O Trigêmeos do Magnata romance Capítulo 486

Dorothy não mencionou isso no telefonema, então Bianca ficou chocada ao perceber que Nigel estava desistindo de tudo, incluindo o negócio que ele trabalhou tanto para construir.

— Isso é o quão longe você está disposto a ir por Sarah? Pai, você já pensou se ela gostaria de ficar com você se ficar sem um centavo em seu nome? —

— Eu disse que estou me divorciando de sua mãe e eu nunca mencionei nada sobre me casar com Sarah. — Nigel olhou para ela. — Esta é minha escolha pessoal. Não tem nada a ver com mais ninguém. —

Bianca não podia acreditar que seu pai fosse louco o suficiente para tomar tal decisão.

— Bianca, não me arrependo de ter voltado com sua mãe. Pelo menos você cresceu com saúde. Você vai se casar e dar à luz seus próprios filhos. Você será uma ótima esposa, mãe e tem sua própria vida agora, então o que eu fizer ou deixar de fazer não vai afetá-la. Mesmo assim... Sinto muito se isso te causa dor. —

Ela achou ridícula a situação de sua família ser dilacerada por Anne e Sarah. Se continuasse assim, logo ela não teria mais família. Sem falar mais nenhuma outra palavra, ela deixou o escritório do pai. Nigel, por outro lado, permaneceu sentado, com uma expressão sombria, determinado a levar adiante aquela decisão.

-

Sarah estava no hotel, fazendo uma videochamada com Anne. Ela segurava o smartphone com elegância, conversando enquanto desfrutava do conforto da suíte luxuosa. A vista da cidade iluminada ao fundo conferia um ambiente sofisticado à chamada, enquanto as duas compartilhavam aquele momento de conexão à distância.

— Por que você não está no escritório? Não é domingo hoje! —

— Ainda estou um pouco traumatizada depois de ser sequestrada, então meu supervisor me disse para descansar. —

— Seu supervisor é bastante compreensivo — disse Sarah com um sorriso.

Anne estudou o sorriso em seu rosto e perguntou:

— Aconteceu alguma coisa? Você parece estar de bom humor. —

— Eu estou? — Sarah tocou seu rosto. — Talvez eu esteja apenas feliz em saber que minha filha está de volta! —

— Pensei que você tivesse ganhado dinheiro ou se apaixonado! — Anne disse, rindo e sem saber o quão perto ela estava da verdade.

— Estou muito velha para me apaixonar agora... — Sarah mentiu, antes de checar seu rosto na tela. Não tinha ganhado nenhum dinheiro, e quanto a se apaixonar...

Anne começou a falar mais, e Sarah ouvia a filha desatentamente, ao mesmo tempo que olhava ao redor do quarto do hotel luxuoso. Era um lugar magnífico, com móveis elegantes e uma vista deslumbrante da cidade. A estadia ali era parte do acordo que Nigel havia feito para garantir seu conforto durante sua visita. No entanto, apesar de todas as comodidades, Sarah sentia um vazio dentro dela. Ela sabia que a decisão de Nigel de se divorciar e abrir mão de tudo era um gesto de grande sacrifício, mas também trazia consigo uma dose de incerteza. O que aconteceria a seguir? Como seria sua vida sem o apoio financeiro de Nigel?

Enquanto contemplava essas questões, sua mente voltava repetidamente para Anne. A jovem enfrentava seus próprios desafios e traumas, e como mãe ela se preocupava profundamente com seu bem-estar. Então, estava grata por ter tido a chance de se reconectar por conta da tecnologia.

— Como está minha pele? Pareço velha? — Sarah perguntou, examinando-se no espelho.

— Velha? Parece que você nunca teve filhos. — Anne respondeu com um sorriso.

— Sério? Tem certeza de que não está mentindo? — Sarah ficou surpresa e aliviada com o elogio.

— Sim, mãe. Além disso, você se parece comigo e você sempre me diz a quão bonita eu sou. Então, se eu sou bonita, você também é. —

— Minha garota de língua doce. — Sarah riu. — Diga, você acha que ainda consigo fazer os homens se apaixonarem por mim? —

Anne percebeu a mudança de tom na conversa e suspeitou que algo estava errado.

— Você está realmente namorando alguém? —

— Não! — Sarah respondeu rapidamente.

— Então por que você está perguntando? — Anne ficou curiosa.

— Estou apenas jogando conversa fora, está bem? É irrelevante. — Sarah tentou desviar o assunto.

— Não estou te impedindo de namorar, desde que você esteja com um cara legal. — Anne deixou claro que ela não tinha problemas com a mãe tendo um relacionamento, mesmo que fosse apenas uma conversa.

— Relaxe. Se eu realmente começar a namorar de novo, vou encontrar um cara superlegal! — Sarah assegurou a filha.

Anne queria dizer mais alguma coisa, mas a ligação foi interrompida, deixando-a intrigada com a situação. Sabendo que o hotel em que Sarah estava hospedada era conhecido por sua qualidade, Anne presumiu que a interrupção da ligação se devia a outra chamada importante.

Pouco depois, Sarah ligou de volta para Anne e disse:

— Querida, vou sair para jogar blackjack com meus amigos agora. Falo com você em breve! —

— Blackjack, ou você está saindo com alguém? — Anne questionou, levantando uma sobrancelha.

— Blackjack. Vou te mostrar as fotos mais tarde. — Sarah respondeu, tentando dissipar qualquer suspeita. —

— Aonde você vai? — Anne ainda estava curiosa.

— Vou para um clube perto do hotel. É um amigo que seu pai me apresentou, então não se preocupe! Tchau! — Sarah respondeu animadamente antes de encerrar a chamada.

Anne ficou pensativa, tentando decifrar o que estava acontecendo. Ela sabia que o envolvimento de Sarah com jogos de azar não era algo novo, mas algo na conversa a deixou com a sensação de que havia mais do que apenas jogar blackjack. Enfim, decidiu esperar e ver o que as fotos revelariam.

Comentários

Os comentários dos leitores sobre o romance: O Trigêmeos do Magnata