O estrangeiro Capítulo 12

sprite

Após minutos ele desfaz o abraço e beijou minha testa, subiu as escadas lentamente e eu ouvi a porta de seu quarto se cerrou. Fui para o meu quarto e tirei meu pijama e roupa íntima, coloquei a camisa dele e me deitei, deixei meus pensamentos me lembrarem de sua boca e meus dedos se guiaram até minha intimidade, arrancando um gemido de meus lábios. Movimentos de zig-zag me fizeram gozar pensando em Hunter Lins.

Acordei feliz, estava sol e era tudo o que eu mais queria, olhei minhas redes sociais e tinha uma mensagem de Dylan. Conversamos bastante, ele era engraçado e gentil. Não pensava em levar isso muito adiante, eu não estava interessada nele. Vesti um biquíni e me cobri com um vestido, calcei minha sandália favorita e desci para tomar café. Hunter diferentemente de ontem, conversava com Rigs, os dois riam bastante e quando cheguei suas atenções se voltaram para mim.

— Bom dia, Charlie. — Rigs disse.

— Bom dia, hoje está um dia lindo, não é mesmo? — Digo sorrindo.

Servi suco e qualquer outra coisa para me manter de estômago cheio, Hunter se distraiu com seu celular quando Rigs saiu. Já era de costume ele me ignorar, então eu fazia o mesmo.

— Rigs, poderia me ajudar com a piscina? — Digo indo em sua direção.

— Tenho que sair para fazer compras logo, logo. Não quer vir comigo?

— Não, gostaria de tomar banho de piscina. — Digo sorrindo.

— Não vou deixar você tomar banho de piscina com um hóspede homem, Charlie. E muito menos sem a minha presença. — Rigs responde quase que sussurrando. — Sem querer ofender Lins, mas Charlie já está virando uma moça, você entende?

— Perfeitamente. Não fiquei chateado. — Hunter responde indiferente.

Reviro os olhos, por um momento pensei que eles não fossem mais voltar.

— Eu já sou uma mulher, sei me virar sozinha. Fora que se o "senhor"— fiz aspas com os dedos — Hunter ver maldade nisso o problema é dele! Eu só quero me refrescar no provavelmente dia mais quente do ano!

Eles me observam por instantes.

— Por favor...— resmungo.

— Está bem, Charlie. — Ela se exalta. — Volto rápido. Lins poderia ajudar Charlie a encher a piscina?

— Claro, seria um prazer.

Rigs sai para o mercado com uma lista enorme de compras, eu vou até a casinha de jardinagem pegar minha piscina inflável. Meu pai comprou quando eu era criança, e até hoje ela estava inteira, usava apenas quando queria pegar uma cor, minha pele normalmente era bem branca pálida, parecia que eu estava sempre doente.

— Aqui está, pode ser que tenha poeira, mas nada que eu não possa resolver depois. — Jogo a caixa enorme no chão.

Hunter toma a caixa em mãos e começa a encher com a bombinha ar, em seguida ele liga uma mangueira com água. Eu tiro a vestido que envolvia meu corpo, eu não fiz com intuito de provocá-lo, mas ele quase quebrou o pescoço ao olhar para mim. Cruzei os braços em frente aos seios para que eles parecessem maiores. Hunter sorrio e voltou sua atenção para o que estava fazendo.

— Está melhor? — Pergunto.

Ele hesitou em falar comigo.

— Sim, estou. — Ele diz sem olhar para mim. — Não leve aquilo para o pessoal.

— Uhum, não pensei que fosse um pedido de namoro. — Respondo colocando meus óculos de sol. Saio de perto dele e sento em uma cadeira.

Após mais de 20 minutos ele finalmente termina.

— Está feito. — Ele diz.

Eu entro na mesma com delicadeza, a água estava gostosa. Ele me observava da borda e eu me aproximo.

— Não quer entra comigo? Parece está com muito calor. ─ tento parecer sexy.

