável, não é?

ㅡ Não exatamente, só estou um pouco... deslocado ainda.

ㅡ Você quer ir à piscina? Se quiser, nós vamos outro dia, não há problema.

ㅡ Não, está tudo bem. Mas eu pensei em algo. Eu posso chamar meus amigos? A gente sempre tem tarde de piscina na casa da Minah e do Jack.

ㅡ Claro, chame todos. Eu peço para prepararem alguns petiscos e bebidas. Não se preocupe.

ㅡ Obrigado. ㅡ deixei um beijinho sobre seus lábios e deixei o short de banho ao lado do dele.

Precisei tomar banho antes de vesti-lo, não me sentiria à vontade em somente colocá-lo e descer. Mas foi isso que Hyun-Suk fez. Ele vestiu o seu, enrolou-se no robe de seda e me entregou outro.

ㅡ Vamos tomar café da manhã assim? ㅡ perguntei curioso.

ㅡ É, não precisa se preocupar, seu corpo está completamente coberto.

ㅡ Meus tornozelos não.

Eu ri para quando ele olhou, mas estalei a língua, fazendo o laço no robe.

ㅡ Vamos? ㅡ ofereci-lhe o braço. Hyun-Suk riu, mas aceitou.

Descemos juntos, mas, no segundo em que chegamos no andar debaixo, minha timidez me fez querer afundar no chão e me fundir a ele.

Haviam trabalhadores pela casa inteira, moças e rapazes com uniformes e todos eles me olharam.

Um a um reverenciou-nos e desejou bom dia.

Minhas bochechas com certeza estavam vermelhas, mas eu os respondi e segui com Hyun-Suk até a grande mesa que já estava lotada de comida.

Numa das cadeiras perto da ponta estava Sunhee e ela sorriu. Hyun-Suk puxou a cadeira que ficava em frente com a dela para eu sentar e sentou-se na ponta.

ㅡ Vocês dois parecem aqueles casais do império da ostentação.

Hyun-Suk franziu o nariz e eu ri baixinho. Já havia assistido reality e era tão ruim que chegava a ser bom. Mas analisando que os robes que nós dois usávamos era aparentemente muito caro, estávamos mesmo parecendo um daqueles casais.

ㅡ Sohui-noona. ㅡ Hyun-Suk cumprimentou a mulher que adentrou a sala e sorriu.

A mulher o cumprimentou com uma reverência e me olhou.

ㅡ Esse é Jaejun, ele é meu... ㅡ outra vez Hyun-Suk me olhou com sua confusão. ㅡ ele é o meu par.

Sunhee riu, mas a mulher fez uma reverência a mim também.

ㅡ Pedi para que preparassem salada de frutas, sei como você gosta de comer bem quando tem uma noite longa.

Minhas bochechas voltaram a queimar. Com noite longa a mulher queria dizer o que exatamente?

Seria porque Hyun-Suk e eu chegamos tarde ou...

Minha nossa senhora da purpurina eu vou me desfazer em vergonha!

ㅡ Sim, ontem chegamos realmente tarde. ㅡ Hyun-Suk respondeu, acalmando-me um pouco mais.

ㅡ Você gosta de salada de frutas? ㅡ a mulher perguntou diretamente para mim. ㅡ Eu fiz com algumas uvas rubis romanas, são as melhores e mais doces que há.

ㅡ Ah... sim, obrigada.

A mulher sorriu para mim. Um dos homens que estavam ali me serviu a tal salada de frutas e um outro encheu meu copo.

Eu não estava sequer acostumado com alguém fazendo a minha própria comida ㅡ a não ser quando era a Rini ou o Yejun que se intrometiam na minha cozinha pequenina e acabavam com o meu estoque de ramen ㅡ mas ali, com até mesmo pessoas me servindo, eu tentando não ficar ainda mais deslocado.

O mundo de Hyun-Suk era completamente diferente e distante do meu.

ㅡ Vocês estão juntos há quanto tempo?

Hyun-Suk mastigava uma uva quando a pergunta foi feita, mas me olhou em busca de uma resposta. Eu, entretanto, agradeci aos céus por não ter uva nenhuma na boca porque com certeza engasgaria naquele mesmo segundo.

