Loucos Por Ela Capítulo 33

sprite

Felipe

Por mais que eu quisesse isso mais do que tudo, fui pego totalmente de surpresa com a iniciativa de Allana. Eu passei o dia me controlando para não avançar o sinal e quando ela tomou a atitude, óbvio que retribuí com intensidade.

Senti suas pequenas mãos segurando meu rosto enquanto sua língua invadia minha boca e em fração de segundos uma de minhas mãos apertava seu corpo contra o meu, enquanto a outra segurava firmemente em sua nuca, impedindo que voltasse a cessar esse contato que por tanto tempo esperei.

Deixei que ela tomasse o controle de nossos lábios e seu beijo lento só me provocou mais. Segurei em seu cabelo, fazendo com que virasse o rosto para cima e ela sorriu… isso só aumentou meu desejo, pois sei que está gostando tanto quanto eu e com apenas um movimento a coloquei sentada em cima do balcão, posicionando-me entre suas pernas.

Com um olhar de menina safadä, ela tirou minha camiseta e me puxou para outro beijo quente e durante o ato, passou a palma em meu paü, deixando-me louco de tesãø. Acariciei seu corpo sem nenhuma pressa e senti sua pele completamente arrepiada. A ânsia por ela estava acabando comigo!!!

Apalpei seus seios carinhosamente, então por dentro de sua blusa e mantendo contato com sua pele macia, arranquei de uma vez a peça de cima, deixando a mostra aquele belo par que agora estavam sensualmente cobertos apenas pela renda de um sutiã azul marinho, que notei fazer par com a calcinha quando a livrei do shorts que usava.

Meus olhos percorreram seu corpo seminu, ainda sem acreditar que seria minha e em pouco tempo meus dedos afastaram sua calcinha e deslizaram, penetrando sua bøceta e arrancando dela, gemidøs que levaram-me à loucura.

— Não sabe quanto esperei por isso! — Sussurrei, admirando a expressão de prazer estampada em seu rosto e ela inclinou a cabeça para trás, totalmente entregue ao momento e logo me puxou para outro beijo e começou a abrir o zíper de minha calça.

Sem mais delongas, tirei os tênis e me despi, permanecendo apenas de cueca e abri o fecho de seu sutiã, fazendo com que seus seios empinados saltassem para fora, convidando-me a cair de boca em seus bicos enrijecidos e ela gemeu e prendeu as pernas em meu quadril.

— Vamos para o meu quarto! — Falou ofegante e eu caminhei enquanto segurava em seu bumbum, sem parar de beijá-la.

Já no local, eu a coloquei na cama tirei a última peça íntima que restava, me deitei por cima dela e beijei cada centímetro de seu corpo, enquanto seu olhar penetrante continuava fixado nos meus e o sorriso que continha em seu rosto, fez de mim o homem mais feliz do mundo.

Iniciei o percurso por sua barriga, até chegar na intimidade e sem parar de encará-la, chupei com vontade e ela fechou os olhos e arqueou o corpo, mostrando-me o prazer que eu estava lhe proporcionando e pediu que continuasse…

— Que boca gostosa… não para! — Claro que atendi seu pedido e intensifiquei ainda mais os movimentos, usando todas as minhas habilidades para que ela nunca mais se esqueça desse momento.

Enquanto minha língua trabalhava, dois de meus dedos encontraram seu ponto G e em poucos minutos de total dedicação às preliminares, senti as contrações de seu corpo, indicando o orgasmo próximo e continuei sem cessar, aumentando a velocidade até vê-la gøzando loucamente.

Voltei a encontrar nossos lábios e a safadä empurrou-me na cama e foi na direção exata!

se afastar, posicionou-se de costas para o espelho e ficou de quatro, dando-me o prazer de desfrutar dessa vista maravilhosa e isso elevou os meus níveis de testosterona.

Ela baixou minha box e me encarou com malícia, segurou meu paü, aproximou-se e passou a língua na glande, levando-me ao céu.

— Aaahh… — Gemi ao sentir sua boca quente envolver meu cacete, enquanto sua mão deslizava na base em um vai e vem firme e ela continuou "brincando".

Entrelacei os dedos nos fios de sua nuca, formando um rabø de cavalo para ter total visão daquela cena única e logo me levantei e meti forte em sua boca, fazendo ela engolir até onde dava e a mesma deixou que eu controlasse a velocidade.

desejo reprimido e um oral bem feito e lubrificado assim, após alguns minutos ficou difícil me segurar e derramei todo meu sêmen em sua boca e ela engoliu até a última gota. Esse estímulo foi mais do que suficiente para que eu

Delícia… eu quero te sentir! — Um sorriso travesso formou-se em seus lábios, então me encostei na cabeceira da cama e ela subiu em meu colo, encaixou sua entrada e

Aaahh… gostosa! — Segurei em seus quadris com pegada e ela começou a cavalgar, intercalando entre reboladas e sentadas. Essa mulher me leva ao delírio!

seios e mordisquei com carinho, ela gemeu e voltou a me beijar… Estava sendo o melhor e mais desejado sexo da minha vida e de repente ela parou de se mexer e permaneceu apenas guiando meus lábios com os dela e então subiu contraindo a musculatura de sua bøceta, fazendo-me urrar de

— Puxei o ar entre os dentes e não consegui me

um movimento brusco tirei-a de cima de mim, colocando de quatro e a penetrei de uma vez. Seus gemidos eram cada vez mais intensos e não demorou muito para ela gøzar novamente. Continuei com as estocadas enquanto a danada jogava o corpo de encontro ao meu e segurei em seu cabelo, aumentando a velocidade e logo cheguei ao meu limite, enchendo ela de