Loucos Por Ela Capítulo 25

sprite

Felipe

Não pude deixar de ouvir a conversa de Kate quando percebi que tratava-se de Allana e que bom que eu permaneci ali, porque ela não ia me contar.

Apesar de não ter entendido claramente o que falaram, pois só ouvi o que minha irmã dizia, entendi que Igor fez algo grave e por conta disso Allana saiu sem ao menos trocar de roupa e isso me preocupou muito e me fez querer saber mais.

A confrontei por ter mentido para mim e saí depressa para a praia do Recreio, pois é a que fica em frente ao edifício, afinal, ela saiu a pé e com certeza não foi muito longe.

Segui dirigindo no asfalto e prestando atenção naquela imensidão de areia e água para ver se a encontrava, mas nem sinal! Continuei por mais alguns metros e logo à frente a vi sentada em uma pedra, estacionei e fui até lá. Ela estava tão distraída, olhando a escuridão do mar que nem me viu chegar.

— Sabia que é perigoso ficar sozinha aqui à noite? — Perguntei sentando-me ao seu lado e ela me olhou visivelmente surpresa.

— O que você faz aqui? — Interrogou secando o próprio rosto que estava completamente molhado pelas lágrimas e eu inventei uma desculpa, que obviamente não colou.

— Resolvi caminhar um pouco na areia e te vi aqui sozinha, então vim ver se precisa de algo…

— Kate te contou, né?! — Baixou a cabeça e começou a mexer na areia com um palito que estava em sua mão.

— Não… digamos que eu soube por acaso.

— Felipe, acho melhor você ir embora. Igor pode aparecer e interpretar mal a situação… não quero mais problemas. — Fiquei chateado com o que ouvi e não hesitei em perguntar.

— Gosta muito dele?

— Não é isso… — Ela se calou e eu insisti.

— O que é então?

— É melhor você ir, Felipe!

— Não sem saber o que está acontecendo… me diz! Se não gosta dele, o que há então? Tem medo? — Novamente o silêncio torturante tomou conta e eu perguntei outra vez. — É isso, Allana? O que o Igor fez para que sinta medo dele?

Ela permaneceu na mesma maneira e vi outra lágrima escorrer de seus olhos, então segurei carinhosamente em seu queixo, erguendo sua cabeça.

— Ei, não chora! — Pedi e nesse momento notei algumas marcas em seu pescoço. — O que é isso? Por acaso é o que eu estou pensando, Allana? — Indaguei, já muito putø, por imaginar do que se tratava e ela se manteve quieta, o que confirmou minhas suspeitas.

— PÜTA QUE PARIU!!! EU NÃO ACREDITO QUE O IGOR FOI CAPAZ DISSO!!! EU VOU MATÄR ELE!!! — Me alterei sem perceber e quando me dei conta, eu estava em pé andando de um lado para o outro e ela chorando muito mais, provavelmente assustada com a minha reação. — Me perdoa, eu não queria te assustar… fica tranquila, vai ficar tudo bem!

Contive minha raiva e a envolvi em um abraço protetor, esperando que se acalmasse e senti-la tão aflita, cortou o meu coração. Ela é tão frágil que eu não consigo acreditar que aquele idiøta se atreveu a machucá-la ao invés de cuidar. Um monstro que maltrata mulheres… Eu me nego a acreditar que um dia o chamei de amigo.

— Não chora, por favor! Eu não suporto te ver assim… — Implorei, enquanto acariciava seus cabelos macios e senti meus olhos lacrimejando.

Ela se afastou e me encarou de uma forma tão serena, com aqueles lindos olhos azuis completamente molhados, a ponta nariz vermelho e as bochechas rosadas por causa do choro constante, que foi impossível conter a vontade de umedecer aqueles lábios tão convidativos com os meus.

Aproximei nossas bocas e ela permaneceu parada, mas quando estava quase alcançando meu objetivo, ela recuou secando o rosto.

— Obrigada por tudo! — É óbvio que ela está fugindo da situação, mas uma coisa é certa, eu a senti tremer com a minha aproximação.

— Me agradeça ficando em segurança! — Levantei e lhe estendi a mão. — Vem… vou te levar até a Kate. — Ela se apoiou, levantou e começamos a andar em direção ao carro.

Percorremos o caminho todo, cerca de 13 minutos, em total silêncio e quando chegamos, minha irmã apareceu rapidamente e desembestou falar.

Amiga, me desculpe por não ter ido te buscar, mas meu irmão saiu na frente e não me esperou. Como você está? — Ela forçou um sorriso e as duas se abraçaram.

— Estou melhor, amiga…

Vem, vamos entrar! — Kate convidou, nós entramos e encontramos meus pais na sala.

— Boa noite! — Allana cumprimentou receosa e eles responderam calmamente então ela continuou. — Elisa, Humberto, me desculpem por incomodar vocês com meus problemas a essa hora... — Meu pai não deixou que ela terminasse.

Não se preocupe, filha! Não é incômodo nenhum! Agora se tranquilize, aqui você está segura.

— Sim, minha querida… vai ficar tudo bem! Confie! — Minha mãe a abraçou e

— Obrigada mais uma vez… não sei o que faria se

— Se depender de nós, você nunca estará! — Minha irmã afirmou e é claro que eu gostaria de ter reforçado, mas preferi me manter quieto. Allana agradeceu novamente e Kate então fez um comunicado e um pedido. — Nós vamos subir para o meu quarto… mãe, pede para a Cláudia levar o jantar para nós, por favor?

— Claro, filha!

Antes que continuassem, Allana voltou a me agradecer.

obrigada de novo! — Retribuí com um sorriso, elas subiram e eu fui saindo quando meu pai me chamou.

— Felipe, onde pensa que vai?

— Resolver um problema.

não vai a lugar nenhum! Senta aí. — Ordenou e mesmo contra minha vontade, tive que

Por que vocês demoram tanto, filho? — Minha

estava muito assustada e chorando muito, mãe! Eu tentei fazê-la se acalmar

já nos contou o que aconteceu, mas você não pode se envolver na briga deles. — Será que minha irmã contou

Pai, vocês não viram como está o pescoço dela porque o cabelo escondeu, mas eu não consigo engolir o que ele fez! Isso não é justo, é uma mulher, pai!!! Imagina se fosse com uma de minhas irmãs…

que ele fez é inadmissível mesmo, mas a melhor forma de ajudá-la é conversando com Adrian e Gustavo. — Respirei

falar com ela primeiro, mas essas marcas eu vou cobrar do

Gosta tanto assim, dela? — Meu pai interrogou e eu fiquei em silêncio, então minha mãe, que até agora se manteve da mesma forma,se

Não adianta tentar esconder de nós, filho… somos seus pais e para nós isso já está claro.

a afirmação de minha mãe, entendi que não adiantaria nada continuar negando, então decidi abrir o jogo de uma

Vocês querem a verdade, né?! Então está bem! Sim, gosto de Allana desde o dia em que a vi pela primeira vez, aquele maldito dia em que tive que viajar para São Paulo. Fui achando que retornaria no dia seguinte e acabei tendo que ficar 5 meses, mas quando voltei tive a desagradável surpresa de saber que ela estava namorando meu amigo e eu estava disposto a tentar esquecê-la, mas ele é tão imbëcil que não soube respeitá-la e agora eu não pretendo me afastar mais. Essa é a verdade!

atentamente e em seguida, meu pai

Pense bem nas suas decisões, elas podem te causar