ㅡ Hm... dois meses? ㅡ ele perguntou incerto.

ㅡ Mais ou menos isso.

ㅡ Vocês não sabem a data? ㅡ Sunhee perguntou surpresa. Nós negamos. ㅡ Homens... ok, ontem foi um dia importante para vocês? ㅡ ela estreitou os olhos para nós dois e outra vez Hyun-Suk me olhou em busca de uma resposta.

ㅡ Sim. ㅡ ditei, porque conhecer um pouco do meu Park foi essencial, além de tê-lo tão paciente em uma das piores versões de mim mesmo.

ㅡ Certo, então anotem como a data de vocês. É importante que um casal tenha uma data. Além do mais... ㅡ ela se inclinou sobre a mesa e sussurrou para mim, mesmo que Hyun-Suk pudesse ouvi-la tranquilamente ㅡ ele adora dar presentes. Invente datas e será mimado até o céu.

Sorri assentindo e o olhei. Hyun-Suk apenas deu de ombros, não desmentindo o dito.

ㅡ E como vocês se conheceram?

ㅡ Numa boate. Era aniversário de Jaejun.

ㅡ Mesmo? E quantos anos você tem?

ㅡ Agora tenho dezenove e dois meses. ㅡ ri e a vi abrir os olhos surpresa.

ㅡ Tão novinho. Eu tenho vinte e oito, mas não se preocupe, não precisa me chamar de noona, vamos fingir ter a mesma idade, ok? Faz bem para a minha alma.

ㅡ A quem você quer enganar? Já passou de ter a cara de uma mulher de dezenove há tempos.

ㅡ Está me chamando de velha? Fique sabendo que até agora eu nunca coloquei botox, já você...

ㅡ Você tem botox, Hyunie? ㅡ perguntei curioso, analisando o rostinho de bebê dele.

ㅡ Não, eu não gosto de esconder minha idade. Gosto que saibam que tenho trinta, assim ganho mais respeito.

ㅡ Mas você nem parece ter tudo isso. ㅡ falo e vejo-o me olhar.

ㅡ Tudo isso?

Hyun-Suk rir, então eu não acho que tenha falado algo realmente ruim.

ㅡ É, você parece ter uns...

ㅡ Vinte e nove? ㅡ Sunhee fala, o analisando junto comigo.

ㅡ Vinte e seis.

ㅡ Mas e sem roupa? ㅡ ele pergunta.

Automaticamente eu arregalo meus olhos e sinto minha pele arder como brasa. Ouço o riso de Sunhee, mas não desvio dos olhos dele.

ㅡ Me desculpe. ㅡ ele pede, buscando minha mão para acariciar o dorso.

Somente assinto, tímido demais para voltar ao assunto.

Lembro dos meus amigos, então busco o celular e envio o endereço de Hyun-Suk no grupo. Não vejo quem confirma vir porque logo o café da manhã é encerrado e eu nem terminei minha salada de frutas.

Mas não me sinto à vontade para pedir que me deixem terminar, apenas faço como os outros dois que já parecem ter um tempo próprio e terminam de comer quase que no mesmo instante.

Ergui-me não completamente com meu estômago satisfeito e aceitei de bom grado quando Hyun-Suk me estendeu sua mão e assim seguimos para fora com a sua amiga-barra-ex-noiva.

A parte de trás da casa era distante, andamos por cerca de três minutos até chegar lá, mas a caminhada não foi ruim, visto que todo ao redor da casa era arborizado e existiam cantos de diferentes pássaros se misturando.

Quando chegamos na piscina, constatei que de fato era maior do que a de Minah e Jackson, mas não era algo como uma piscina olímpica que fosse me deixar assustado ao lembrar do que Hyun-Suk havia dito fazer comigo ali.

Ele retirou o robe que usava, jogando-o ao lado do roupão que já estava dobrado sobre a cadeira e não se importou em mostrar seu corpo tão bonito.

ㅡ Vamos? ㅡ estendeu a mão para mim.

