O Trigêmeos do Magnata romance Capítulo 384

O som da voz de Bianca lembrou como era imoral se esgueirar atrás do noivo de outra pessoa e, mesmo que fosse forçada a fazer aquilo, odiava a sensação e lutava para lidar com isso.

Anne não conseguia imaginar o que Nigel pensaria dela se Bianca lhe contasse que estava envolvida com Anthony, especialmente por saber que, mesmo que estivesse drogada, foi ela quem tomou a iniciativa, na noite anterior.

O que a fazia sentir mais raiva, era que Anne sabia que aquela era a intenção de Anthony, pois o magnata tinha outras opções, afinal, poderia simplesmente a ter ignorado no cassino ou levado para um hospital. Mas, ao invés disso, a levara para aquele apartamento, para vê-la implorar por seu toque, mesmo que Anne não estivesse em um estado de compreender suas próprias ações.

A jovem suspirou enquanto tirava a comida da geladeira e começava a cozinhar. Não havia comido direito no dia anterior e estava morrendo de fome, então teria que preparar algo, pois não tinha certeza se Anthony apareceria, ainda naquele dia.

Quando abriu a geladeira, congelou com um pensamento repentino: havia mais de uma semana de mantimentos lá dentro, então isso significava que ele planejava mantê-la ali por uma semana?

Ela sentiu raiva e gritou.

Dentro do escritório no Grupo Arquiduque, Anthony desligou o telefone e Bianca foi até ele.

― Abriu um novo restaurante no centro e parece bem legal. Vamos juntos? ―

Antes que o homem pudesse responder, alguém bateu na porta e ele disse:

― Entre. ―

Oliver entrou e relatou os detalhes da reunião anterior e acenou com a cabeça quando viu Bianca.

― É hora do almoço agora. Você ainda vai trabalhar? ― Bianca perguntou.

Anthony lançou um olhar para Oliver e perguntou:

― Você não pode cancelar a reunião? ―

― Não. O senhor Carter vai deixar o país esta noite. Ele não tem perspectiva de voltar para Luton ainda neste semestre e o acordo é importante para prosseguirmos com a incorporação. ―

A expressão de Anthony endureceu enquanto ele considerava o que fazer, mas, conhecendo seu lugar, Bianca disse:

― Não tem problema, Anthony. Vou ficar bem. Podemos ir mais tarde, ou mesmo amanhã. ―

― Claro. Te ligo quando terminar. ―

Assim que Anne terminou de cozinhar, ouviu um barulho do lado de fora da porta e, assustada, correu para a varanda e se escondeu atrás das plantas.

Anthony entrou e olhou para a sala de jantar, quando sentiu o cheiro de uma refeição recém-preparada. Havia duas panelas na mesa e nenhuma havia sido tocada ainda.

Anne se agachou atrás da planta e espreitou para fora para encontrar Anthony. Ela congelou e caminhou até ele.

― Por que você voltou? Pensei que você estava se encontrando com Bianca? ―

― Ela está ocupada ― Ele jogou o telefone celular no sofá e ordenou: ― Comece a servir. ―

Anne estreitou os olhos ao comando, mas silenciosamente serviu a comida para o magnata, antes de se sentar em frente a ele. Não era uma refeição diversificada, havia apenas arroz e carne moída com batata, mas Anthony começou a comer sem reclamar, para sua surpresa.

Os dois comeram em silêncio, apenas com o som de seus talheres batendo na sala.

Anne estava imersa em pensamentos enquanto comia considerando o que faria Bianca desistir da chance de sair para almoçar com Anthony. 'Eu pensei que Anthony era tudo para Bianca...' Ela pensou 'Existe algo mais importante?'

― Quando você aprendeu a cozinhar? ― O magnata perguntou, abruptamente.

Anne ficou perplexa:

― Quando eu trabalhava meio período na cantina da universidade... ―

Anthony não perguntou mais nada e Anne fez o possível para esconder seu nervosismo.

Ela não aprendeu com um emprego de meio período, mas pelo bem de seus filhos. No entanto, ninguém poderia saber o verdadeiro motivo por trás daquilo...

Enquanto isso, Bianca se sentava no carro, vasculhando a lista de contatos no celular. Ela havia arrumado um tempo para ficar com Anthony, mas teve que desistir, já que seu noivo alegou que estaria ocupado.

Comentários

Os comentários dos leitores sobre o romance: O Trigêmeos do Magnata