Loucos Por Ela Capítulo 41

sprite

Allana

— Gus? O que está fazendo aqui? — Perguntei apavorada enquanto ele apenas abriu um sorriso que se desfaz ao fixar seu olhar em meu pescoço.

— Queria te fazer uma surpresa, mas sou eu o surpreendido! Que marcas são essas em seu pescoço, Allana? Por isso está evitando me atender em vídeo-chamada? O que aconteceu? — Questionou claramente irritado e eu convidei abrindo passagem.

— Entra, irmão!

Com ele já do lado de dentro, fechei a porta e só consegui encará-lo sem dizer nada, então ele me puxou para um abraço acolhedor, deixando-me sem receio de chorar em sua presença, enquanto acariciava meus cabelos.

— Diga-me o que está havendo. — Pediu e eu não tinha mais como esconder, então dei-me por vencida e revelei entre lágrimas.

— Já que você está aqui, não tenho como esconder... Foi o Igor. — Abafei o choro em seu ombro e sua voz ficou cheia de ódiø.

— O que? Por que aquele desgraçadø fez isso?

— Vamos nos sentar para que eu lhe conte melhor. — Pronunciei me recompondo e secando o rosto.

Após nos acomodarmos no sofá, dei início a uma longa conversa para detalhar os fatos e a cada palavra dita, ele se enfurecia mais. Pude ver claramente o ódiø e a angústia misturados em seus olhos e comecei a duvidar se foi uma boa idéia ter lhe dito, mas eu não tive escolha.

— Não posso acreditar que você está passando por tal situação. Quando pensava em me contar? — Interrogou olhando-me fixamente.

— Por favor, não fique chateado. Eu só não quis te preocupar.

— Allana, você sabe que eu te amo mais do que tudo. Como acha que estou agora, sabendo que poderia ter acontecido algo pior? E tudo por essa teimosia de querer se cuidar sozinha. Eu vou agora mesmo procurar aquele filho da… — Impedi que ele concluísse a frase, implorando para que não fizesse nada.

Não, Gus… por favor! Ele está transtornado e eu não quero mais problemas. Já basta tudo o que aconteceu. — Pedi encarecidamente e ele fixou o olhar em mim.

Como você me pede isso? Olha como seu pescoço está! Eu vou procurá-lo sim e vamos ver se ele tem coragem de ser valente assim com um homem.

— Irmão, por favor… você sabe o quanto esses escândalos podem afetar minha carreira e sabe também o quanto isso é importante para mim. Estou implorando, não faça nada. — Ele respirou fundo.

então arrume suas coisas, porque você vai voltar comigo para São Paulo, hoje!

— O que? Não, eu não posso voltar, tenho trabalho aqui.

Eu não vou voltar e te deixar aqui desprotegida, você vai comigo!

Gustavo, eu tenho um contrato assinado. Não posso e nem vou abandonar tudo assim. — Afirmei e

Não sei o que vai fazer, mas aqui você

não pode sair de São Paulo e vir aqui decidir a

vida, caralhø? A vida que você vai perder se continuar aqui? — Falou em um tom alterado e ficou me encarando, enquanto eu apenas permaneci em silêncio e ele voltou a respirar profundamente para se acalmar e continuou. — Vou resolver o que vim fazer e depois conversamos, não estou em condições agora. Até a noite! — Deslocou-se até a porta e saiu e eu fiquei perdida

a avaliar tudo que meu irmão disse e realmente faz sentido… para que eu consiga cumprir os contratos preciso manter-me viva e com Igor me perseguindo desse jeito doentio, vai ser difícil. Ele não me deixa seguir, está obcecado e devido a situação que me encontro, não vou negar que foi um alívio ver meu irmão chegar. Gus cuida muito de mim e por mais que isso às vezes me incomode, sei que faz porque me ama e quer me ver

é que talvez ele tenha razão e eu já comecei a cogitar a hipótese de voltar com ele, não vou poder fotografar por alguns dias mesmo e ao menos assim aproveito para passar um tempo com meus pais, já que não os vejo a alguns meses. Assim também será mais fácil para Felipe entender que não devemos nos aproximar. Sim… com certeza o melhor será me afastar daqui ao menos por

posso usar esse momento para refletir e tentar compreender o que de fato sinto por Felipe… não sei se é amor, paixão ou apenas desejo, mas uma coisa é certa… quando estamos próximos eu perco os sentidos e é como se tirassem o chão debaixo de meus pés… não sei descrever! A presença dele me desestabiliza de uma tal forma que não consigo ocultar nem de mim mesma, é uma conexão única e