Me encolhi um pouco. Ao lado, Sunhee retirou o vestido brando e longo que usava, apenas puxando pela fita. A peça se abriu com completa e voou sutilmente com o vento. Seu corpo magro e alto estava coberto por um maiô bonito e também branco. Haviam alguns detalhes na lateral e o busto era cruzado.

Ela soltou os cabelos e retirou o vestido, nos olhando com um sorriso terno.

ㅡ Vão entrar agora?

Hyun-Suk só ergueu a mão. Ela assentiu e pulou na piscina, nadando graciosamente sem parecer um pato afogado.

Eu pareço um pato afogado!

ㅡ Qual o problema, meu bem?

O corpo de Hyun-Suk se achegou ao meu. Eu o senti abraçar minha cintura com uma mão e levar o outro até meu rosto.

ㅡ Eu acho que... que é melhor eu ficar aqui, Hyunie.

Está com medo? Eu vou te ensinar a nadar, lembra?

Mas e se eu não aprender? Hyunie, eu pareço um pato afogado nadando...

Hyun-Suk riu, mas me beijou.

Tenho certeza que deve ser o pato afogado mais gracioso que existirá.

ㅡ Bobo! Falo sério...

Vem comigo, eu te seguro,

Mas... ㅡ mordi meu lábio inferior e Hyun-Suk olhou nos meus olhos outra vez. ㅡ e se a água ficar toda vermelha?

ㅡ E porque ela ficaria?

Meu cabelo. Eu pintei recentemente e a tintura sempre sai um pouco

que está tudo bem. Ontem você ficou comigo na banheira e a água não pareceu que alguém tinha morrido dentro.

deixando um tapinha sobre o ombro dele, mas cessei quando senti suas mãos deslizando até o laço que fechava o robe.

ㅡ Vem comigo, uh?

Suspirei, vendo Sunhee emergir na água, jogando seus longos e escuros cabelos para trás.

Ela é tão bonita. ㅡ falei, ainda a olhando.

Hyun-Suk seguiu com os olhos e

ㅡ É sim. ㅡ mas então seus olhos voltaram para os meus e suas mãos desfizeram o laço no tecido. ㅡ mas você também é.

Senti o tecido fino deslizar por meus ombros e, atrevido, Hyun-Suk me beijou de modo lento enquanto o fazia cair por completo.

Precisei suspirar, o toque de sua língua sobre a minha era um delírio. Deixei que minhas mãos repousassem em sua cintura desnuda e não me controlei quando minhas curtas unhas arranharam-no devagar, arrancando um suspiro pesado de seus lábios.

Nossos rostos se separaram e nossos olhos voltaram a se encontrar. Eu conseguia sentir a aura que pesava entre nossos corpos, eu só queria senti-lo mais, beijá-lo e fazer o que vinha aprendendo a fazer com ele.

Queria muito.

para a piscina. ㅡ mas ele precisou separar nossos corpos ou eu tinha clara consciência de que logo estaríamos os dois com ereções necessitadas entre as pernas.

Hyun-Suk era uma loucura de homem, ele me fazia sentir excitação no mesmo nível que me fazia sentir o coração palpitar e derreter. Eu o amava de todas as formas e queria mais do que tudo que ele

sabia que para que minha boca ditasse isso com tranquilidade ainda demoraria, por tanto, apenas chutei o robe já caído sobre meus pés e segui com ele para a piscina.

Sunhee nos observava e sorria de um modo que eu conhecia bem. Era como Jack sempre sorria para mim, e ela parecia ter um tipo de amizade assim com

Ele mergulhou primeiro, mas eu fui até as escadas. Senti a temperatura agradável da água morna com a ponta dos pés e sentei-me no batente. Hyun-Suk emergiu jogando seus cabelos loiros e veio até mim. Suas mãos me deram apoio para que eu simplesmente não me afogasse e me ajudaram a descer os degraus de metal.

A primeiro momento eu consegui sentir o chão, mas as mãos dele voltando para minha cintura me fez ter confiança suficiente para relaxar o corpo e senti-lo numa leveza que só Hyun-Suk me fazia ficar dentro de algo que podia facilmente

ㅡ Você fica lindo em todos os jeitos. ㅡ ele sussurrou ao me girar vagarosamente.

