O Trigêmeos do Magnata romance Capítulo 509

Nigel não conseguia acreditar que a filha que acabara de conhecer... simplesmente não conseguia acreditar... Ele tinha voltado o mais rápido que podia para a enfermaria e sentara-se ao lado da cama de Sarah. A dor que sentia no peito era imensa, às vezes lhe dando falta de ar.

— Sarah, eu sinto muito. Eu não cuidei bem da Anne. O helicóptero dela caiu… Mas ela sobreviveu, não é? Você ainda está em coma, então como ela pode te deixar, não é mesmo? Ela voltará e te verá acordar ainda. — Ele disse num sorriso que tentava mascarar seu desespero. Estava em estado de negação. — Ela vai ficar bem. O Anthony disse que eles vão encontrá-la…—

-

Mesmo após uma noite de resgate, os destroços do helicóptero não estavam totalmente recuperados, apenas pedaços maiores foram encontrados. No entanto, objetivo maior era encontrar quem estava dentro da aeronave antes da queda e os policiais sabiam que seria um desafio encontrá-los, já que a água que corria no fundo do mar era rápida demais.

Como Anthony acompanhava o resgate, nenhuma das autoridades de Santa Nila ousou dormir ou mesmo tirar um cochilo. Todos trabalhavam incansavelmente para encontrar Anne.

Oliver olhava para o progresso do resgate. Ele sabia que Anthony não tinha dormido a noite toda, mas não ousou convencê-lo a descansar. Será que Anne era mesmo tão importante assim para ele, o secretário se perguntava.

Com esse pensamento, o secretário-chefe decidiu caminhar até o lado do carro do magnata para verificar como o empresário estava. Anthony recostava no banco de couro, completamente abatido. Não se lembrava da última vez que tinha visto ele demonstrando tanta vulnerabilidade assim. Por isso, chegou com muita cautela e calma, dizendo:

— Senhor Marwood, se me permite dizer, eu acho que a senhora Vallois tem uma boa chance de ter sobrevivido. — Quando Anthony virou para encará-lo, Oliver engoliu em seco, mas continuou: —Ivan é um piloto habilidoso. Se o helicóptero caiu, ele teria tomado medidas de auto resgate. Talvez eles tenham pulado no mar antes de cair? Se não há notícias agora, pode ser que alguma outra coisa tenha acontecido, e há uma grande chance disso. —

Os olhos de obsidiana de Anthony se moveram levemente, como se tivesse tido uma ideia após a fala do secretário.

— Peça para eles ampliarem a área de busca. Incluam os moradores próximos... todos. —

— Sim. — Oliver assentiu levemente, e depois acrescentou: — Senhor Marwood, eu vou pegar algo para o senhor comer, tudo bem? — Vendo que Anthony não respondia, apenas se virou e saiu.

-

Dorothy aguardava ansiosamente o retorno de Nigel. Mas, ao perceber que ele não voltaria, decidiu dirigir até Santa Nila. Ela estava familiarizada com o hospital onde a megera estava internada.

Assim que chegou, bateu suavemente na porta e entrou, encontrando Nigel em transe, olhando pela janela. Ela escondeu o ódio que sentia em seus olhos e o chamou com ternura:

— Querido. —

O homem, ainda devastado, ergueu a cabeça e, quando notou sua presença, olhou-a com hostilidade antes de perguntar:

— O que você está fazendo aqui? —

— Posso visitar Sarah? — Dorothy colocou flores e frutas na mesa ao dela.

A atitude deixou Nigel perplexo. Ela era a causa disso tudo, como era capaz?

— Sinto muito. Refleti sobre mim mesma em casa... A culpa é minha. Fui impulsiva. Estou aqui para ver Sarah e espero que ela acorde em breve. Você deveria estar aqui para cuidar dela depois. Afinal, eu causei isso... —

Nigel apenas permanecer em silêncio, frio.

— Por que você está aqui sozinho? Onde está Anne? — Ela perguntou.

— Ela não está aqui. —

— Cuidar de um paciente pode ser desgastante. É bom que vocês possam se revezar. — Dorothy tentou mostrar compreensão.

O rosto de Nigel ficou cada vez mais sombrio e era evidente que ele estava sofrendo. Por mais que tentasse esconder, a dor o consumia.

— O que está acontecendo? Houve algum problema? —

— Nada... —

Dorothy sabia que algo estava errado. Anne se importava muito com Sarah, mas não estava por perto. Seria por causa de sua presença ali?

— É difícil dizer? Apesar de estarmos nos divorciando, ainda somos marido e mulher. Talvez eu possa ajudar? —

Comentários

Os comentários dos leitores sobre o romance: O Trigêmeos do Magnata