— Não gosto de piscina. — Ele diz ríspido.

meus óculos e fixo meus olhos nos dele.

Mas gosta de me ver apenas de biquíni, não é? — Chegou mais perto, quebrando seu espaço pessoal. Me apoio na borda vendo seu olhar escorrer até meus seios. — E se fosse sem?

Ele engole a seco, estávamos a polegadas de distância de um beijo. Eu podia sentir sua respiração quente sobre o meu rosto. Der repente ele recua.

— Aproveite por mim.

Hunter sai em seguida me deixando sozinha, ele me encara por segundo e vai embora. Era incrível como quase tudo que ele fazia me afetava tanto e parecia não sofrer nem um arranhão com tudo isso. Mesmo que eu tentasse, nada abalava aquela muralha de escrúpulos que ele tinha.

toalha sobre o gramado, coloco meus óculos de sol e meus fones de ouvindo. Eu nunca quis tanto alguém, eu estava desesperada para tê-lo, eu era determinada o suficiente para conseguir. Em pouco tempo ele estaria entre as minhas pernas.

Acordei sentindo mãos em meus braços, abri meus olhos e era ele, Hunter, estava com um olhar profundo. Seus dedos ágeis foram deslizando até minha intimidade me causando arrepios e sua boca partiu para meu pescoço. Então ele veio para cima de mim e me beijou lentamente enquanto suas mãos passeavam por todo meu corpo, elas foram até a parte de cima de meu biquíni e arrancaram rapidamente aquele pedaço de pano, Hunter saiu de minha boca e abocanhou um de meus mamilos, continuando os movimentos em minha intimidade. Sentia seu membro roçando em minha virilha e como eu queria que ele me adentrasse. Saiu dos meus seios e foi até meu ouvido.

— Peça para eu foder você!

— Por favor, faça...

Acordei de meu sonho com Rigs me sacudindo de um lado para o outro.

— O-que foi?! — pergunto tirando meus fones de ouvido.

— Eu vim lhe avisar que já tinha chegado e você parecia que estava tento um pesado. Está tudo bem?

Eu apenas coloquei o vestido em meu rosto e murmurei de vergonha. Pela tarde, Rigs saiu para ensaio do coral da igreja, e eu fiquei assistindo televisão. Ouvi a campainha tocar, mas ignorei porque o filme estava muito bom, porém tocaram novamente e eu tive que atender. Abri a porta e uma moça de cabelos escuros com roupa de festa sorriu

eu sou Ashley, vim atrás de Hunter. —

— Quem? — Pergunto confusa.

Lins, ele é alemão está hospedado aqui... sou

encaro de cima a baixo, realmente era muito bonita e tinha belas curvas. Um misto de ciúmes e raiva me

— E o que você deseja?

Desculpe queridinha, mas o assunto é para ser tratado somente com ele. Poderia deixar eu entrar? — Ela me olha e sorrir. Ela estava tentando ser

vou deixar uma estranha entrar na minha casa. Nem sei quem você

e fecha o sorriso do

— Poderia chamá-lo pelo menos, garotinha?

já que insiste tanto, eu vou chama-lo. Só um instante, meu bem. — Bato a porta na cara

sensação de raiva misturada com triste e insegurança me invadiram, eu não sabia que ele gostava daquele tipo de mulher que tem curvas de dar inveja em qualquer uma, me olhei em volta e realmente, eu estava fora dos padrões daquela mulher. Eu queria ter mais idade e ter Hunter para mim, esse é o único motivo para não estarmos juntos agora. Subi as escadas e bati na porta do mesmo, ele abriu apenas de toalha, eu o empurro para trás e

uma moça lá fora perguntando por você. — Digo com desdém. — Sheila, alguma coisa assim o

Ashley — ele me corrige –, diga para ela me esperar no andar de baixo. — Ele sorrir e continua com a porta aberta, aquele era um sinal para que