Sorri, mergulhando devagar, mas sem ser solto

Meus cabelos podiam mesmo liberar um pouco da coloração, a tinta que eu usava não era tão confiável assim, por isso quando emergi, olhei ao redor e o fiz rir com minha análise.

ㅡ Sou lindo até mesmo desesperado assim? ㅡ o olhei, arqueando a sobrancelha.

Claro que é. ㅡ respondeu, me puxando outra vez para me

Acho que tô de vela. ㅡ Sunhee apareceu ao nosso lado, nos fazendo quebrar o beijo e rir.

ㅡ Desculpe. ㅡ pedi.

Nah, Hyun-ssi já ficou muito de vela comigo também, é normal conosco.

Hyun-ssi? ㅡ sorri olhando para Hyun-Suk. ㅡ É fofo.

Viu só? Eu te disse! ㅡ Sunhee ditou fazendo-o revirar os olhos outra vez. ㅡ ele não aceita apelidos assim, é um chato!

ㅡ Que pena. ㅡ falei o

ㅡ Por quê? ㅡ Hyun-Suk quis saber.

Porque eu pensei em começar a te chamar de bebê ou coisa assim... Sou seu par, não é? Preciso te chamar de um jeitinho carinhoso então.

Sunhee sorriu e acenou positivamente, apoiando o apelido.

ㅡ "Hyunie" já está bom.

ㅡ Hyunie... ㅡ fiz bico e me aproximei. ㅡ me deixa te chamar de bebê, por favor...

Olhei para Sunhee sorrindo junto a ela, e ouvi o estalar da língua de Hyun-Suk.

ㅡ Ah, vocês dois...

Hyun-Suk negou, mas sua ex se aproximou, segurando em meu braço, o que até me surpreendeu.

ㅡ Você vai ter que nos aguentar, Hyun.

ㅡ É sim, bebê.

ele outra vez revirou os olhos e mergulhou, fugindo de nós dois como o diabo foge da cruz.

Sunhee parecia se divertir bastante com tudo. Encostei-me na beirada da piscina e observei Hyun-Suk nadando.

Ele fazia aquilo muito bem, me dava até um pouquinho de inveja.

ㅡ Estou feliz que esteja aqui. ㅡ ouvi a voz feminina ditar e olhei para Sunhee. Ela se aproximou e parou sobre a beirada da piscina também, de costas para Hyun-Suk. ㅡ ele está iluminado a dias, e agora eu sei que é por causa de você.

Sorri sem jeito para ela.

Eu também me sinto assim. ㅡ confessei.

ㅡ Ele é seu primeiro namorado?

ㅡ Nós ainda não... não

ㅡ Ah. Então, ele é seu primeiro par?

pelo modo em como ela se referiu, mas assenti.

ㅡ O Hyunie é o meu primeiro cara...

por segundos me encarando em silêncio. Eu tentei desviar os olhos, mas acabei a fazendo rir,

ㅡ Você parece ser fofo. É diferente.

ㅡ Diferente?

Do Hyun. Ele é sério e completamente rabugento.

Eu nunca o vi sendo um rabugento.

Ele se preserva quando está perto de quem ele gosta. Sabe, ser o CEO de uma multinacional como a Park's ainda quando era bem jovem, o fez criar uma máscara que ele acha que precisa manter. Ele tende a ser mais sério que o normal quando está trabalhando, vê-lo sorrindo tanto quando está com você me deixa feliz.

ㅡ Mesmo? ㅡ a olhei curioso.

Sunhee assentiu com a cabeça, suspirando e deitando sobre os braços cruzados. Seus pés balançavam com sutileza na água, mas não incomodava.

Eu sei que talvez seja estranho ele morar com a ex, mas eu só estou aqui porque, além disso, e talvez em primeiro lugar, eu sou amiga do Hyun. Eu o amo como amigo e quando ele ficou sozinho nessa casa, eu não pude deixá-lo aqui. Por tanto eu o chamei para morar comigo no meu apartamento, mas ele é um chato e disse que não saia daqui por nada, por isso eu vim.

Você já está aqui há muito tempo?

que os pais dele morreram. Foi por isso que ficamos noivos, a convivência fez com que achássemos estar apaixonados, e talvez até estivéssemos, mas era uma paixão tão diferente, sabe? Era algo grandioso e de amigos. Até chegamos ao ponto em que vimos o que estávamos fazendo e desistimos dessa loucura. Hyun merece casar com quem o ama como homem, amigo e o amará como marido também.

Eu não sei se isso foi alguma indireta do tipo: casa

Ou foi mais uma como: se liga, você não é homem para casar com ele!

Porém, eu sorri por acreditar que havia uma pequena chance de ser a primeira.

Vi Hyun-Suk vir nadando em minha direção, mas ouvi o típico barulho que só o grupo farofa sabe

Olhei adiante e lá estava Jackson Song acenando enquanto Taeshin ria e Yejun cobria o rosto, fingindo estar envergonhado. Minah e Rini vinham mais atrás e só riam.

Eu sorri e acenei de volta.

ㅡ São seus amigos? ㅡ Sunhee perguntou.

Assenti, desviando os olhos para Hyun-Suk quando parou à minha frente e jogou a água de seu rosto para os lados.

Ele sorriu para quando eles passaram por nós, nos cumprimentando, e foram em direção as espreguiçadeiras como se fossem donos da casa.

preciso avisar que eles não são bagunceiros, mas

casa precisa de um pouco de barulho. ㅡ Sunhee disse e mergulhou, indo até às escadas. Eu fiz o mesmo, mas indo pelo cantinho para não me

manteve ao meu lado, talvez com medo de que eu morresse de verdade e me ajudou a subir as

Jackson não poupou elogios para Sunhee e puxou conversa com ela como se fossem amigos de

arqueou a sobrancelha quando me viu só de short de banho e eu sabia que seu sorriso sugestivo era porque Hyun-Suk vinha do mesmo jeitinho bem atrás de

buscou o roupão e cumprimentou outra vez cada um, finalmente se apresentando devidamente aos

te vi na capa da última capa da Vogue Korea. ㅡ Minah falou e Sunhee riu. Eu me surpreendi quando a

é modelo internacional. Mas agora só está fazendo campanhas nacionais. ㅡ Hyun-Suk sussurrou em meu ouvido, talvez notando minha

entendo porque ela parece uma modelo. Ela é uma

assentiu e passou o roupão por meus ombros, cobrindo meu corpo assim como o

ㅡ Peço algo para bebermos?

ㅡ Suco? ㅡ sugeri.

Para todos? Pedirei uísque para mim, talvez seus amigos queiram algo com álcool para beber

Ah, então sendo assim... ㅡ Tive vergonha, mas pedi para ele as bebidas que eu sabia que meus amigos gostavam e também a minha cervejinha que não sou bobo nem

que não tinha ㅡ o que nem me surpreendeu porque é um das bebidas baratas que eu costumo beber ㅡ mas ele pediu para providenciarem e me surpreendeu quando, depois de dez minutos, a cerveja já estava ali e ainda

Eu não sabia que você gostava dessa marca de

nos conhecemos eu estava

reparei, estava ocupado demais te namorando

olhos, mas senti minhas

amigos estavam bem ali do ladinho e eu nunca havia ficado de chamego com Hyun-Suk perto deles. Mas se estávamos mesmo juntos ㅡ fosse o título de casal ou par que nos cercasse ㅡ tal encontro teria que se tornar mais

parecia seguir bem com o assunto entre

na piscina e sorri quando ele colocou Minah em seus ombros e Taeshin colocou

diferença de altura entre elas era notória, mas a brincadeira ficou divertida quando, toda arteira, Minah desviou das mãos de Sunhee e a derrubou junto

estava conversando com Hyun-Suk e ambos pareciam ter um assunto até legal, visto que já faziam minutos que estavam

meus olhos repousaram em Yejun e pude perceber como ele estava pensativo. Estava sentado na beirada da piscina e balançava os pés na

aproximei dele, sentando-se ao lado e

ㅡ O que aconteceu?

seu suspirar e percebi como seus olhos estavam

acha que eu e ele vamos sair disso

Disso você quer dizer ficar sem se chamarem de

ㅡ É... mais ou menos.

acho que sim. Vocês claramente gostam um do outro. Já passou pela sua cabeça o pedir

Penso nisso sempre, mas você sabe, eu

ㅡ Do quê?

família dele. Sei que o pai dele é de boa com o fato dele gostar de homens, mas e quando o homem em questão

ㅡ Yejun... por favor, né.

Sou um homem trans, Jae. Não sei como ele

só precisa te respeitar. Você não está buscando a aprovação de ninguém para ser quem é e tudo o que importa em um relacionamento é quem está nele. Família pode ser um saco, você sabe, eu sou exemplo concreto disso, mas você não pode deixar seus pensamentos te fazerem desistir. Você gosta do Jack e fica todo murchinho pensando assim, só mete o louco e pede ele

ㅡ Tem outra coisa.

ㅡ O quê?

Yejun se ergueu e me olhou.

Vem comigo até o banheiro e eu te

cenho, mas não me opus. Ergui-me e o segui até o banheiro quando Hyun-Suk nos instruiu

questão de buscar sua mochila antes de adentrar o cômodo grande e eu fui obrigado a entrar lá

você está me assustando. ㅡ

a mochila sobre o mármore da bancada e

O que aconteceu? ㅡ

Acho que estou grávido. ㅡ ele disse simples

faltaram para saltar e eu precisei tossir para entender que aquilo

o quê?! ㅡ me controlei para não gritar a pergunta, mas Yejun virou-se de frente para mim

que tem uma pequena possibilidade disso estar acontecendo agora mesmo dentro do

ㅡ Espera, mas como assim?

Como assim, Jae-ah?! Isso acontece, eu ainda tenho um sistema reprodutor aqui,

sei disso, eu estou perguntando como assim que você acha que isso está acontecendo com você? Como chegou nessa

Seguinte. ㅡ ele sentou-se no mármore ao lado da mochila e eu sobre a tampa do vaso sanitário, mas antes, tranquei a porta. ㅡ Você sabe que eu tomo os hormônios há algum

ㅡ Uhum.

você lembra que eu tive um problema aquele probleminha com o colesterol e precisei ficar dois meses sem tomar os hormônios e refazer todos os meus

Sim, isso faz uns

Sim, exatamente. Enquanto eu estava tomando meus hormônios normalmente, eu não

ㅡ Mas você menstruou?

Tive um pequeno escape no mês passado, mas o médico me orientou que pode ser normal, já que eu voltei a tomar os hormônios só esse

mas eu ainda não entendi a parte em que você acha que está

Semana passada fez um mês que eu tive esse escape. Eu fiquei atento, não ocorreu outra vez, porém eu e... Jackson, nós nos descuidamos duas

ㅡ Eu não acredito!

me julga, caramba! Só aconteceu. E hoje pela manhã eu vomitei. Tipo, eu comi tteokbokki com queijo extra ontem a noite e não sei se vomitei por causa do queijo que foi um pouco demais ou porque agora tenho um mini Jackson dentro de mim. Eu

Eu ri de desespero.

e Yejun pais de um bebê é algo que eu nunca pensei, quem

ajuda. ㅡ ele abriu a bolsa e começou a procurar. ㅡ eu quero fazer teste de gravidez, mas não sei como

daqueles de fazer xixi e esperar? Não tem segredo. Você

Trouxe sete. ㅡ ele ergueu a sacola

Precisei rir outra vez, mas assenti.

ㅡ busquei o primeiro teste, já que todos eram iguais e o li. ㅡ noventa e nove vírgula nove por cento de precisão. Tá com o diabo que vai dar

e abaixou o short, ficando só de

eu preciso fazer

Nessa pontinha aqui. ㅡ

eu não vou ter xixi para

Faz todos de uma vez só, ué. Senta aí que eu organizo e

retirou a cueca e sentou-se no vaso. A cena era péssima, mas é para isso que os amigos servem e eu precisava ajudar Yejun

testes em uma fileira e deixei as pontinhas uma pertinho da

ㅡ Faz xixi em todos, anda.

coração tá pra parar. ㅡ ele falou, buscando-o e organizando entre